Considerações acerca da criação poética

Elizabeth Dias Martins, Leonildo Cerqueira

Resumo


Este artigo pretende fazer uma reflexão acerca do processo de criação do poema. Para tanto, faremos um apanhado das principais concepções que envolveram o fazer poético ao longo da história, desde a Antiguidade, na figura de Platão, até a modernidade, com T. S. Eliot e outros que teorizaram a respeito do assunto, deixando terreno fértil para apresentarmos uma nova visão do fenômeno, proposta por Pedro Lyra (1986), a partir do conceito nerudiano de transbordamento, trabalhado por Roberto Pontes (1999) em sua dissertação de mestrado. A fim de entendermos o que Lyra propõe, revisitaremos, ainda, conceitos como os de poeta, Poesia e poema. De posse de tais conceitos, analisaremos algumas produções poéticas, como as de Vinicius de Moraes, Manuel Bandeira, Florbela Espanca, Drummond, entre outros, observando a manifestação do fazer poético no texto concreto. Notaremos, por fim, que a criação poética deixou de ser encarada como algo sobrenatural e passou a ser vista como processo de duas vias concomitantes: a “técnica”, em que se manifesta o talento e o domínio do poeta para o ofício poético; e a “experiência emotiva”, caracterizada pelo acúmulo de vivências do homem poeta.

Palavras-chave


Teoria do Poema; Poesia; Transbordamento.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5020/23180714.2015.30.2.253-265

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista de Humanidades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2318-0714

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia