Estratégias de internacionalização e a formação dos gestores

Felipe Mendes Borini

Resumo


O objetivo desse artigo é determinar quais as diretrizes que precisam ser incluídas e modificadas para o ensino da estratégia num cenário de internacionalização. Em outras palavras, será que os recém administradores recebem toda uma carga de ensino e práticas gerenciais adequadas
para atuar nas empresas globais de hoje (subsidiárias estrangeiras no país) e nas empresas globais de amanhã (subsidiárias de empresas brasileiras no exterior)? Uma primeira etapa do estudo verificou a atuação das multinacionais no país, os principais e mais recentes resultados de pesquisa em termos de gerenciamento das empresas multinacionais e a importância do estudo da cultura nacional para a inserção num mundo globalizado. Ainda dentro desse último, traz a idéia da antropofagia organizacional para compreender e melhor gerenciar
as multinacionais, assim como para garantir uma internacionalização qualificada de nosso ensino. Desse modo, por meio desses assuntos são norteadas algumas diretrizes para o ensino da estratégia organizacional com vistas à internacionalização, mas baseado numa metodologia
antropofágica. Assim, foram desenvolvidas as competências a serem discutidas e incluídas nos currículos do ensino da estratégia organizacional.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5020/2318-0722.15.1.%25p

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Ciências Administrativas, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2318-0722

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia