Políticas Editoriais

Foco e Escopo

Journal Of Administrative Sciences - JAS
Revista Ciências Administrativas - RCA
Qualis - CAPES Periódicos: B2
ISSN (online): 2318-0722

A Revista Ciências Administrativas – RCA tem como missão levar aos seus leitores o conhecimento do novo e relevante nas áreas de interesse da revista, por meio de divulgação de artigos resultantes de pesquisa científica inédita, compromissados com a sociedade, o desenvolvimento socioambiental, científico e cultural.

O periódico nasceu em 1989 com periodicidade anual e em 2012 passou a apresentar periodicidade semestral, de 2007 em diante a RCA terá periodicidade quadrimestral. A condução das avaliações dos artigos submetidos segue o sistema de avaliação de pares (peer review) e avaliação cega (sem identificação, blind review).

A Revista Ciências Administrativas - RCA (antiga Revista do Centro de Ciências Administrativas da Universidade de Fortaleza – UNIFOR) é um veículo de divulgação do Centro de Ciências da Comunicação e Gestão (CCG), que congrega os cursos de Administração, Contabilidade, Turismo, Comércio Exterior e Economia. Está ligada ao Programa de Pós-graduação em Administração de Empresas (PPGA), cujas linhas de pesquisa são Estratégia nas Organizações (ESO) e Estudos SocioAmbientais (ESA), refletindo essas linhas as áreas de interesse da revista.

A RCA é afiliada à Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC).

 

Políticas de Seção

Editorial

Revista Ciências Administrativas
ISSN (online) 2318-0722

A política editorial da Revista Ciências Administrativas (RCA) tem como abrangência a publicação de trabalhos científicos de reconhecido interesse no campo da Administração, Economia, Contabilidade, Turismo e Comércio Exterior.
Especificamente a RCA também tem interesse em trabalhos científicos nas linhas de pesquisa do Programa de Pós-Graduação Administração de Empresas (PPGA) da Universidade de Fortaleza, consolidadas nos seguintes eixos temáticos:

ESO - Estratégias Organizacionais
Esta linha abrange pesquisas vinculadas às temáticas: aspectos teóricos, formulação e processo, conhecimento, de negócios, corporativas, sustentabilidade e ética, empreendedorismo, cooperativas, negócios internacionais, modelagem e desempenho, perspectivas sociológicas, governo e desenvolvimento, envolvendo relações interorganizacionais e interações com o ambiente externo, nos focos nacional e internacional.

ESA - Estudos Socioambientais
Esta linha abrange pesquisas relacionadas à gestão social e ambiental nas esferas públicas, privadas e de organizações da sociedade civil, cobrindo investigações nas áreas de responsabilidade social, accountability, governança, arranjos produtivos locais, desenvolvimento local, desenvolvimento sustentável e sustentabilidade.

A Revista Ciências Administrativas - RCA tem por objetivos:
Contribuir para o aperfeiçoamento e atualização do conhecimento científico de discentes, docentes e profissionais envolvidos com as áreas de interesse da revista;
Publicar trabalhos originais que se enquadrem nas categorias: Artigos teórico-empírico, ensaios e casos de ensino.

Não verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Artigos

Os trabalhos encaminhados para publicação devem ser inéditos, não sendo permitida a sua apresentação simultânea em outro periódico, e devem ser encaminhados em fluxo contínuo. A revista receberá para publicação artigos redigidos em português, espanhol ou inglês, ficando os textos sob inteira responsabilidade dos autores, não refletindo obrigatoriamente a opinião do Conselho Superior de Editoração ou do Comitê de Editoração. Os originais serão submetidos à apreciação do Comitê de Editoração e ou consultores, que dispõem de plena autoridade para decidir sobre a conveniência de sua aceitação, podendo, inclusive, reapresentá-los aos autores com sugestões para que sejam feitas alterações necessárias no texto para que se adaptem às normas editoriais da Revista. Cada trabalho será apreciado por dois consultores, cujos nomes permanecerão em sigilo, omitindo-se também deles os nomes dos autores. Os trabalhos deverão vir acompanhados de uma carta do(s) autor (es), autorizando sua publicação na revista. Deverá constar, no final do trabalho, o endereço completo e e-mail de pelo menos um(a) autor(a), para o encaminhamento de correspondência pelos editores da revista.

Não verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Resenhas

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Editorial

Nesta segunda edição de 2017 temos os seguintes números: cinco artigos com uso de métodos quantitativos e três qualitativos, observando aqui uma supremacia dos métodos quanti. Sete artigos são teórico-empíricos, sendo um deles um estudo de caso, contra apenas um ensaio. Aqui se repete a esmagadora preferência por estudos teórico-empíricos. Dos oito trabalhos apresentados, um deles está em modo APA. Os autores brasileiros já começam a produzir trabalhos em modo APA objetivando uma visibilidade internacional. Quanto ao setor, quatro referem-se às organizações públicas, três a organizações privadas e um genérico, havendo um equilíbrio no binômio público-privado. Finalmente, quanto aos temas dois artigos tratam de comportamento do consumidor, sendo um deles na temática da espiritualização; os demais são divididos em gestão ambiental, finanças, contabilidade (transparência), ensino à distância, empreendedorismo e teoria neoinstitucional/ internacionalização.

Não verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Editorial

Nesta terceira edição de 2017, período set/dez/17, nossos leitores terão o prazer de ler oito artigos.
Quanto aos temas um se refere à inovação, outro ao empreendedorismo, um em modelagem organizacional
e cinco referentes à marketing (quatro de comportamento do consumidor e um de identidade visual).
Prevalece, então, neste número, a área de marketing. Quanto aos setores, seis focam na área privada e dois
na área pública, prevalecendo a primeira. Quanto às atividades os artigos estão distribuídos em serviços
de moda, consumo feminino, produtos falsificados de luxo, shoppings, facebook, judiciário e instituição
de ensino, mostrando diversidade. Todos os oito artigos estão escritos em língua portuguesa, apesar de
se saber que começa um tendência/motivação dos autores em escreverem em língua inglesa. No que se
refere ao modo de referenciar, dois artigos são escritos em modalidade APA e seis em ABNT, mas nota-se
que os autores começam a escrever em modo APA para poder ficarem mais alinhados com os artigos de
periódicos internacionais. Dos seis trabalhos cinco são surveys e dois são estudos de caso. O que se sabe
na literatura é o início de artigos experimentais, mas a predominância ainda é de estudos surveys. Dos oito
trabalhos, sete são teórico-empíricos e um é de caso de ensino. A RCA aceita caso de ensino e faz parte
de poucos periódicos nacionais que privilegiam esta modalidade. Dos trabalhos apresentados, cinco usam
metodologia quantitativa e três metodologia qualitativa, consolidando a preferência nacional em estudos
quantitativos, pelo menos em direção a essa modalidade. Esperamos que nossos leitores apreciem nossa
produção em 2017.

Não verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

EDITORIAL

Editorial.
Nesta primeira edição de 2018, período jan/abr/18, apresentamos oito artigos. Quanto às áreas de estudo, quatro são de finanças e os demais são dispostos em: sustentabilidade, administração da informação, recursos humanos e inovação, prevalecendo estudos financeiros nesta edição. Quanto aos temas tem-se na área de finanças (jogos de empresas, munificência, valor residual e análise estocástica). Os demais são divididos em capital social, gestão de TI, liderança e inovação disruptiva. Quanto aos setores, cinco são do setor privado, um público e privado, um exclusivamente do setor público e um do terceiro setor (ONG). Quanto às atividades elas são diversas (educação, terceiro setor, tecnologia da informação, empresas de capital aberto, indústria cosmética, siderurgia, hospitalar e geral). Todos os trabalhos foram escritos na língua portuguesa utilizando a ABNT como modalidade de formatação das citações e referências. Ressalta-se que a RCA atende a trabalhos em português, inglês e espanhol, e ainda na modalidade ABNT e APA. No aspecto metodológico, dois oito trabalhos, cinco são estudos de campo e três são estudos de casos, prevalecendo estudos de campo com a técnica survey. Quanto ao tipo de pesquisa, seis são teórico-empíricos e dois são casos de ensino, lembrando que a RCA recebe trabalhos teórico-empíricos, casos de ensino e ensaios. Finalmente, dos oito trabalhos, cinco utilizaram técnicas quantitativas, um foi do tipo quali-quanti (usando focus group no método quali) e um foi qualitativo (um dos estudos de caso), prevalecendo a técnica quantitativa da análise multivariada. Desejamos que nossos leitores possam apreciar os trabalhos aqui apresentados.

Não verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

EDITORIAL

Nesta segunda edição de 2018, período mai/ago/18, apresentamos oito artigos. Quanto às áreas de estudo, dois são de marketing, dois de inovação/economia criativa, um de gestão, um de recursos humanos, um de contabilidade e um responsabilidade social, prevalecendo estudos de marketing e inovação nesta edição. Quanto aos temas tem-se na área de marketing (consumer marketing theory/ comportamento do consumidor), na inovação (capacidade absortiva e avaliação de desempenho), gestão e recursos humanos (indicadores de avaliação de desempenho e valores pessoais e profissionais), na contabilidade (práticas de insolvência) e na responsabilidade social (práticas no terceiro setor). Dos oito trabalhos, quatro são referente ao setor privado, três são públicos e privados e um especificamente ao setor públicos (caso da IES). Quanto às atividades há uma diversidade sendo (geral, ovino, varejo, empresas na Bovespa, terceiro setor, Instituições de ensino, produtor cultural e secretariado). Todos os oito trabalhos foram escritos em português, sendo sete no modo ABNT e um no modo APA. Dos trabalhos publicados nesta edição seis são teórico-empíricos, um é ensaio e um caso de ensino. Finalmente, quanto às técnicas de análise, três usam técnicas quantitativas, três usam qualitativas e dois quali-quantitativas.
É de se esperar que a RCA comece a receber e publicar trabalhos em língua inglesa nos próximos números para que aceleremos nosso processo de internacionalização.

Não verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

EDITORIAL

Esta edição da RCA apresenta oito excelentes artigos que contribuem para diferentes áreas da Administração. O artigo “Uma proposta de modelo para as organizações em busca de inovação sustentável” de Maira Petrini e Fernando Valentim Pardo Eisele é um ensaio teórico que enfoca os conceitos de inovação e sustentabilidade, e ao final apresenta um modelo que identifica quatro tipos de inovação sustentável, a inercial, a ampliada, a focada e a propagada.
O artigo “Empreendedor Social: entre a educação formal e não formal” de Lucimar da Silva Itelvino, Priscila Rezende da Costa, Maria da Gloria Marcondes Gohn e Claudio Ramacciotti apresenta uma pesquisa qualitativa que contempla a análise de 59 histórias de vida de empreendedores sociais, concluindo que as atitudes do empreendedor social são construídas e renovadas continuamente durante a vida, e que estão mais conectadas com um senso de pertencimento e atuação cidadã, do que com questões financeiras ou de carreira profissional.
O trabalho “A economia criativa sob a ótica das redes sociais dos produtores culturais de Brasília” de Edgar Reyes Junior, Fagner Dias e Renata Gomes teve o objetivo de realizar o mapeamento e a análise das relações e interações sociais na produção cultural de Brasília, utilizando a figura do produtor cultural como objeto de análise. A partir de um estudo quali-quanti observou-se uma rede com 534 atores em toda cadeia produtiva, e ao final contribuições para a carreira do produtor cultural, bem como para os tomadores de decisão de políticas públicas na área da economia criativa.
O artigo “Inteligência emocional do funcionário como substituto da liderança transformacional” de Juliano Domingues, Jéssica Santos Pereira, Thaynara Maísa Silva, Ana Tereza Freitas Delapedra e Isabela Silva Pontes propõe que a inteligência emocional é uma característica do subordinado com potencial para substituir o líder transformacional. Uma pesquisa quantitativa foi realizada com 163 funcionários, e os resultados mostram que tanto a liderança transformacional, quanto a inteligência emocional do funcionário aumentam o engajamento, desempenho e satisfação no trabalho.
O trabalho “Estilos individuais de aprendizagem e atitude empreendedora: estabelecendo relações entre os construtos” de Jefferson Menezes de Oliveira, Vania de Fátima Barros Estivalete, Jaime Peixoto
Stecca e Italo Fernando Minello empreendeu uma pesquisa quantitativa com o objetivo de avaliar o modo como os trabalhadores do setor público aprendem, e identificar os estilos de aprendizagem predominantes, e sua relação com a atitude empreendedora. Ao final, os resultados apontaram que estilo de aprendizagem individual predominante é o chamado convergente.
Além desses artigos, essa edição apresenta três artigos finalistas de uma edição especial resultado de um Paper Development Workshop (PDW) realizado durante o I Encontro de Pesquisa em Estratégia e Sustentabilidade (EPES) no ano de 2017. Este evento discutiu a temática da gestão da sustentabilidade em cadeias de suprimentos e resultou na chamada “Estratégias de sustentabilidade em cadeias de produção e suprimentos: evidências de países em desenvolvimento”. Os organizadores da chamada foram a professora Dra. Daiane Neutzling da UNIFOR e o professor Dr. Vikas Kumar da University of West of England (Reino Unido).
Desta forma, o artigo “Understanding sustainable supply chain coordination: a review of publications in Brazilian journals” de Ana Paula Ferreira Alves, Glauco Schultz e Márcia Dutra de Barcellos explora como a coordenação das cadeias de suprimentos sustentáveis é abordada e compreendida em publicações brasileiras.
Os autores apresentam uma análise bibliométrica e análise de conteúdo de publicações nacionais de revistas de extrato A2 (61 artigos). Os resultados mostraram que em geral, a coordenação da cadeia de suprimentos é destacada como um benefício para as empresas focais manterem o controle de estratégias e operações sustentáveis e que a indicação dos benefícios econômicos se sobressai nas publicações investigadas.
O artigo “Social sustainability in supply chains: clarifications and insights” de Dafne Oliveira Carlos de Morais e José Carlos Barbieri problematiza a dimensão social nas pesquisas aplicadas as cadeias de suprimentos sustentáveis debatendo o predomínio histórico das questões ambientais e econômicas. Desta forma, o artigo visa fornecer uma explicação teórica para a adoção da sustentabilidade social na cadeia de suprimentos. Trata-se de um ensaio teórico que explora questões sociais e mecanismos de governança na gestão das cadeias de suprimentos e apresenta um quadro para adoção e gestão da sustentabilidade social em cadeias de suprimentos, considerando três teorias orientadoras: Teoria dos Stakeholders, Teoria Comportamental e Teoria da Contingência. A fim de colaborar com uma agenda de pesquisa futura para o campo, são abordadas lacunas de pesquisa com foco na dimensão social.
Por fim, o artigo “Farmers’ attitudes towards participation in short food supply chains: evidence from a Chinese field research” de Meng Wang, Vikas Kumar, Ximing Ruan e Daiane Mulling Neutzling apresenta uma pesquisa empírica no contexto de cadeias curtas de suprimentos ou short food supply chains (SFSC). O estudo teve como objetivo investigar as atitudes dos agricultores em relação à participação em cadeias curtas de suprimentos de alimentos na China. Os autores apresentam que as evidências empíricas das SFSCs na literatura são em sua grande maioria de países desenvolvidos e, portanto, são pertinentes estudos sobre SFSCs no contexto dos países em desenvolvimento, os quais são ainda bastante limitados. Entrevistas semi-estruturadas foram implementadas com oito participantes num estudo piloto aplicado a agricultores de uma comunidade rural na província de Henan, região centro-leste da China. Os resultados mostram que as razões sociais e econômicas são as principais motivações dos agricultores chineses que participam em SFSCs. No entanto, os participantes não se mostraram cientes dos efeitos ambientais das SFSCs. Além disso, os resultados foram comparação cruzada com estudos existentes realizados em países desenvolvidos problematizando as diferenças com relação a conhecimento dos agricultores e o apoio governamental para
o desenvolvimento destas cadeias.
Convidamos todos a apreciar esta edição da RCA! Boa leitura!
José Milton de Sousa-Filho
Editor-Chefe
Daiane Mulling Neuztling
Editora Convidada – Edição Especial I EPES

Não verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares
 

Processo de Avaliação pelos Pares

Cada trabalho será apreciado inicialmente pelos editores da revista (desk review), que examinarão se o tema está inserido na linha editorial, se o trabalho tem merecimento de ir à frente para o sistema de avaliação e se o trabalho atende às normas da Revista.
Uma vez enquadrado no escopo da revista, o artigo é encaminhado para dois avaliadores doutores (double review) na especialidade inerente, sem os nomes dos autores (blind-review).
O artigo será devolvido pelos avaliadores indicando aprovação, aprovação com ressalvas ou reprovação. Caso um dos autores reprove e outro autor aprove ou aprove com ressalvas, o trabalho será encaminhado para um terceiro avaliador.
Antes da publicação o artigo é revisado nos quesitos formatação (ABNT ou APA) e gramática.
Atualmente, em média, os artigos estão sendo avaliados em até três meses, devido aos possíveis atrasos de avaliação e à demanda para este veículo. Para decisão final para publicação o tempo estimado é de até seis meses.

 

Periodicidade

A partir de 2017 Quadrimestral.

 

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

 

Arquivamento

Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. Saiba mais...

 

Indexadores

DOAJ
EBSCO
GOOGLE SCHOLAR
LOCKSS
QUALIS CAPES
REDALYC
REDIB
SPELL
SUMÁRIOS.ORG

 

Diretórios

DIADORIM IBICT
DOI
LATINDEX