O trabalho do cirurgião-dentista e o estresse: considerações teóricas - doi:10.5020/18061230.2005.p50

Antonio Diogo Fontenele de Lima, Francisca Lucélia Ribeiro de Farias

Resumo


A atividade odontológica vem sofrendo graves problemas nos dias atuais, os quais se projetam em uma crise sem precedentes. Registram-se a diminuição da receita, a redução do número de pacientes na clínica privada, em razão da queda do poder aquisitivo das pessoas e o aumento dos custos com insumos e equipamentos impostos pelas novas tecnologias. Este trabalho tem como objetivo realizar uma reflexão sobre os fatores determinantes do estresse apresentados pelo cirurgião-dentista num contexto de jornada dupla de trabalho. Os resultados do estudo demonstraram que os cirurgiões-dentistas com mais de vinte anos de atividade profissional queixam-se de doenças sabidamente relacionadas ao estresse psicológico tais como: distúrbios posturais, dores na coluna cervical, enxaquecas constantes, hipertensão arterial, depressão, fibromialgias, distúrbios da atividade sexual, infartos, insuficiências respiratórias, envelhecimento precoce e câncer. Assim, conclui-se que as atividades desenvolvidas por esses profissionais trazem sérias conseqüências psicológicas demonstradas pelas doenças psicossomáticas apresentadas pelos mesmos. Há necessidade de promoverem-se atividades de Educação em Saúde para ajudar na melhoria da auto-estima através de discussões e reflexões sobre esses problemas

Palavras-chave


Cirurgião-dentista, doenças ocupacionais, estresse.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5020/866

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia