A compreensão de accountability nas rotinas organizacionais de controles internos

Denise Saboia Medeiros Vidal, Sandra Regina da Rocha-Pinto

Resumo


O presente estudo objetivou investigar como os profissionais compreendem a incorporação da accountability nas rotinas de controles internos. A partir de uma abordagem fenomenográfica (MARTON, 1991) entrevistaram-se 20 profissionais - agentes de Controles Internos em uma seguradora -, no Rio de Janeiro, entre agosto a setembro de 2017. O Espaço de Resultado gerado por meio do método fenomenográfico, ilustra três concepções do fenômeno: respeitar os artefatos; qualificar as rotinas e; proteger a organização. As dimensões explicativas dessas concepções foram identificadas de acordo com seguintes categorias: deferência à transparência; intensidade da interação dos aspectos; senso de responsabilidade e respeito ao controle. Os achados sugerem que há uma evolução das concepções do nível instrumental à percepção de valor. As evidências revelam profissionais com uma percepção significativa de responsabilidade nas rotinas de controles internos. O estudo traz à luz a relação entre a melhoria dos processos e a intensidade da interação entre os aspectos ostensivo e performativo de uma rotina organizacional, contribuindo para ilustrar os componentes da estrutura interna de uma Rotina Organizacional (PENTLAND; FELDMAN, 2005). Acredita-se que se atendeu à convocação de Howard-Grenville e Rerup (2016), no sentido de que sejam conduzidas mais pesquisas empíricas, com emprego de metodologias diferenciadas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5020/2318-0722.2020.8095

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Ciências Administrativas, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2318-0722

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia