Os motivos da narrativa fantástica nos contos de Lygia Fagundes Telles

Autores

  • Aíla Maria Leite Sampaio

DOI:

https://doi.org/10.5020/23180714.2015.30.2.266-289

Palavras-chave:

Contos, Fantástico, Motivos, Narrativa.

Resumo

Este artigo analisa os motivos que alicerçam os eventos fantásticos nos contos de Lygia Fagundes Telles, especificamente os que se enquadram no gênero e estão nos livros Mistérios (1981(, A noite escura e mais eu (1995) e Invenção e memória (2000). Embora a autora não use os motivos clássicos – como os fantasmas, bruxas e feiticeiras, observa-se que ela é bastante tradicionalista na escolha dos leit motivs, mesmo na contemporaneidade, quando muitos autores naturalizam o insólito por meio de eventos que, mesmo inexplicáveis, colocam em cena espectros do mundo atual, trazendo o fantástico para o mundo que os circunda. Utilizamos subsídios teóricos de Todorov (1975), Louis Vax (1974) e Irene Bèssiere (1974) e analisamos as soluções formais, no sentido de mostrar os motivos utilizados e o modo como são esteticamente conduzidos na narrativa para aquisição do efeito fantástico.

Biografia do Autor

Aíla Maria Leite Sampaio

Professora Mestra da Universidade de Fortaleza - UNIFOR. Doutoranda em Letras da Universidade Federal do Ceará – UFC.

Downloads

Publicado

2016-05-12

Como Citar

Sampaio, A. M. L. (2016). Os motivos da narrativa fantástica nos contos de Lygia Fagundes Telles. Revista De Humanidades, 30(2), 266–289. https://doi.org/10.5020/23180714.2015.30.2.266-289

Edição

Seção

Artigos