Redes de relacionamento e perenidade das empresas de base tecnológica - um estudo exploratório

Renato Fonseca de Andrade, Ana Lúcia Vitale Torkomian

Resumo


As empresas inovadoras que têm relação estreita com tecnologia, especialmente quando o objetivo é desenvolver novos produtos, são chamadas de Empresas de Base Tecnológica – EBTs. Estas empresas, muitas vezes, originam-se em universidades e institutos de pesquisa e, em países como o Brasil, estão sujeitas às fragilidades de um ambiente institucional complexo e a um sistema de inovação em construção. Neste contexto, o presente estudo tem a finalidade de investigar a possibilidade de haver uma relação entre a perenidade de EBTs e as redes de relacionamentos formadas ao longo de sua existência. Para isso, realizou-se investigação de caráter longitudinal e exploratório, em EBTs fabricantes de produtos médico-odontológicos. A abordagem sobre redes baseia-se na teoria neo institucionalista que, ao contrário da teoria econômica clássica, considera a influência de aspectos sociais e institucionais na Economia. O estudo justifica-se pela necessidade da compreensão de dinâmicas organizacionais relacionadas ao conhecimento e à inovação, em países em desenvolvimento. O texto apresenta,
esquematicamente, as redes colaborativas formais e/ou informais, estabelecidas desde o início das empresas e a principal conclusão é de que existem indícios de relações entre as características destas redes e a perenidade das EBTs estudadas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5020/2318-0722.14.1.%25p

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Ciências Administrativas, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2318-0722

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia