O vínculo no tratamento da tuberculose na atenção primária à saúde: uma revisão integrativa

Melisane Regina Lima Ferreira, Alexsandra Araújo Santos, Nathalia Halax Orfão

Resumo


Objetivo: Descrever como o vínculo tem contribuído (ou não) para o manejo do cuidado da tuberculose (TB) na Atenção Primária à Saúde (APS). Métodos: Trata-se de uma revisão integrativa da literatura, realizada nas bases de dados Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Literatura Internacional em Ciências da Saúde (MEDLINE), Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature (CINAHL), Scopus e Web of Science, a partir de artigos científicos completos e em livre acesso, publicados no período entre 2009 a 2019, nos idiomas português, inglês e espanhol, bem como aqueles que, em seus resultados, abordassem aspectos relacionados à temática do estudo. Resultados: Selecionaram-se 151 artigos nas bases de dados, dos quais se excluíram 134 por não atenderem aos critérios previamente estabelecidos, contabilizando, ao final, 17 artigos científicos para serem lidos e analisados na íntegra. Identificaram-se elementos potencializadores e dificultadores para a construção, estabelecimento e fortalecimento do vínculo no manejo da TB na APS. Conclusão: Esta revisão aponta a necessidade de novas discussões acerca da temática, por meio da identificação dos pontos de estrangulamento na organização e desempenho dos serviços de saúde, objetivando a implementação de ações integradas e intersetoriais, a partir da compreensão de aspectos que dificultam a reorientação de práticas e ofertas de serviços, tendo em vista a construção de um novo paradigma de cuidado aos doentes de TB.

Palavras-chave


Tuberculose; Acolhimento; Relações Profissional-Paciente; Pesquisa sobre Serviços de Saúde; Atenção Primária à Saúde

Texto completo:

PDF/A

Referências


Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Manual de Recomendações para o Controle da tuberculose no Brasil. Brasília: Ministério da Saúde; 2018.

World Health Organization. Global Tuberculosis Report 2018. Geneva: WHO; 2018.

Neves RR, Ferro PS, Nogueira LMV, Rodrigues ILA. Acesso e vínculo ao tratamento da tuberculose na atenção primária em saúde. Rev Pesqui (Univ. Fed. Estado Rio J). 2016;8(4):5143-9.

Mendes EV. As redes de atenção à saúde. 2ª ed. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde; 2011.

Starfield B. Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: UNESCO; 2002.

Pinheiro PGOD, Sá LD, Palha PF, Oliveira RCC, Nogueira JA, Villa TCS. Pontos de estrangulamento sobre o controle da tuberculose na atenção primária. Rev Bras Enferm. 2017;70(6):1227-34.

Alves JCF, Paulo ZCA, Santos NMG, Pinto ESG, Davim RMB. Barreiras socioeconômico-culturais que retardam o diagnóstico da tuberculose. Rev Enferm UFPE. 2016;10(11):40210-27.

Orfão NH, Crepaldi NY, Brunello MEF, Andrade RLP, Monroe AA, Ruffino-Netto A, et al. Coordenação da assistência à tuberculose: registro de dados e a implementação de um sistema informatizado. Ciênc Saúde Colet. 2017;22(6):1969-77.

Andrade RPS, Maia VF, Queiroz RF, Carreiro GSP, Villa TCS, Pinto ESG. Contribuição dos profissionais da atenção primária à saúde para o autocuidado apoiado aos portadores de tuberculose. Rev Pesqui (Univ. Fed. Estado Rio J). 2016;8(3):4826-32.

Figueiredo TMRM, Pinto ML, Cardoso MAA, Silva VA. Desempenho no estabelecimento do vínculo nos serviços de atenção à tuberculose. Rev Rene. 2011;12(esp):1028-35.

Melnyk BM, Fineout-Overholt E. Making the case for evidence-based practice. In: Melnyk BM, Fineout-Overholt E. Evidence-based practice in nursing & healthcare: a guide to best practice. Philadelphia: Wolters Kluwer: Lippincot Williams & Wilkins. 2011. cap. 01. p. 3-24. 624 p.

Lewis CP, Newell JN. Improving tuberculosis care in low income countries - a qualitative study of patients understanding of “patient support” in Nepal. BMC Public Health. 2009;9(190).

Chhea C, Warren N, Manderson L. Health worker effectiveness and retention in rural Cambodia. Rural Remote Health. 2010;10(3):1391.

Ponce MAS, Vendramini SHF, Santos MR, Santos MLSG, Scatena LM, Villa TCS. Vínculo profissional/doente no tratamento da tuberculose: desempenho da atenção básica em município do interior paulista. Rev Latino-Am Enferm. 2011;19(5).

Rocha DDS, Adorno RDCF. Abandono ou descontinuidade do tratamento da tuberculose em Rio Branco, Acre. Saúde Soc. 2012;21(1):232-45.

Marquieviz J, Alves IS, Neves EB, Ulbricht LA. Estratégia de Saúde da Família no controle da tuberculose em Curitiba (PR). Ciênc Saúde Colet. 2013;18(1):265-71.

Kielmann K, Datye V, Pradhan A, Rangan S. Balancing authority, deference and trust across the public–private divide in health care: tuberculosis health visitors in western Maharashtra, India. Glob Public Health. 2014;9(8):975-92.

Souza KMJS, Sá LD, Silva LMC, Palha P. Atuação da Enfermagem na transferência da política do tratamento diretamente observado da tuberculose. Rev Esc Enferm USP. 2014;48(5):874-82.

Balderrama P, Vendramini SF, Santos MLSG, Ponce MAZ, Oliveira IC, Villa TCS, et al. Porta de entrada para o diagnóstico da tuberculose: avaliação da estrutura dos serviços. Rev Eletrônica Enferm. 2014;16(3):511-9.

Clementino FS, Miranda FAN. Tuberculose: acolhimento e informação na perspectiva da visita domiciliária. Rev Enferm UERJ. 2015;23(3):350-4.

Furlan MCR, Santos AG Jr, Marcon SS. O vínculo com o profissional de saúde no tratamento de tuberculose: percepção dos usuários. Rev Enferm Centro-Oeste Mineiro. 2017;7(e1934).

Wysocki AD, Ponce MAZ, Brunello MEF, Beraldo AA, Vendramini SHF, Scatena LM, et al. Atenção Primária à Saúde e tuberculose: avaliação dos serviços. Rev Bras Epidemiol. 2017;20(1):161-75.

Arakawa T, Magnabosco GT, Andrade RLP, Brunello MEF, Monroe AA, Ruffino-Netto A, et al. Programa de controle da tuberculose no contexto municipal: avaliação de desempenho. Rev Saúde Pública. 2017;51(23):1-9.

Gomes ALC, Sá LD. As concepções de vínculo e a relação com o controle da tuberculose. Rev Esc Enferm USP. 2009;43(2):365-72.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2019.9540

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Rev Bras Promoç Saúde, Fortaleza - Ceará - Brasil - e-ISSN: 1806-1230

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia