Sistemas de inovação e arranjos produtivos locais: novas estratégias para promover a geração, aquisição e difusão de conhecimentos

Helena M. M. Lastres, José Eduardo Cassiolato

Resumo


A transição de milênio caracteriza-se pela alta intensidade de mudanças de grande importância e impactos econômicos, políticos e sociais. A emergência de uma sociedade, era ou economia do conhecimento apresenta um conjunto de portunidades e desafios para países, regiões, organizações e indivíduos. O novo padrão de acumulação, marcado por uma ainda maior intensidade do uso de informações e conhecimentos, baseia-se em novas práticas de produção, comercialização e consumo de bens e serviços, novas competências e infra-estruturas, assim como novas formas de inovar. Tudo isto, evidentemente, acompanhado de mudanças
significativas nas formas de gestão e de organização, implicando em maior integração e novos padrões de cooperação e competição entre os agentes. Dentro deste quadro, são analisadas as especificidades do atual processo de acumulação, as novas hierarquias
geopolíticas e o papel do Estado ante a globalização; assim como os atuais requisitos para geração, aquisição e difusão de conhecimentos e inovações. Discute-se também a necessidade de enfoques conceituais, metodológicos e analítico-propositivos
que orientem as novas estratégias e políticas para o enfrentamento dos atuais desafios e oportunidades. O trabalho finaliza explorando as especificidades e vantagens dos conceitos de sistema de inovação e arranjos produtivos locais

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5020/2318-0722.9.2.%25p

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Ciências Administrativas, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2318-0722

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia