Contracultura no México da década de 1960: o estilo jipeteca e a influência da literatura de La Onda na cena contestatória juvenil

Autores

  • Pedro Dionizio de Mello

DOI:

https://doi.org/10.5020/23180714.2018.8862

Palavras-chave:

Contracultura. Estilo de vida. Juventude

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar uma análise sociológica acerca da emergência da cultura juvenil de contestação social mexicana entre as décadas de 1960 e 1970. O marco temporal em questão é conhecido como um período histórico de forte repressão às manifestações culturais da juventude na América Latina. No caso do México, influenciada por fluxos culturais vindos do exterior, nomeadamente dos Estados Unidos, parte da juventude desencadeou movimentos contraculturais que colocaram em xeque valores e costumes tradicionais. Dessa forma, este estudo busca investigar qual o significado gerado por esses movimentos na constituição de um estilo de vida próprio de uma juventude mexicana que buscava se reafirmar. Para tanto, foi feita revisão bibliográfica acerca da cena literária daquele país conhecida como La Onda. Ao fim e ao cabo, pôde-se constatar que o movimento contracultural teve contribuição significativa no processo de legitimação social da juventude no México. A interação com uma cultura estrangeira não somente reproduziu um movimento estadunidense, mas também combinou elementos típicos dos dois países, construindo as bases para que jovens mexicanos desenvolvessem formas próprias de identidade.

Biografia do Autor

Pedro Dionizio de Mello

Universidade Bacharel e Mestre em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Downloads

Publicado

2019-01-10

Como Citar

Dionizio de Mello, P. (2019). Contracultura no México da década de 1960: o estilo jipeteca e a influência da literatura de La Onda na cena contestatória juvenil. Revista De Humanidades, 33. https://doi.org/10.5020/23180714.2018.8862

Edição

Seção

Artigos