As Diferenças Disposicionais na Relação entre o Público Lojista e a Administração de um Centro de Compras no Agreste Pernambucano

Thibério Leandro Duarte Martins, Marcio Gomes de Sá, Denise Clementino Souza

Resumo


O presente estudo, realizado em um dos centros de compra situados no Agreste do estado de Pernambuco (Nordeste brasileiro), tem como objetivo compreender e demonstrar as principais diferenças disposicionais que dificultam a relação entre o público lojista e a administração do referido centro. A partir da noção bourdieusiana de habitus foram analisadas informações elaboradas a partir de questionários aplicados junto a 159 proprietários de negócios e gerentes/responsáveis, além de observações de campo de inspiração etnográfica. Também foram feitas entrevistas semiestruturadas e um grupo focal com o corpo gerencial do centro de compras. Os resultados apontam que os gestores do empreendimento apresentam disposições voltadas para o mercado convencional, visam à expansão e prezam pela formalidade; enquanto que os lojistas mantêm disposições associadas ao comércio de feira de rua, atuando com objetivo da sobrevivência e imbuídos da informalidade. Essas diferenças geram conflitos nas relações, que foram elaboradas e explicitadas a partir da origem e trajetória profissional, relação com o espaço, comunicação e visão do negócio.

Palavras-chave


agreste das confecções. centros de compra. público lojista. habitus. tendências disposicionais.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ANDRADE, Tabira de Souza. A estrutura institucional do APL de confecções do agreste pernambucano e seus reflexos sobre a cooperação e inovação: o caso do município de Toritama. 2008. 219 f. Dissertação (Mestrado em Economia) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2008.

BARANGER, Denis. Epistemología y metodología en la obra de Pierre Bourdieu. Buenos Aires: Prometeo Libros, 2012.

BOURDIEU, Pierre. A distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: Edusp; Porto Alegre: Zouk, 2007.

BOURDIEU, Pierre. A gênese dos conceitos de habitus e de campo. In: BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Lisboa: Difel; Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989. p. 59-53.

BOURDIEU, Pierre. Esboço de uma teoria da prática. In: ORTIZ, R. (org.). Pierre Bourdieu: sociologia. São Paulo: Ática, 1994. p. 7-35

BOURDIEU, Pierre. Meanwhile, I have come to know all the diseases of sociological understanding: an interview with Pierre Bourdieu, by Beate Krais. In: BOURDIEU, Pierre. et al. The Craft of Sociology: epistemological preliminaries. Berlin: Walter de Gruyter, 1991. p. 247-260.

BOURDIEU, Pierre. O desencantamento do mundo: estruturas econômicas e estruturas temporais. São Paulo: Perspectiva, 1979.

BOURDIEU, Pierre; WACQUANT, Loïc. An invitation to reflexive sociology. Chicago: The University of Chicago Press, 1992.

BRUBAKER, Rogers. Social theory as habitus. In: CALHOUN, C. et al. (org.). Bourdieu: critical perspectives. Cambridge: Polity Press, 1993. p. 212-234.

CABRAL, Romilson M. Relações possíveis entre empreendedorismo, arranjos organizacionais e institucionais: estudo de casos múltiplos no pólo de confecções do agreste pernambucano. 2007. Tese (Doutorado em Administração) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2007.

GEERTZ, Cliford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 2008.

GOMES, Sueli de Castro. Do comércio de retalhos à feira da sulanca: uma inserção de migrantes em São Paulo. 2002. Dissertação (Mestrado em Geografia Humana) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

INEP. Censo escolar da educação básica 2016 notas estatísticas. Brasília: Inep, 2017.

LAHIRE, Bernard. Champ, hors-champ, contrechamp. In: LAHIRE, Bernard (org.). Le travail sociologique de Pierre Bourdieu: dettes e critiques. Paris: La Découverte, 2001. p. 23-57.

LAHIRE, Bernard. O homem plural. Lisboa: Instituto Piaget, 2003.

LAHIRE, Bernard. Por uma sociologia disposicionalista e contextualista da ação. In: JUNQUEIRA, Lilia (org.). Cultura e classes sociais na perspectiva disposicionalista. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2010. p. 17-36.

LIMA, Mariana Cavalcanti Pincovsky de. A metamorfose do belo: uma análise do setor de confecção no agreste Pernambuco. 2010. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.

LIRA, Sonia Maria de. O desenvolvimento do aglomerado de micro e pequenas indústrias de confecções do Agreste/PE: as suas inter-relações socioespaciais. Recife: UFPE, 2009.

LIRA, Sonia Maria de. Os aglomerados de micro e pequenas indústrias de confecções do agreste/PE: um espaço construído na luta pela sobrevivência. Revista de Geografia, Recife, v. 23, n. 1, p. 98-114, 2008.

LUCENA, Marcus Vinícius Medeiros; OLIVEIRA, Brigitte Renata Bezerra. Formação de estratégias competitivas no cluster de confecções de Santa Cruz do Capibaribe. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 26., Fortaleza. Anais [...]. Fortaleza: [s. n.], 2006. p. 1-8.

MATTOS, Pedro Lincoln C. L. A entrevista não-estruturada como forma de conversação: razões e sugestões para sua análise. Revista Brasileira de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 39, n. 4, p. 823-847, jan. 2005.

MILANÊS, Renata Bezerra. Uma experiência de desenvolvimento econômico e industrial sem amparo e protecionismo estatal: o caso do Polo de Confecções do Agreste de Pernambuco. In: CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE HISTÓRIA ECONÔMICA, 5.; ENCONTRO DE PÓS GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA ECONÔMICA, 7., 2014, Niterói. Anais [...]. Niterói: [s. n.], 2014.

NOGUEIRA, Cláudio Martins. Escolha racional ou disposições incorporadas: diferentes referenciais teóricos na análise sociológica do processo de escolha dos estudos superiores. Estudos de Sociologia, [S. l.], v. 2, n. 18, 2012.

PEREIRA, Virgílio Borges. Prefácio. In: SÁ, Marcio. Filhos das feiras: uma composição do campo de negocios agreste. Recife: Massangana, 2018.

QUEIROZ, Ligivania da Silva de. Moda Center Santa Cruz - PE: uma análise sobre a dinâmica do comércio de confecções e suas implicações socioespaciais entre os trabalhadores do calçadão. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Geografia) - Universidade Estadual da Paraiba, Campina Grande, 2016.

ROBBINS, Derek. The socio-genesis of the thinking instruments. In: ROBBINS, Derek. Bourdieu and culture. Londres: Sage, 2000.

SÁ, Marcio. Feirantes: quem são? como administram seus negócios?. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 34., 2010. Anais [...]. Rio de Janeiro: EnANPAD, 2010. p. 1-17.

SÁ, Marcio. Feirantes: quem são e como administram seus negócios. 3. ed. Recife: UFPE, 2019.

SÁ, Marcio. Filhos das feiras: uma composição do campo de negócios agreste. Recife: Massangana-Fundaj, 2018.

SÁ, Marcio. Os filhos das feiras e o campo de negócios agreste. 2015. Tese (Doutorado em Sociologia) - Universidade do Minho, Braga, 2015.

SANTORO, Marco. Putting Bourdieu in the Global Field. Sociologica. [S. l.], v. 2, 2008.

SEBRAE. Estudo de caracterização econômica do Pólo de Confecções do Agreste de Pernambuco. Recife: FADE/UFPE/SEBRAE, 2003.

SEBRAE. Estudo econômico do arranjo produtivo local de confecções do Agreste Pernambucano, 2012: relatório final. Recife: SEBRAE, 2013.

SETTON, Maria da Graça Jacintho. A teoria do habitus em Pierre Bourdieu: uma leitura contemporânea. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n. 20, p. 60 -70, maio/ago. 2002.

TAYLOR, Charles. Seguir uma regra. In: TAYLOR, Charles. Argumentos filosóficos. São Paulo: Edições Loyola, 2000.

VÉRAS DE OLIVEIRA, Roberto; BRAGA, Bruno Mota. Território comercial de Toritama: persistência e metamorfoses da informalidade. Politica & Trabalho, [S. l.], v. 2, n. 41, p. 193-225, out. 2014.

VÉRAS DE OLIVEIRA, Roberto. O Polo de Confecções do Agreste de Pernambuco: ensaiando uma perspectiva de abordagem. Formas de trabalho no capitalismo atual: condições precárias e possibilidades de reinvenção. São Paulo: Annablume, 2011.

WACQUANT, Loïc. Esclarecer o habitus. Educação & Linguagem, [S. l.], v. 10, n. 16, p. 63-71, jul./dez. 2007.

WACQUANT, Loïc. Habitus (Verbete). In: CATANI, A. M. et al. (org.) Vocabulário Bourdieu. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017, p. 213-217.

WACQUANT, Loïc. Preface. In: BOURDIEU, Pierre; WACQUANT, Loïc. (org.). An Invitation to Reflexive Sociology. Chicago: The University of Chicago Press, 1992.

WACQUANT, Loïc. Seguindo Bourdieu no campo. Revista Sociologia e Política. Curitiba, v. 26, p. 13-29, 2006.

XAVIER, Maria Gilca P. O processo de produção do espaço urbano em economia retardatária: a aglomeração produtiva de Santa Cruz do Capibaribe (1960-2000). 2006. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Urbano) - Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006.




DOI: https://doi.org/10.5020/2318-0722.2020.26.2.10064

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Ciências Administrativas, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2318-0722

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia