Atenção domiciliar em saúde no brasil: visão dessa política por uma revisão integrativa

Carmem Rita Sampaio de Sousa, Maria Socorro de Sousa

Resumo


Objetivo: Revisar a produção científica acerca da política da atenção domiciliar em saúde no Brasil. Métodos: Revisão integrativa de literatura realizada no período de agosto a outubro de 2018, nas seguintes bases de dados: Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (MEDLINE), consultada por meio do PubMed; Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), consultados pela Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) e SciELO (Scientific Eletronic Library Online). Foram utilizados, para busca dos artigos, os seguintes descritores e suas combinações nas línguas portuguesa, inglesa e espanhola: “atenção domiciliar”, “assistência domiciliar”, “serviços hospitalares de assistência domiciliar”. Selecionaram-se 20 artigos na análise final. Resultados: Os achados foram categorizados na seguinte forma: atenção domiciliar como subsídio do sistema público de saúde e atenção domiciliar na suplementação à saúde, dada a importância da atenção domiciliar integrada à rede de atenção à saúde. Conclusão: As evidências científicas apontam a atenção domiciliar como uma ferramenta a ser utilizada na reorganização do sistema de saúde, prevenção de agravos e promoção da saúde.

Palavras-chave


Assistência Domiciliar; Serviços Hospitalares de Assistência Domiciliar; Políticas Públicas de Saúde

Texto completo:

PDF/A PDF/A (English)

Referências


Kerber NPC, Kirchhof ALC, Cezar-Vaz MR. Considerações sobre atenção domiciliaria e suas aproximações como mundo do trabalho na saúde. Cad Saúde Pública [Internet]. 2008 [acesso em 2019 Jan 10];24(3):488-93. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/csp/2008.v24n3/485-493/

Ministério da Saúde (BR). Lei nº 8080, de19 setembro de1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 1990 [acesso em 2018 Set 09]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8080.htm.

Brasil. Ministério da Saúde. Resolução RDC nº11 de 22 de janeiro de 2006. Dispõe sobre o regulamento Técnico do Funcionamento de serviços que prestam atenção domiciliar [Internet]. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, seção I, Supl. N.21, p. 1-2 de 30 de janeiro de 2006 [acesso em 2019 Jan 10]. Disponível em: https://atencaobasica.saude.rs.gov.br/upload/arquivos/201510/01114723-20141104105323rdc-anvisa-n-11-de-26-de-janeiro-de-2006.pdf

Joanilho AL, Joanilho MPG. A genealogia e a História são cinzas. Rev Hist Reg [Internet]. 2008 [acesso em 2019 Jan 10];13(1);95-108. Disponível em: www.revistas.uepg.br/index.php/rhr/article/download/341/268

Ministério da Saúde (BR), Departamento Nacional de Saúde, Divisões de Organização Hospitalar. História e evolução dos hospitais [Internet]. 2ª ed. Rio de Janeiro: Ministério da Saúde; 1965 [acesso em 2019 Jan 10]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cd04_08.pdf

Senado Federal (BR). Constituição da República Federativa do Brasil [Internet]. Brasília: Senado Federal; 2016 [acesso em 2018 Set 27]. Disponível em: https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/518231/CF88_Livro_EC91_2016.pdf

Ministério da Saúde (BR). Portaria nº 648, de 28 de março de 2006. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica para o Programa Saúde da Família (PSF) e o Programa Agentes Comunitários de Saúde (PACS) [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2006 [acesso em 2019 Jan 10]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2006/prt0648_28_03_2006.html

Ministério da Saúde (BR). Portaria nº 2.488, de 21 de outubro de 2011. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2011 [acesso em 2018 Set 09]. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt2488_21_10_2011.html

Ministério da saúde (BR). Portaria 2527 de 27 de outubro de 2011. Redefine a Atenção Domiciliar no âmbito do Serviço Único de Saúde [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2011 [acesso em 2018 Set 09]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt2527_27_10_2011.html

Ministério da Saúde (BR). Portaria nº 963, de 27 de maio de 2013. Redefine a Atenção Domiciliar no âmbito do Sistema Único de Saúde [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2013 [acesso em 2018 Set 09]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt0963_27_05_2013.html

Whittemore R, Knaft K. The integrative review: update methodology. J Adv Nurs [Internet]. 2005 [acesso em 2019 Jan 10];52(5):546-53. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16268861

Souza MT, Silva MD, Carvalho R. Integrative review: what is it? how to do it? Einstein [Internet]. 2010 [acesso em 2019 Jan 10];8(1 Pt 1):102-6. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/eins/v8n1/1679-4508-eins-8-1-0102.pdf

Fouerwerker LCM, Merhy EE. A contribuição da atenção domiciliar para a configuração de redes substitutivas de saúde, desinstitucionalização e transformação de práticas. Rev Panam Salud Pública [Internet]. 2008 [acesso em 2019 Jan 10];24(13):180-88. Disponível em: https://scielosp.org/pdf/rpsp/2008.v24n3/180-188/pt

Silva KL, Sena RR, Seixas CT, Fewerwerker LCM, Merhy EE. Atenção domiciliar como mudança do modelo tecnoassistencial. Rev Saúde Pública [Internet]. 2010 [acesso em 2019 Jan 10];44(1):166-76. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v44n1/18.pdf

Silva KL, Sena RR, Castro WS. A desospitalização em um hospital público geral de Minas Gerais: desafios e possibilidades. Rev Gaúch Enferm [Internet]. 2017 [acesso em 2019 Jan 10];38(4). Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rgenf/v38n4/1983-1447-rgenf-38-04-e67762.pdf

Cunha JJ, Santos PND, Lepinski AG, Santos MM, Hermann AP, Lacerda MR. Gerenciando a assistência domiciliar. Rev Baiana Enferm [Internet]. 2014 [acesso em 2019 Jan 10];28(2);186-95. Disponível em:https://portalseer.ufba.br/index.php/enfermagem/article/view/9864

Wachs LS, Nunes BP, Soares UM, Facchini LA, Thumé E. Prevalência da assistência domiciliar prestada à população idosa brasileira e fatores associados. Cad Saúde Pública [Internet]. 2016 [acesso em 2019 Jan 10];32(3). Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v32n3/0102-311X-csp-32-03-e00048515.pdf

Brito MJM, Andrade AM, Caçador BS, Freitas LFC, Penna CMM. Atenção domiciliar na estruturação da rede de atenção à saúde: trilhando os caminhos da integralidade. Esc Anna Nery Rev Enferm [Internet]. 2013 [acesso em 2019 Jan 10];17(4):603-10. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-81452013000400603&script=sci_abstract&tlng=pt

Neves ACOJ, Castro EAB, Costa SRD. Necessidades de cuidados domiciliares de enfermagem após a alta hospitalar no contexto do SUS. Cogitare Enferm [Internet]. 2016 [acesso em 2019 Jan 10];21(4):1-9. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/view/47708

Pozzoli SML, Cecílio LCO. Sobre o cuidar e o ser cuidado na atenção domiciliar. Saúde Debate [Internet]. 2017 [acesso em 2019 Jan 10];41(115):1116-29. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S010311042017000401116&script=sci_abstract&tlng=pt

Andrade AM, Brito MJM, Silva KL, Montenegro LC, Caçador BS, Freitas LFC. Organização das redes de atenção à saúde na perspectiva de profissionais da atenção domiciliar. Rev Gaúch Enferm [Internet]. 2013 [acesso em 2019 Jan 10];34(1):111-7. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rgenf/v34n2/v34n2a14.pdf

Pires MRGM, Duarte EC, Bernarda L, Göttems D, Figueiredo NVF, Spagnol CA. Fatores associados à atenção domiciliária: subsídios à gestão do cuidado no âmbito do SUS. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2013 [acesso em 2019 Jan 10];47(3):648-56. Disponível em: www.scielo.br/pdf/reeusp/v47n3/0080-6234-reeusp-47-3-00648.pdf

Franco TB, Merhy EE. Atenção domiciliar na saúde suplementar: dispositivo da reestruturação produtiva. Cienc Saúde Colet [Internet]. 2008 [acesso em 2019 Jan 10];13(5):1511-20. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v13n5/16.pdf

Martins AA, Franco TB, Merhy EE, Feuerwerker LCM. A produção do cuidado no Programa de Atenção Domiciliar de uma Cooperativa Médica Saúde Suplementar. Physis (Rio J) [Internet]. 2009 [acesso em 2019 Jan 10];19(2):457-74. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/physis/v19n2/v19n2a12.pdf

Silva KL, Sena RR, Rodrigues AT, Araújo FL, Belga SMMF, Duarte ED. Promoção da saúde no setor suplementar: terceirização, microrregulação e implicações no cuidado. Rev Bras Enferm [Internet]. 2015 [acesso em 2019 Jan 10];68(3):482-9. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v68n3/0034-7167-reben-68-03-0482.pdf

Silva KL, Sena RR, Feuerwerker LCM, Souza CG, Souza CG, Silva PM, et al. O direito à saúde: desafios revelados na atenção domiciliar na saúde suplementar. Saude Soc São Paulo [Internet]. 2013 [acesso em 2019 Jan 10];22(3):773-84.doi:10.1590/S0104-12902013000300011

Meneses CS, Cuginotti AP, Cecilio LCO, Reis AAC, Andreazza R, Araújo EC. Os usuários e a transição tecnológica no setor de saúde suplementar: estudo de caso de uma operadora de plano de saúde. Ciênc Saúde Colet [Internet]. 2013 [acesso em 2019 Jan 10];18(1):57-66. Disponível em: http://www.cienciaesaudecoletiva.com.br/artigos/os-usuarios-eatransicaotecnologica-no-setor-de-saude-suplementar-estudo-de-caso-de-uma-operadora-de-plano-de saude/8560?id=8560

Ministério da Saúde (BR). Portaria nº 1208 de 18 de junho de 2013. Dispõe sobre a integração do Programa Melhor em Casa (Atenção Domiciliar no âmbito do SUS) com o Programa SOS Emergências, ambos inseridos na Rede de Atenção às Urgências [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2013 [acesso em 2018 Set 09]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt1208_18_06_2013.html

Ministério da Saúde (BR). Municípios com o melhor em casa habilitado [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2018 [acesso em 2019 Jan 10]. Disponível em: http://portalarquivos2.saude.gov.br

Silva KL, Silva YC, Lage EG, Paiva PA, Dias OV. Por que é melhor em casa? A percepção de usuário e cuidadores da atenção domiciliar. Cogitare Enferm [Internet]. 2017 [acesso em 2019 Jan 10];22(4):e49660. Disponível em: www.saude.ufpr.br/portal/revistacogitare/wp-content/.../49660-219632-1-PB.pdf

Oliveira SG, Kruse MHL. Melhor em casa: dispositivo de segurança. Texto & Contexto Enferm [Internet]. 2017 [acesso em 2019 Jan 10];26(1):e2660015. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v26n1/pt_0104-0707-tce-26-01-e2660015.pdf

Castro EAB, Leone DRR, Santos CM, Gonçalves FCC Neta, Gonçalves JRL, Contim D, et al. Organização da atenção domiciliar com o Programa Melhor em Casa. Rev Gaúch Enferm [Internet]. 2018 [acesso em 2019 Jan 10];39:e2016-0002. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/79526

ANS (BR). Parecer Técnico Nº 05/GEAS/GGRAS/DIPRO/2018: Cobertura: Assistência Domiciliar (HOME Care) [Internet]. 2018 [acesso em 2019 Jan 10]. Disponível em: http://www.ans.gov.br/images/stories/parecer_tecnico/uploads/parecer_tecnico/_PARECER_052018_ASSISTNCIA%20DOMICILIAR%2%20HOME%20CARE_VERSO%20FINAL_21122017.pdf




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2019.9250

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia