Incubadora tecnológica de cooperativa x incubadora de empresas de base tecnológica:

Maria Carolina de Azevedo Ferreira Ferreira de Souza, Alessandra Azevedo, Luiz José Rodrigues Oliveira, Luiz José Rodrigues Oliveira, Nguyen Tufino Baldeón

Resumo


As incubadoras tecnológicas de cooperativas populares surgem no Brasil a partir de 1996, na Universidade Federal do Rio de
Janeiro/Brasil, com o objetivo de transferir conhecimentos tecnológicos, seja de gestão, produto ou processo para a população excluída econômica e socialmente. Atualmente, existem 21 universidades no Brasil que possuem incubadoras tecnológicas de cooperativas populares. O trabalho de resgate da cidadania dos trabalhadores e a viabilização dos seus negócios geridos de forma autogestionária estão obtendo êxito e fortalecendo o movimento de economia solidária no Brasil. As semelhanças e diferenças encontradas nas incubadoras de bases tecnológicas, que também na sua maioria estão situadas em universidades, permitem um campo vasto para debates. Este trabalho visa comparar ferramentas de incubação de cooperativas populares e de empresas, identificando especificidades e possíveis intersecções, além do papel exercido por elas na universidade. Vamos apresentar o caso das incubadoras da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5020/2318-0722.12.1.%25p

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Ciências Administrativas, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2318-0722

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia