A economia criativa sob a ótica das redes sociais dos produtores culturais de Brasília

Edgar Reyes Junior, Fagner Dias, Renata Gomes

Resumo


Na Análise de Redes Sociais (ARS) podemos mapear e analisar conexões entre atores em um coletivo. Essas conexões, aqui vistas como as relações interpessoais, podem ser fruto de relações profissionais ou vice e versa. Por isso, este estudo objetiva o mapeamento e análise das interações sociais na produção cultural do Distrito Federal (DF). Para tal foram consideradas as teorias sobre economia criativa, o setor criativo no Brasil, as funções do produtor cultural e a teoria de redes sociais. Metodologicamente, esse estudo é exploratório-descritivo, de cunho quali-quantitativo. O instrumento de coleta de dados foi entrevista com 29 questões abertas e 19 fechadas, aplicado a 40 produtores culturais do DF por meio do método bola de neve. Como resultados, destaca-se que foi traçado o perfil sociodemográfico dos produtores, desempenho de suas empresas e identificação das características dos atores centrais da rede. A partir dessa base, observou-se a formação de uma rede com 534 atores, em que os produtores culturais do DF se ligam a uma rede sólida permeada por outros profissionais atuantes na cadeia produtiva da cultura, com diferentes subgrupos de interesse.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Ciências Administrativas, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2318-0722

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia