Considerações sobre a formação da cultura empreendedora dentro da universidade

Roberto Araújo Nascimento Cunha, Pedro José Steiner Neto

Resumo


A lógica do raciocínio educacional permite adotar prerrogativa do potencial formador da postura empreendedora por parte
da universidade, uma vez que a disposição para empreender pode ser substancialmente alterada pelo meio ambiente (Cohen,
2000). Torna-se, portanto, vital identificar quais os aspectos ou características ambientais da universidade são catalisadores
do processo de formação de empreendedores, através de apoio estrutural e suporte pedagógico ao perfil empreendedor dos
estudantes. Sob essa ótica, este artigo relaciona como os projetos pedagógicos, as percepções dos coordenadores, professores e alunos estão relacionados à formação da cultura empreendedora dentro da Universidade. Em pesquisa survey conduzida entre 279 alunos do curso de Administração e ciências Contábeis de quatro diferentes faculdades, em Curitiba, no ano de 2004, identificou-se até que ponto, na percepção dos alunos, as estratégias de ensino-aprendizagem influenciam a formação do caráter empreendedor e como as características do perfil empreendedor são exercitadas no curso do qual fazem parte. Os resultados sugerem, apesar de um similar direcionamento teórico dos projetos pedagógicos, que os alunos têm percepções diferentes, especialmente no tocante à formação empreendedora.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5020/2318-0722.11.1.%25p

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Ciências Administrativas, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2318-0722

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia