Mulheres na Gestão Universitária: trajetória profissional, vivências e desafios

Rebeca da Rocha Grangeiro, Maria Luciana Militão

Resumo


O presente estudo buscou analisar a inserção da mulher em cargos de chefia em uma Instituição Federal de Ensino Superior e os desafios vivenciados inerentes ao cargo exercido. Quanto aos procedimentos metodológicos, a pesquisa é de natureza qualitativa e utilizou entrevistas semiestruturadas como estratégia de coleta de dados. As participantes da pesquisa foram treze servidoras em cargos de direção, sendo oito docentes e cinco técnicas administrativas. Verificou-se na instituição que apesar do equilíbrio entre os percentuais de servidores homens e mulheres, não se observa paridade nos cargos de direção, sobretudo nos níveis mais altos. Notou-se que a ascensão das respondentes aos cargos de direção está vinculada à experiência, à atuação e à própria formação das entrevistadas. Foi possível identificar sobrecarga de trabalho decorrente do cargo de chefia em exercício, que se potencializa com a utilização de recursos tecnológicos para fins de trabalho em momentos de lazer, o que gerou em alguns casos problemas de saúde e conflitos familiares. As mulheres entrevistadas se dividiram equitativamente quanto a fato de perceber atitudes discriminatórias na referida universidade, porém foi possível observar que mesmo aquelas que negam haver discriminação relatam fatos vivenciados na instituição que se caracterizam como atitudes discriminatórias de gênero.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ACKER, Joan. Hierarchies, jobs, bodies: A theory of gendered organizations. Gender & society, [S. l.], v. 4, n. 2, p. 139-158, 1990. Acesso em: 22 nov. 2019

BENSCHOP, Y.; BROUNS, M.. Crumbling ivory towers: Academic organizing and its gender effects. Gender, Work & Organization, [S. l.], v. 10, n. 2, p. 194-212, 2003. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1111/1468-0432.t01-1-00011. Acesso em: 20 fev. 2020

BETIOL, M. I. S; TONELLI, M.J. A mulher executiva e suas relações de trabalho. Revista de Administração de Empresas, Paulo, v. 31, n. 4, p. 17-33, 1991. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rae/v31n4/v31n4a03.pdf. Acesso em: 02 mar. 2020

BEZERRA, S. A. C.; VIEIRA, A. Dilemas e desafios vividos por mulheres que migraram em função do trabalho do cônjuge. RAM, Rev. Adm. Mackenzie, São Paulo , v. 14, n. 6, p. 216-243, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1678-69712013000600010&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 11 mar 2019

BLAU, F.; DEVARO, J. New evidence on gender differences in promotion rates: an empirical analysis of a sample of new hires. Industrial Relations, [S. l.], v. 46, n.3, p. 511-550, 2007. Disponível em: https://www.nber.org/papers/w12321.pdf. Acesso em: 09 mai 2020

BRAUN, V.; CLARKE, V. Using thematic analysis in psychology. Qualitative Research in Psichology, [S. l.], v. 3, n. 2, p. 77-101, 2006. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1191/1478088706qp063oa. Acesso em: mar. 2014

CABRERA, E. F. Opting out and opting in: understanding the complexities of women’s career transitions. Career Development International, [S. l.], v. 12, n. 3, p. 218-237, 2007. Disponível em: https://e-archivo.uc3m.es/bitstream/handle/10016/11270/opting_cabrera_CDI_2007_ps.pdf?sequence=1. Acesso em: 20 fev. 2020

CARVALHO NETO, A. M.; TANURE, B.; MOTA-SANTOS, C. Pride and prejudice beyond the glass ceiling: Brazilian female executives psychological type. Revista de Ciências da Administração, Florianopólis, v. 16, n. 39, p. 210-223, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/adm/article/view/2175-8077.2014v16n39p210. Acesso em: 02 mai. 2019

CARVALHO NETO, A. M.; TANURE, B.; ANDRADE, J. Executivas: carreira, maternidade, amores e preconceitos. RAE- Revista de Administração de Empresas, São Pulo, v. 9, n. 1, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-56482010000100004&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 03 out. 2017

CAVAZOTTE, F. S. C. N.; LEMOS, A. H. C.; BROLLO, M. S. Trabalhando melhor ou trabalhando mais? um estudo sobre usuários de smartphones corporativos. Organizações & Sociedade, Salvador, v. 21, n. 68, p. 13-31, 2014. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/revistaoes/article/view/9956/8342. Acesso em: 04 mai. 2019

CHÊNEVERT, D; TREMBLAY, M. Managerial career success in Canadian organizations: is gender a determinant? Journal of Human Resource Management, [S. l.], v. 13, n. 6, p. 920-941, 2002. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/09585190210134282. Acesso em: 20 jan. 2019

COOK, A.; GLASS, C. Women and top leadership positions: towards an institutional analysis. Gender, Work and Organization, [S. l.], v.21, n. 1, p. 91-103, 2014. Disponível em: https://doi.org/10.1111/gwao.12018. Acesso em: 20 jan. 2019

DERKS, B. et al. Gender-bias primes elicit queen-bee responses among senior policewomen. Psychological Science, [S. l.], v. 22, n. 10, p. 1243-1249, 2011. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21873568. Acesso em: 29 nov. 2018

EAGLY, A.; JOHANNESEN-SCHMIDT, M.; VAN ENGEN, M. Transformational, transactional, and laissez-faire leadership styles: a meta-analysis comparing women and men. Psychological Bulletin, [S. l.], v. 129, n. 4, p. 569-591, 2003. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/64ab/af52dd802cf569379cf52bbb9822d56857aa.pdf. Acesso em: 23 nov. 2018

ELLEMERS, N. Women at work: How organizational features impact career development. Policy insights from the behavioral and brain sciences, [S. l.], v. 1, n. 1, p. 46-54, 2014. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/2372732214549327. Acesso em: 18 fev. 2019

EUROPEAN COMMISSION. 2018 Report on equality between women and men in the EU. Luxembourg : EU Publications, 2018. Disponível em: https://publications.europa.eu/en/publication-detail/-/publication/950dce57-6222-11e8-ab9c-01aa75ed71a1/language-en. Acesso em: 20 jul. 2019

FIALHO, C. B.; et al. Empowerment and Gender: a study with women in Federal University management positions. Revista Administração em Diálogo-RAD, São Paulo, v. 20, n. 1, p. 1-24, 2018. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/rad/article/view/33452/24888. Acesso em: 25 fev. 2019

FRAGA, A. M.; GEMELLI, C. E.; ROCHA-DE-OLIVEIRA, S. Cenário das publicações científicas em carreira e gênero. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, Niterói, v. 13, n. 3, p. 158-178. Disponível em: http://www.spell.org.br/documentos/ver/54872/cenario-das-publicacoes-cientificas-em-carreira-e-genero-. Acesso em: 26 set. 2019

GUEDES, S. A. Carreira e conjugalidade: a percepção da mulher sobre a influência da relação conjugal no desenvolvimento de sua carreira. 2017. Tese (Doutorado em Administração) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12139/tde-21062017-091048/en.php. Acesso em: 18 dez. 2018

GUEST, G.; MACQUEEN, K.; NAMEY, E. Applied Thematic Analysis. Washington: SAGE, 2012, 320 p.

HEWLETT, S. A. Executive Women and the Myth of Having it All. Harvard Business Review, [S. l.], v. 80, n. 4, p.66–73, 2002. Disponível em: https://europepmc.org/article/med/11930783. Acesso em: 22 abr. 2019

HIRST, A.; SCHWABENLAND, C. Doing gender in the ‘new office’. Gender, Work & Organization, [S. l.], v. 25, n. 2, p. 159-176, 2018. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/pdf/10.1111/gwao.12200?casa_token=F1aiPB_1UyEAAAAA:_pOAD6XHXgGdaa1SrJ1fIKRPEhbbWPAgybk-NIrCccf3uIgwxQS8pli9YQxp9sLtXVsf2dZ2yi73Z-Ba. Acesso em: 19 fev. 2020

HRYNIEWICZ, L. G. C.; VIANNA, M. A. Women and leadership: obstacles and gender expectations in managerial positions. Cadernos EBAPE. BR, Rio de janeiro, v. 16, n. 3, p. 331-344, 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-39512018000300331&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 24 out. 2018

INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA. IBGC incentiva a presença de mulheres na governança corporativa, 2015. Disponível em http://www.ibgc.org.br/index.php/19412/IBGC-incentiva-a-presenca-de- mulheres-na-Governanca-Corporativa. Acesso em : 12 ago. 2019

LOMBARDI, M. R. Carreiras de engenheiras em pesquisa científica e tecnológica: conquistas e desafios. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 41, n. 144, p. 886-903, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742011000300013&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 11 mar. 2019

MACLEAN, M.; HARVEY, C.; CHIA, R. Sensemaking, storytelling and the legitimization of elite business careers. Human Relations, [S. l.], v. 65, n. 1, p. 17-40, 2012. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/0018726711425616?journalCode=huma. Acesso em: 10 out. 2019

MADALOZZO, R.; BLOFIELD, M. Como famílias de baixa renda em São Paulo conciliam trabalho e família? Estudos Feministas, Florinopólis, v. 25, n. 1, p. 215-240, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2017000100215&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 06 set. 2018

MADALOZZO, R. CEOs e Composição do Conselho de Administração: a falta de identificação pode ser motivo para existência de teto de vidro para mulheres no Brasil? RAC-Revista de Administração Contemporânea, Maringá, v. 15, n. 1, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-65552011000100008&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 10 abr. 2019

MARRY, C.; POCHIC, S. Le “plafond de verre” en France: le public plus égalitaire que le privé? Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 47, n. 163, p. 148-166, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/v47n163/fr_1980-5314-cp-47-163-00148.pdf. Acesso em: 05 dez. 2018

MIHALČOVÁ, B., PRUŽINSKÝ, M.; GONTKOVICOVA, B. The consequences of gender stereotypes in the work of managers. Procedia economics and finance, [S. l.], v. 23, p. 1260‐1265, 2015. Disponível em: https://doi.org/10.1016/S2212-5671(15)00464-5. Acesso em: 18 jan. 2020

MIRANDA, A. R. A. et al. O exercício da gerência universitária por docentes mulheres. Revista Pretexto, Belo Horizonte, v. 14, n. 1, p. 106-123, 2013. Disponível em: http://www.spell.org.br/documentos/ver/10039. Acessoe em: 06 set. 2018

MOTA-SANTOS, C.; CARVALHO NETO, A.; OLIVEIRA, P.; ANDRADE, J. Reforçando a contribuição social de gênero: a servidora pública qualificada versus a executiva. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 53, n. 1, p. 101-123, 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rap/v53n1/1982-3134-rap-53-01-101.pdf. Acesso em: 01 mar. 2020

PINHO, A. P. D. Nem tão frágil assim: um estudo sobre mulheres em cargos de chefia. 2005. Dissertação (Mestrado em Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social). Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2005.

SABHARWAL, M. From glass ceiling to glass cliff: women in senior executive service. Journal of Public Administration Research and Theory, [S. l.], v. 25, n. 2, p. 399-426, 2015. Disponível em: https://doi.org/10.1093/jopart/mut030. Acesso em: 19 dez. 2019

SCHILLING, E. ‘Success is satisfaction with what you have’? biographical work–life balance of older female employees in public administration. Gender, Work & Organization, [S. l.], v. 22, n. 5, p. 474-494, 2015. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/gwao.12097. Acesso em: 16 mai. 2019

SIQUEIRA, R. F. B. et al. A presença de docentes mulheres em cargos gerenciais nas universidades federais do estado de Minas Gerais. Revista Gestão Universitária na América Latina-GUAL, Florianopólis, v. 9, n. 2, p. 49-69, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/gual/article/view/1983-4535.2016v9n2p49. Acesso em: 07 dez. 2018

STEIL, A. V. Organizações, gênero e posição hierárquica – compreendendo o fenômeno do teto de vidro. Revista de Administração, São Paulo, v. 32, n. 3, p. 62-69, 1997. Disponível em: http://www.spell.org.br/documentos/ver/18443/organizacoes--genero-e-posicao-hierarquica---compreendendo-o-fenomeno-do-teto-de-vidro. Acesso em: 12 dez. 2018

STOJMENOVSKA, D. Management gender composition and the gender pay gap: Evidence from British panel data. Gender, Work & Organization, [S. l.], v. 26, n.5, p. 738-764, 2019. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1111/gwao.12264. Acesso em: 14 fev. 2020

VALADÃO JR., V. M. V.; PINHAL, V. A.; SILVA, F. D.; MARTINS, R. M.; DUARTE, M. P. F. C. As multimulheres da universidade: carreira, vida pessoal e competências docentes de professoras de programas de pós-graduação. Revista Gestão Universitária na América Latina-GUAL, Florianopólis, v. 11, n. 2, p. 133-155, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/gual/article/view/1983-4535.2018v11n2p133. Acesso em: 01 mai. 2019

VAZ, D. V. O teto de vidro nas organizações públicas: evidências para o Brasil. Economia e Sociedade, Campinas, v. 22, n. 3, p. 765-790, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ecos/v22n3/07.pdf. Acesso em: 21 set. 2017

VIRTALA, A; KUNTTU, K; HUTTUNEN, T; VIRJO, I. Childbearing and the desire to have children among university students in Finland. Acta Obstetrícia et Gynecologica, [S. l.], v. 85, n. 3, p. 312-316, 2006. Disponível em: https://obgyn.onlinelibrary.wiley.com/doi/pdf/10.1080/00016340600555975. Acesso em: 22 jun. 2019




DOI: https://doi.org/10.5020/2318-0722.2020.26.3.9506

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Ciências Administrativas, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2318-0722

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia