Folga Organizacional, Rentabilidade e Características de Cooperativas de Crédito Nordestinas

Ramon Rodrigues dos Santos, Aldo Leonardo Cunha Callado, Joséte Florencio dos Santos

Resumo


O presente estudo buscou analisar a relação entre os tipos de folga organizacional e a rentabilidade das cooperativas de crédito nordestinas, além de suas características, como o tamanho, a livre admissão de associados e a influência sobre os resultados negativos e sobre as cooperativas centrais. Para alcançar os objetivos da pesquisa, foram considerados os dados trimestrais de 84 cooperativas de crédito nordestinas, no período de março de 2014 a setembro de 2015, em um total de 588 observações, através de uma modelagem de dados em painel. Os resultados evidenciaram a relação entre os tipos de folga organizacional e a rentabilidade dessas instituições, com características relacionadas ao resultado negativo e a serem cooperativas centrais, destacando que a adoção dos tipos de folga organizacional possibilita uma gestão estratégica da performance financeira e operacional das instituições. As principais contribuições deste artigo estão relacionadas ao diagnóstico do desempenho das cooperativas de crédito nordestinas, além de promover discussões sobre a influência dos tipos de folga organizacional em instituições financeiras que possuem uma metodologia contábil diferenciada.

Palavras-chave


folga organizacional. cooperativas de crédito. rentabilidade.

Texto completo:

PDF/A

Referências


BANCO CENTRAL DO BRASIL. Panorama do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo: Data-base: dezembro/2016. [Brasília]: Banco Central do Brasil, [2018]. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Resolução nº 4.434, de 5 de agosto de 2015. Dispõe sobre a constituição, a autorização para funcionamento, o funcionamento, as alterações estatutárias e o cancelamento de autorização para funcionamento das cooperativas de crédito e dá outras providências. Brasília: Banco Central do Brasil, 2015a. Link. Acesso em 25 jul. 2019.

BANERJEE, A. V. Do firms want to borrow more? Testing credit constrains using a directed lending program. The Review of Economic Studies, London, v. 81, n. 2, p. 572-607, 2014.

BECK, F.; BEUREN, I. M. Interfaces da Folga Organizacional com Inovação. In: CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS, 8, 2014, Rio de Janeiro. Anais[...]. Rio de Janeiro: ANPCONT, 2014. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

BEUREN, I. M.; DALLABONA, L. F. Relação da folga organizacional com medidas de desempenho de empresas brasileiras. Revista Pretexto, Belo Horizonte, v. 16, n. 2, p. 31-49, abr./jun. 2015. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

BEUREN, I. M ; STAROSKY FILHO, L.; KRESPI, N. T. Folga organizacional versus desempenho financeiro: um estudo nas empresas da BM&FBovespa. Contaduría y Administración, Cidade do México, v. 59, n.2, p. 145-177, abr./jun. 2014. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

BITTENCOURT, W. R.; BRESSAN, V. G. F.; GOULART, C. P.; BRESSAN, A. A.; COSTA, D. R. de; LAMOUNIER, W. M. Rentabilidade em bancos múltiplos e cooperativas de crédito brasileiros. Revista de Administração Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 21, Edição Especial FCG, p. 22-40, 2017. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

BOURGEOIS III, L. J.; SINGH, J. V. Organizational slack and political behavior among top management teams. Academy of Management Proceedings, Briarcliff Manor, p. 43-47, 1983. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

BRASIL. Lei n. º 5.764, de 16 de dezembro de 1971. Define a Política Nacional de Cooperativismo, institui o regime jurídico das sociedades cooperativas, e dá outras providências. Diário Oficial da União: Brasília, DF, 16 dez. 1971. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

CAMARGOS, M. A. de; BARBOSA, F. V. Fusões, aquisições e takeovers: um levantamento teórico dos motivos, hipóteses testáveis e evidências empíricas. REGE Revista de Gestão, v. 10, n. 2, 2010. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

CAMPOS, A. L. S.; NAKAMURA, W. T. Folga financeira avaliada como endividamento relativo e estrutura de capital. Revista de Finanças Aplicadas. São Paulo, v. 1, p. 1-19, 2013. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

CARVALHO, F. L. de; DIAZ, M. D. M.; BIALOSKORSKI NETO, S.; KALATZIS, A. E. G. Saída e Insucesso das Cooperativas de Crédito no Brasil: Uma Análise do Risco. Revista Contabilidade & Finanças – USP, São Paulo, v. 26, n. 67, p. 70-84, jan./abr. 2015. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

CORRAR, L. J.; THEÓPHILO, C. R (org.). Pesquisa Operacional para Decisão em Contabilidade e Administração: contabilometria. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

DALLABONA, L. F.; MACOHON, E. R.; ZITTEI, M.; LAVARDA, C. E. F Antecedentes e Efeitos da folga organizacional em empresas listadas na BM&FBovespa: análise sob as perspectivas contingencial e agência. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 37, 2013, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro: EnANPAD, 2013. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

DALLABONA, L. F.; DIEL, F. J.; LAVARDA, C. E. F. Variabilidade de folga organizacional de empresas listadas nos níveis diferenciados de governança corporativa da BM&FBovespa. Registro Contábil, Maceió, v. 5, n. 2, p. 67-86, mai./ago. 2014. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

DIEL, F. J.; DALLACORT, A. C.; DIEL, E. H.; SILVA JUNIOR, J. C. A. da S.; DEDONATTO, O. Relação entre folga organizacional e desempenho econômico-financeiro das empresas brasileiras do setor de bens industriais listadas na BM&FBovespa. In: SEMINÁRIOS EM ADMINISTRAÇÃO, 18, 2015, São Paulo. Anais[...]. São Paulo: FEA-USP, 2015. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

ETGETO, A. A.; SILVA, C. G. B.; VICENTE, F. C.; GIROTTO, M.; MIRANDA, I. Os princípios do cooperativismo e as cooperativas de crédito no Brasil. Revista de Ciências Empresariais, Umuarama v. 2, n. 1, p. 7-19, 2005.

FUNDO GARANTIDOR DO COOPERATIVISMO DE CRÉDITO. Relatório do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo – SNCC. 2015. Link. Acesso em 11 dez. 2017.

FREITAS, A. F. de; FREITAS, A. F. de. O cooperativismo de crédito no Brasil e a emergência de uma vertente solidária. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, Taubaté, v. 10, n. 2, p. 46-74, 2014. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

JENSEN, M. C.; MECKLING, W. H. Theory of the firm: managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of Financial Economics, Rochester, v. 3, n. 4, p. 305-360, 1976. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

JONES, P. Growing Credit Unions in the West Midlands – the case for restructuring. Journal of Cooperative Studies, [s.l.], v.37, n.1, p. 5-21, 2004.

KICH, M. C.; CAMPOS, C. G. Desempenho das Cooperativas de Crédito SICOOB e UNICRED: Um estudo dos índices econômico-financeiro entre o período de 2013 a 2015. Revista Borges, Florianópolis, v. 8, n. 1, p. 25-49, jul. 2018. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

KRESPI, N. T., STAROSKI FILHO, L.; BEUREN, I. M. Folga organizacional versus desempenho financeiro: Um estudo nas empresas da BM&FBovespa. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CUSTOS, 19, 2012, Bento Gonçalves. Anais[...]. São Leopoldo: Associação Brasileira de Custos, 2012. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

LIMA, A. C. M.; ROCHA, J. S. da; DIAS FILHO, J. M.; GONÇALVES, D. E. S. Folga organizacional e desempenho financeiro sob a perspectiva da teoria da agência e contingencial: um estudo com empresas listadas na BM&FBovespa. In: CONGRESSO USP DE CONTROLADORIA E CONTABILIDADE, 15, 2015, São Paulo. Anais[...]. São Paulo: FEA-USP, 2015. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

MARTINS, E.; DINIZ, J. A.; MIRANDA, G. J. Análise didática das demonstrações contábeis. São Paulo: Atlas, 2014.

MCKILLOP, D.; WILSON, J. O. S. Credit Unions: a theoretical and empirical overview. Financial Markets, Institutions & Instruments, [s.l.], v. 20, n. 3, p. 79-123, 2011.

MEINEN, Ê. PORT, M. Cooperativismo Financeiro: percurso histórico, perspectivas e desafios. Brasília: Confebras, 2014.

MEINEN, E. Cooperativismo Financeiro: virtudes e oportunidades. Brasília: Editora Confebras, 2016.

MOON, B-J. Antecedents and outcomes of strategic thinking. Journal of Business Research, [s.l], v. 66, n. 10, p. 1698-1708, 2013. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

MURRO, E. V. B.; TEIXEIRA, G. B.; BEUREN, I. M.; SCHERER, L. M.; LIMA, G. A. S. F. de. Relação entre folga organizacional e inovação em empresas da BM&FBovespa. In: CONGRESSO USP DE CONTROLADORIA E CONTABILIDADE, 14, 2014, São Paulo. Anais[...]. São Paulo: FEA-USP, 2014. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

RIXON, D.; LIGHTSTONE, K. Impact of international financial reporting standards on canadian credit unions. International Journal of Business, Accounting, & Finance. [s.l.], v. 10, n. 1, 2016.

SILVA, A. da; PADILHA, E. S.; SILVA, T. P. da. Análise da Performance Econômico-Financeira das 25 maiores cooperativas de crédito brasileiras. Desenvolvimento em Questão, [s.l.], v. 13, n. 32, out./dez. 2015.

TRINDADE, L. Z.; BIALOSKORSKI NETO, S. Análise e percepção dos custos das práticas de governança corporativa: um estudo de caso. Contextus - Revista Contemporânea de Economia e Gestão, Fortaleza, v. 12, n. 3, set/dez., 2014. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

WHITTINGTON, R.; CAILLUET, L.; YAKIS-DOUGLAS, B. Opening strategy: evolution of a precarious profession. British Journal of Management, [s.l.], v. 22, p. 531–544, 2011. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

WESTRUP, M. N.; CAMILO, S. P. O.; ESTEVAM, D. de O. Dominância de tomadores e poupadores nas cooperativas de crédito: análise sob a ótica da teoria da agência. In: SEMINÁRIOS EM ADMINISTRAÇÃO, 20, 2017, São Paulo. Anais[...]. São Paulo: FEA-USP, 2017.

WORLD COUNCIL OF CREDIT UNIONS. Why Credit Unions? 2019a. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.

WORLD COUNCIL OF CREDIT UNIONS. Our Global Reach. 2019b. Link. Acesso em: 25 jul. 2019.




DOI: https://doi.org/10.5020/2318-0722.2020.26.2.8143

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Ciências Administrativas, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2318-0722

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia