Coordenadores de saúde bucal: percepção sobre gestão e competências no Sistema Único de Saúde

Davi Oliveira Bizerril, Francisco Cristóvão Mota Lima Júnior, Margarida Maria Saraiva, Dulce Maria de Lucena Aguiar

Resumo


Objetivo: Analisar as percepções de coordenadores de saúde bucal sobre gestão e competências no Sistema Único de Saúde. Métodos: Estudo qualitativo realizado em seis Secretarias Executivas Regionais de Fortaleza, Ceará, Brasil. A coleta de dados ocorreu em março de 2019, através de entrevistas semiestruturadas com seis cirurgiões-dentistas que atuam à frente das coordenadorias de saúde bucal dos referidos órgãos. Analisaram-se as entrevistas por meio da análise de conteúdo, emergindo as seguintes categorias: competências de um coordenador de saúde bucal; curso de formação/capacitação para o cargo de gestor; contribuição da formação acadêmica ao cargo de gestor; desafios no processo de trabalho; satisfação por estar no cargo de gestor. Resultados: As principais atividades desenvolvidas pelos coordenadores de saúde bucal são: coordenação de recursos humanos; gerenciamento de material, insumos e equipamentos odontológicos; consolidação de procedimentos; planejamento de metas assistenciais e de promoção e prevenção em saúde bucal; produção e monitoramento de indicadores; e elaboração de relatórios técnicos. Segundo os participantes, o cargo de gestor requer capacitação na área de gestão em saúde pública, envolvimento e comprometimento na execução dos processos, além de ser essencial para a gestão de saúde bucal. Conclusão: Os coordenadores de saúde bucal consideram importante a gestão de saúde pública, apesar de obstáculos no cotidiano de trabalho, como quantidade insuficiente de insumos e subfinanciamento do setor, e necessidade de qualificação para assumir o cargo de gestor em saúde bucal para potencializar a atenção primária em saúde, promovendo ações de promoção, prevenção e recuperação da saúde do usuário.

Palavras-chave


Gestão em Saúde; Saúde Coletiva; Saúde Bucal; Sistema Único de Saúde.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Oliveira L, Passador C. Considerations on the Brazilian national health system (SUS) performance index. Sante Publique (Bucur). 2014;26(6):829-36.

Soares SS, Lima LD, Castro ALB. The role of primary health care in urgency assistance: a look at the policies. J Manag Prim Health Care. 2014;5(2):170-1.

Aquilante AG, Aciole GG. Building a “Smiling Brazil”? Implementation of the Brazilian National Oral Health Policy in a health region in the State of São Paulo. Cad Saúde Pública [Internet]. 2015 [acesso em 2019 Jul 02];31(1):82-96. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00193313

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Saúde Bucal. Brasilia: Ministério da Saúde; 2004.

Alves JG, Romero VHD, Boeira PO, Bighetti TI, Castilhos ED. The professional satisfaction of primary health care dentists in a city in southern Brazil with municipal oral health guidelines. RFO UPF. 2018;23(2):139-43.

Baldani MH, Ribeiro AE, Gonçalves JRSN, Ditterich RG. Oral health work process in Primary Health Care: intermunicipal inequalities highlighted by the PMAQ-AB. Saúde Debate [Internet]. 2018 [acesso em 2019 Jul 16];42(spe1):145-62.

Pires DA, Colussi CF, Calvo MCM. Assessment of municipal management of oral health in primary care: data collection instrument accuracy. Ciênc Saúde Colet [Internet]. 2014 [acesso em 2019 Jul 16];19(11):4525-34. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232014001104525

Moura ELS, Oliveira EEG, Safh F, Nascimento LS, Brandão GAM. Práticas de odontologia em Saúde Coletiva na Estratégia Saúde da Família. Rev ABENO. 2015;15(3):52-9.

Minayo MCS, Diniz D, Gomes R. The qualitative research article under scrutiny. Ciênc Saúde Colet [Internet]. 2016 [acesso em 2019 Jun 30];21(8). Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232015218.15592016

Saraiva MM. Análise do acesso da pessoa idosa aos serviços de saúde na Atenção Primária [dissertação]. Fortaleza: Universidade de Fortaleza; 2017.

Batista EC, Matos LAL, Nascimento AB. A Entrevista como técnica de investigação na pesquisa qualitativa. Rev Interdisciplin Cient Apl. 2017;11(3):23-38.

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70; 2011.

Conselho Nacional de Saúde (BR). Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Institui diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

Moraes LB, Kligerman DC, Cohen SC. Analysis on the socio-demographic profile and dental surgeon's work process in the Family Health Program, in three cities of the mountain region of the state of Rio de Janeiro. Physis [Internet]. 2015 [acesso em 2019 Jul 02];25(1):171-86. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-73312015000100171&script=sci_abstract

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 3.012, de 26 de dezembro de 2012. Redefine a composição das equipes de Saúde Bucal da Estratégia Saúde da Família constante na Política Nacional de Atenção Básica (PNAB). Diário Oficial da União; Brasília, 27 de dezembro de 2012.

Godoi H, Andrade SR, Mello ALSF. The regionalized healthcare network in Santa Catarina State, Brazil, from 2011 to 2015: governance system and oral healthcare. Cad Saúde Pública [Internet]. 2017 [acesso em 2019 Jul 16];33(9):e00133516. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2017000905009

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. A saúde bucal no Sistema Único de Saúde [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2018 [acesso em 2019 Jun 30]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_bucal_sistema_unico_saude.pdf

Araújo IDT, Machado FCA. Temporal evolution of oral health indicators in municipalities of Rio Grande do Norte. Rev Ciênc Plur. 2018;4(2):73-86.

Fischer SD, Horn FB, Schommer PC, Santos JGM. Competências para o cargo de coordenador de Unidade Básica de Saúde. TAC. 2014;4(2):117-31.

Santos NML, Hugo FN. Training in Family Health and its association with work processes of Primary Care Dentistry Teams. Cienc Saúde Colet. 2018;23(12):4319-29.

Maciel JAC, Vasconcelos MIO, Castro-Silva II, Eloia SMC, Farias MR. Permanent education in the Healthcare area for Dentists of the Family Health Strategy: an integrate review. Rev APS. 2017;20(3):414-22.

Holanda ICLC, França CL, Albuquerque SHC, Fernandes VG, Nuto SAS. Desenvolvimento de habilidades na formação de estudantes de Odontologia: a contribuição da Terapia Ocupacional e da Psicologia. Rev ABENO. 2019;19(x):40-8.

Vendruscolo C. Integração ensino-serviço: movimentos das instâncias de gestão nos processos de reorientação da formação profissional na saúde [tese]. Santa Catarina: Universidade Federal de Santa Catarina; 2014.

Penedo RM, Gonçalo CS, Quelus DP. Shared management: perceptions of professionals in the family health context. Interface (Botucatu). 2019;23:e170451.

Macedo GL, Lucena EES, Lopes IKR, Batista LTO. Access to dental care of special patients: the perception of primary care dentists. Rev Ciênc Plur. 2018;4(1):67-80.

Lucena EHG, Lucena CDR, Goes PSA, Sousa MF. Conditions associated with Activity Planning in Dental Specialty Centers. Univ Odontol. 2019;38(80):1-27.

Cayetano MH, Carrer FAC, Gabriel M, Carneira FM, Pucca GA Jr. Brazilian National Oral Health Policy (Smiling Brazil): A rescue of history, learning and future Univ. Odontol. 2019;38(80):1-23.

Lima AJ, Zille LP, Soares MG. Look on the satisfaction at work: study in a multinational organization of machining sector in the state of Minas Gerais. Gest Planejamento. 2015;16(3):310-25.

Silva LAG, Piva MR, Cabral MCB, Peixoto AC, Santos TS, Santos MJO. Perception of dentists in relation to the Single Health System/Family Health (SUS/PSF) Program in the City of Nossa Senhora do Socorro-SE. Odontol Clín-Cient. 2011;10(4):345-49.

Aldosari MA, Tavares MA, Machado ATGM, Abreu MHNG. Factors associated with patients’ satisfaction in Brazilian dental primary health care. PLos ONE. 2017;12(11):e0187993.

Kusma SZ, Moysés ST, Moysés SJ. Promoção da saúde: perspectivas avaliativas para a saúde bucal na atenção primária em saúde. Cad Saúde Pública. 2012;28(SupS9-S19):1-11.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2019.9273

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia