Justiça Organizacional: Análise Empírica da Percepção de Bancários do Setor Público e Privado

Tarízi Cioccari Gomes, Vania de Fátima Barros Estivalete, Amanda Oliveira Ramadam

Resumo


O propósito deste estudo foi analisar a percepção de justiça organizacional segundo os colaboradores que atuam em bancos públicos e privados de uma cidade do interior do estado do Rio Grande do Sul, no Brasil. Para alcançar esse objetivo, participaram da pesquisa 339 trabalhadores das organizações do setor bancário público e privado dessa cidade. O método de pesquisa adotado foi quantitativo, utilizando-se como instrumento de pesquisa o questionário estruturado validado de Mendonça, Pereira, Tamayo e Paz (2003), denominado Escala de Percepção de Justiça Organizacional. Os resultados deste estudo demonstraram que há maior percepção de justiça em bancos privados. Por outro lado, foi identificado que, em ambos os setores, houve maior percepção de justiça na dimensão interacional. Dessa forma, sugere-se uma maior preocupação dos gestores em relação às práticas organizacionais, a fim de obter melhoria na percepção de justiça dos colaboradores e evitar problemas futuros decorrentes dessa constatação.

Palavras-chave


justiça organizacional. bancos. percepção. colaboradores.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALMEIDA, G. O.; SILVA, A. M. M. Justiça organizacional, impactos no burnout e o comprometimento dos trabalhadores. Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, [S. l.], v. 4, n. 2, p. 160-175, 2006. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/gestaoorg/article/view/21591/18285. Acesso em: 20 ago. 2019.

Al-Zu’bi, H. A. A study of relationship between organizational justice and job satisfaction. International Journal of Business and Management, [S. l.] v. 5, n. 12, p. 102-109, 2010. DOI: 10.5539/ijbm.v5n12p102

ANDRADE, A. Ocorrência e controle subjetivo do stress na percepção de bancários ativos e sedentários; a importância do sujeito na relação “atividade física e saúde”. 2001. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2001.

ANDRADE, S. M. Percepção de justiça distributiva no clima organizacional – um estudo sobre organizações brasileiras que buscam se destacar pela qualidade do ambiente de trabalho. 2010. Dissertação (Mestrado em Administração) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

ASLAM, R.; SADAQAT, S. Investigating the relationship of organizational justice on organizational citizenship behavior among teaching staff of university of the punjab, European Journal of Scientific Research, [S. l.], v. 57, n. 1, p. 53-67, 2011.

ASSMAR, E. M. L.; FERREIRA, M. C.; SOUTO, S. O. Justiça organizacional: uma revisão crítica da literatura. Psicologia: Reflexão e Crítica. [S. l.], v. 18, n. 3, p. 443-453, 2005.

BALVEN, R.; FENTERS, V.; SIEGEL, D. S.; WALDMAN, D. Academic entrepreneurship: the roles of identity, motivation, championing, education, work-life balance, and organizational justice. Academy of Management Perspectives, [S. l.], v. 32, n. 1, p. 21-42, 2018.

BHATLA, N. The effect of dimensions of the organizational citizenship behavior on performance of employees in finance sector with special reference to banking sector in lucknow. Asian Journal of Multidisciplinary Studies. [S. l.], v. 5, n. 4, 2017.

BOTELHO, R. D.; PAIVA, K. C. M. Comprometimento organizacional: um estudo no Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais. Revista de Administração Pública – RAP, Rio de Janeiro, v. 45, n. 5, p. 249-283, set/out. 2011.

BRASIL. Lei n. 4.595, de 31 de dezembro de 1964. Dispõe sobre a política e as instituições monetárias, bancárias e creditícias, cria o Conselho Monetário Nacional e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 1964. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l4595.htm. Acesso em: 01 jun. 2019.

CAMARGO, P. O. A evolução recente do setor bancário no Brasil. São Paulo: Ed. UNESP, 2009.

CERIBELI, H. B.; FERREIRA, F. J. R.; BOTELHO, A. A. Análise da relação entre oportunidades de crescimento profissional, percepção de justiça dos funcionários e intenção de permanência na organização. Revista Globalización, Competitividad y Governabilidad, [S. l.], v. 11, n. 3, p. 111-130, 2017.

COETZEE, M. The fairness of affirmative action: an organisational justice perspective. 2005. Tese (Doutorado em Gestão de Recursos Humanos) - Faculty of Economic and Management Sciences, University of Pretoria, Pretoria, 2005.

DEMO, G. Políticas de gestão de pessoas nas organizações: papel dos valores pessoais e da justiça organizacional. 2. ed. São Paulo: Atlas. 2008.

DUTRA, J. S. Gestão de pessoas: modelo, processos, tendências e perspectivas. São Paulo: Atlas, 2002.

FILENGA, D.; SIQUEIRA, M. M. M. O impacto de percepções de justiça em três bases de comprometimento organizacional. Revista de Administração, [S. l.], v. 41, n. 4, p. 431-441, 2006.

FIUZA, G. D. Políticas de gestão de pessoas, valores pessoais e justiça organizacional. Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 11, n. 5, p. 55-81, set./out. 2010.

GOMES, T. C.; ESTIVALETE, V. F. B.; RAMADAM, A. O. Justiça organizacional e o estresse no trabalho de bancários. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, [S. l.] v. 20, n. 2, p. 994-1000, 2020.

GREENBERG, J. Stealing in the name of justice: informational and interpersonal moderators of theft reactions to underpayment inequity. Organizational Behavior and Human Decision Processes, [S. l.], v. 54, p. 81–103, 1993.

GRISCI, C. L. I.; BESSI, V. G. Modos de trabalhar e de ser na reestruturação bancária. Sociologias, v. 6, n. 12, p. 160-200, 2004.

GRISCI, C. L. I.; SCALCO, P. D.; KRUTER, G. E. Dilemas pessoais no trabalho imaterial bancário. Psicologia & Sociedade, [S. l.], v. 23, n. 3, p. 564-573, 2011.

HAIR, J.; BABIN, B.; MONEY, A.; SAMOUEL, P. Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman, 2005.

HÖFFE, O. O que é justiça? Tradução Peter Naumann. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003.

KLEIN, L. A percepção de justiça organizacional em contratos de incentivos e seu efeito na congruência entre objetivos pessoais e organizacionais. 2017. Tese (Doutorado em Contabilidade e Finanças) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2017.

LIPP, M. E. N (org.) Pesquisas sobre stress no Brasil: saúde, ocupações e grupos de risco. 2. ed. São Paulo: Papirus, 1996.

LIPPONEN, J.; STEFFENS, N.K.; HOLTZ, B. C. Prototypical supervisors shape lay-off victims’ experiences of top management justice and organizational support. Journal of Occupational and Organizational Psychology, [S. l.], v. 91, n. 1, p. 158-180, Mar. 2017. DOI: 10.1111/joop.12197

MARQUES, G. S.; GIONGO, C. R. Trabalhadores bancários em sofrimento: uma análise da literatura nacional. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, [S. l.], v. 16, n. 3, p. 220-235, 2016. DOI: 10.17652/rpot/2016.3.704

MEIRELES, I. A. C. O impacto das percepções de justiça organizacional sobre as vivências de prazer e sofrimento no trabalho. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2006.

MENDONÇA, H. Retaliação organizacional: o impacto dos valores e da justiça. 2003.Tese (Doutorado em Psicologia) - Universidade de Brasília, Brasília, 2003.

MENDONÇA, H.; MENDES, A. M. Experiências de injustiça, sofrimento e retaliação no contexto de uma organização pública do estado de Goiás. Psicologia em Estudo, [S. l.], v.10, n. 3, p. 489-498, 2005.

MENDONÇA, H.; PEREIRA, C.; TAMAYO, A.; PAZ, M. G. T. Validação fatorial de uma escala de percepção de justiça organizacional. Estudos: Saúde e Vida, [S. l.], v. 30, n. 1, p. 111-130, 2003.

METZNER, T. D.; MATIAS, A. B. O setor bancário brasileiro de 1990 a 2010. São Paulo: Manole, 2015. Disponível em https://books.google.com.br/books?id=g6YjCQAAQBAJ. Acesso em: 01 jun. 2019.

MOHAMED, W. M. W. Corporate governance practices of the middle east banking sector: a comparative analysis between islamic and conventional banks. Journal of Finance and Bank Management, [S. l.], v. 4, n. 1, p. 99-111, 2016.

PAN, X.; CHEN, M.; HAO, Z.; BI, W. The effects of organizational justice on positive organizational behavior: evidence from a large-sample survey and a situational experiment. Frontiers in Psychology, [S. l.], v. 8, n. 2315, p. 1-16, 2018. DOI: 10.3389/fpsyg.2017.02315

POOLE, W. L. Organizational justice as a framework for understanding union-management relations in education. Canadian Journal of Education, [S. l.], v. 30, n. 3, p. 725-748, 2007.

RAWLS, J. Uma teoria da justiça. 3 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

REGO, A. Comprometimento afectivo dos membros organizacionais: o papel das percepções de justiça. Revista de Administração Contemporânea, [S. l.], v. 6, n. 2, p. 209-241, 2002.

REIS, A. L. P. P.; FERNANDES, S. R. P.; GOMES, A. F. Estresse e fatores psicossociais. Psicologia Ciência e Profissão, [S. l.], n. 30, v. 4, p. 712-725, 2010.

RIBEIRO, C. I. M. Cultura organizacional: a relação entre justiça e comprometimento organizacional em uma organização multinacional. 2006. Dissertação (Mestrado em Gestão e Estratégia em Negócios) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006.

SAMPIERI, R. H.; COLLADO, C. F.; LUCIO, M. P. B. Metodología de la investigation. México: McGraw-Hill, 1991.

SCHNEIDER, A. M. M. Características de personalidade em bancários vítimas de assalto. 2011. Dissertação (Mestrado em Psicologia Clínica) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

SEMBIRING, N.; NIMRAN, U.; ASTUTI, E. S.; UTAMI, H. N. The effects of emotional intelligence and organizational justice on job satisfaction, caring climate, and criminal investigation officers’ performance. International Journal of Organizational Analysis, [S. l.], v. 28, n. 5, June, 2020.

SHARMA, H.; YADAV, R. Understanding the relationship between organisational justice and work engagement in banking sector. Journal of Entrepreneurship & Management, [S. l.], v. 6, n. 2, 2017.

SINGH, S. K.; SINGH, A. P. Interplay of organizational justice, psychological empowerment, organizational citizenship behavior, and job satisfaction in the context of circular economy, Management Decision, [S. l.], v. 57, n. 3, Dec. 2018.

SIQUEIRA, M. M. M.; GOMIDE JÚNIOR, S. Vínculos do indivíduo com o trabalho e com a organização. In: ZANELLI, J. C.; BORGES-ANDRADE, J. E.; BASTOS, A. V. Psicologia, organizações e trabalho no Brasil. Porto Alegre: Artmed, 2004.

SOTO, E. Comportamento organizacional: o impacto das emoções. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2005.

TERZI, A. R.; DÜLKER, A. P.; ALTIN, F.; ÇELIK, F.; DALKIRAN, M.; YULCU, N. T.; DENIZ, Ü. An analysis of organizational justice and organizational identification relation based on teachers’ perceptions. Universal Journal of Educational Research, [S. l.], v. 5, n. 3, p. 488-495, 2017.




DOI: https://doi.org/10.5020/2318-0722.2020.26.3.10237

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Ciências Administrativas, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2318-0722

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia