A assistência multidisciplinar e o manejo efetivo do Diabetes Mellitus: desafios atuais - doi:10.5020/18061230.2004.p200

Renan Magalhães Montenegro Junior, Márcia Maria Costa Silveira, Izabella Pereira Nobre, Carlos Antonio Bruno da Silva

Resumo


O presente trabalho objetivou caracterizar o perfil clínico e o atendimento multidisciplinar da clientela diabética assistida no NAMI/UNIFOR, unidade que assiste a comunidade adstrita. Foi realizado um estudo retrospectivo, a partir de dados coletados dos prontuários de 101 pacientes com diagnóstico de diabetes mellitus (DM), selecionados aleatoriamente entre agosto de 2003 e junho de 2004. Todos os pacientes avaliados tinham diagnóstico de DM tipo 2, há 5,7 ± 3,9 anos, sendo 88,1% do sexo masculino e 11,9% do sexo feminino e com uma média de idade de 58,4 ± 12,2 anos. Desse total, 5,9% faziam uso de clorpropramida, 84,1% de glibenclamida, 15,8% de metformina, 7,9% de insulina, 1% de glipizida, 1% de glimepirida e 4,9% nunca fizeram uso de medicações para esse fim. Em 61,4% dos prontuários não havia registro de orientação dietética e, dos demais, 20,8% relatavam seguir as recomendações. Em 82,2% dos prontuários também não havia referência à realização de atividade física. Somente havia registro de glicemias de jejum (187±75 mg/dl, 192±80 mg/dl, 192±75 mg/dl, em três períodos distintos). Verificou-se que 72,3% pacientes eram também hipertensos e 56,4% dislipidêmicos. Dos hipertensos somente 62,4% estavam em tratamento medicamentoso e destes 45,5% faziam uso de inibidores de enzima conversora de angiotensina, sendo o captopril o mais usado. Apresentavam pressão arterial sistólica média de 148±26 mmHg e diastólica de 90±13 mmHg. Em nenhum caso houve menção ao uso de drogas hipolipemiantes e somente 9,9% desses usavam AAS. Esses dados sugerem que os pacientes diabéticos seguidos no NAMI apresentam elevada prevalência de condições mórbidas associadas, encontrando-se, em geral, com o controle metabólico inadequado e com terapêuticas passíveis de melhor adequação. Considerando os benefícios da atuação multidisciplinar no DM e das potencialidades do NAMI, observa-se a necessidade de adoção de novas estratégias nessa direção, possivelmente voltadas para a integração da equipe, objetivando-se o manejo efetivo do DM.

Palavras-chave


Diabetes mellitus; Controle metabólico; Assistência multidisciplinar; Complicações; Co-morbidades.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5020/700

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia