Comunidade mutirante: características familiares e suas redes de suporte social - doi:10.5020/18061230.2004.p177

Fátima Luna Pinheiro Landim, Ariane Fonteles Araújo, Lorena Barbosa Ximenes, Zulene Maria de Vasconcelos Varela

Resumo


O déficit de moradias tem levado famílias a organizarem-se em sistemas de mutirão para construírem a casa própria, surgindo, assim, as “comunidades mutirantes”. O estudo objetivou: investigar características individuais e familiares dos participantes das comunidades mutirantes; descrever as redes de suporte social dessas famílias. O estudo foi realizado durante o ano de 2002, elegendo-se 07 famílias de uma comunidade mutirante instalada em bairro da periferia de Fortaleza, Ceará. As técnicas utilizadas na coleta de dados foram: entrevista não-estruturada e observação participante. A partir do genograma e do ecomapa das famílias, constatamos que cinco (5) dentre elas eram do tipo nuclear e as demais, do tipo estendida. Seis (6) eram católicas e uma (1) protestante. Três (3) das famílias possuíam renda oriunda de aposentadoria de um de seus membros; uma (1) não possuía renda. Os membros da terceira geração estudavam, com exceção de uma que deixou de estudar para cuidar do filho que nascera. Conclui-se que a estratégia de construir genograma e ecomapa em parceria com os membros da família revelou-se eficaz no que tange à criação/estreitamento de vínculos com a enfermeira, alem de contribuir para tomada de consciência em relação aos suportes familiar e comunitário existentes.

Palavras-chave


Família; Redes sociais de apoio; Enfermagem comunitária.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5020/697

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia