O Processo de internacionalização de empresas sob uma ótica contextualista:

Julio Cesar Schmitt Neto, Cínthia Regina Corrêa, Everton Luis Pellizzaro de Lorenzi Cancellier

Resumo


A principal motivação para a realização deste trabalho foi a de proporcionar uma contribuição científica para a área de gestão
de negócios internacionais, no sentido de promover a realização de uma pesquisa sobre internacionalização de empresas com
uma perspectiva diacrônica, compreendendo a preocupação com a evolução do fenômeno ao longo do tempo. Nesse sentido,
o presente trabalho objetivou analisar, sob uma ótica contextualista, o processo de internacionalização de duas empresas produtoras e exportadoras brasileiras. Selecionou-se a Cerâmica Portobello S/A e a Indústria Artefama S/A, como objetos deste estudo de caso. A metodologia utilizada na pesquisa foi qualitativa, de caráter descritivo. Identificou-se, com base no modelo Kraus (2000), as fases dos processos de internacionalização das empresas, sendo revelado que, apesar de pouco provável, as duas empresas saltaram fases. Foram verificados ainda os fatores contextuais que motivaram as mudanças de fases, tanto no contexto interno quanto no externo, e as dificuldades enfrentadas pelas empresas em cada uma das fases. Os dados revelaram uma forte interferência do governo na maioria das fases do processo de internacionalização. Sugere-se uma ampliação do modelo Kraus, no sentido de contemplar a evolução do comprometimento das atividades internacionais, no que se refere ao investimento direto no exterior

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5020/2318-0722.12.2.%25p

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Ciências Administrativas, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2318-0722

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia