Clubes Sociais Recreativos em Joinville: Desigualdades Étnico-Raciais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5020/23590777.rs.v22i2.e11423

Palavras-chave:

cidade, clubes sociais recreativos, relações étnico-raciais, desigualdades sociais, psicologia social

Resumo

O objetivo deste artigo é problematizar as desigualdades étnico-raciais em Joinville, Santa Catarina, via análise da constituição e trajetória de quatro clubes sociais recreativos da cidade. Vários foram os procedimentos metodológicos adotados: análise de documentos do Arquivo Histórico Municipal; participação em eventos promovidos pelos clubes e conversas com alguns frequentadores; produção e análise de duas imagens (uma que apresenta a localização geográfica dos clubes e, a outra, suas fachadas). As informações possibilitaram realizar o que compreendemos como leitura topográfica, uma ferramenta para a pesquisa em psicologia social interessada na análise crítica de relações constitutivas do espaço urbano. Como resultado da pesquisa evidencia-se o modo como a constituição e trajetória desses clubes sociais evidenciam as desigualdades étnico-raciais presentes na história da cidade, bem como o processo de (in)visibilização de memórias, saberes e dizeres. Concluímos que a localização dos clubes no território da cidade e a estrutura dos seus prédios possibilitam diferentes formas de visibilização, implicando diretamente nos modos como são conhecidas as narrativas, memórias e trajetórias dos grupos étnico-raciais representados por cada um deles.

Biografia do Autor

Orlando Afonso Camutue Gunlanda, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Doutorando em Psicologia no Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Neiva de Assis, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Docente no Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Andreia Vieira Zanella, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professora aposentada da mesma instituição, bolsista em produtividade do CNPq.

Referências

A Notícia. (1987, abril 15). Em Joinville se mantém a boa tradição de diversão. A Noticia, Arquivo Histórico.

A Notícia. (1997). A Sociedade Kênia Clube anuncia o encerramento de suas atividades. A Noticia, Arquivo Histórico.

Abreu, R. M. R. M. (2016). Memória Social: Itinerários poéticos-conceituais. Revista Morpheus, 9(15), 41-67. Link

Abreu, R. M. (2018). Memorar os Patrimônios: Uma via para os desafios no contemporâneo. Óculo-Revista do Patrimônio Cultural, 2, 82-92. Link

Aguiar, M. M. (2007). Os clubes negros e seu papel na constituição da identidade e movimento negro: A história do Grêmio Recreativo e Familiar Flor de Maio em São Carlos – SP. Interações, 2(2), 91-105. Link

Almeida, S. L. (2019). Racismo estrutural. Sueli Carneiro; Pólen.

Assis, N. (2016). Cidade polifônica: Indícios de memórias outras na paisagem. Tese de Doutorado, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. Link

Bakhtin, M. (2013). Problemas da poética de Dostoievski (P. Bezerra, Trad., 5. ed.). Forense.

Baptista, L. A., & Ferreira, M. S. (Org.). (2012). Por que a cidade? Escritos sobre a experiência urbana e subjetividade. Editora da UFF.

Barboza, D., & Zanella, A. V. (2014). Relações estéticas dos catadores de material reciclável com a cidade: Os passos da pesquisa. Psicologia & Sociedade, 26(1), 53-62. DOI: 10.1590/S0102-71822014000100007

Barros, D. L. P. (2015). Contribuições de Bakhtin às teorias do discurso. In B. Brait (Org), Bakhtin: Dialogismo e construção do sentido (2ª ed., pp.21-42). Editora Unicamp.

Berri, B., Zanella, A. V., & Assis, N. (2015). Imagens da cidade: O projeto ArteUrbe. Revista Polis e Psique, 5(2), 123-149. DOI: 10.22456/2238-152X.53951

Borba, F. M. (2013). Arqueologia da escravidão numa vila litorânea: Vestígios negros em fazendas oitocentistas de São Francisco do Sul, SC [Dissertação de Mestrado, Universidade da Região de Joinville]. Univille: Biblioteca Universitária - Teses e Dissertações da Univille. Link

Borges, Â., & Carvalho, I. (2017). Revisitando os efeitos de lugar: Segregação e acesso ao mercado de trabalho em uma metrópole brasileira. Caderno CRH, 30(79), 121-135. DOI: 10.1590/S0103-49792017000100008

Calabre, L. (2009). Políticas culturais no Brasil: Dos anos 1930 ao século XXI. Editora FGC.

Camara, F. S., & Cesar Sá, J. (2015). Kênia clube, a representação negra: Narrativa dos associados, para o pedido de registro como patrimônio cultural imaterial em Joinville/SC. In VIII Encontro Regional Sul de História Oral. Joinville.

Camargo, L. A. R., & Silva, M. R. (2008). Os clubes sociais e recreativos e o processo civilizatório brasileiro: Uma relação de hábitos e costumes. In XI Simposio Internacional Processo Civilizador. Buenos Aires.

Cardoso Filho, C. A. (2016). A subjetividade, o Fora e a cidade: Repensando o sujeito, o espaço e a materialidade. Fractal: Revista de Psicologia, 28(2), 242-251. DOI: 10.1590/1984-0292/1458

Correia, L. B. (2016). Kênia clube e o carnaval de Joinville. Revista Maiêutica, 4(1), 107-116. Link

Cunha, D. (2008). História do Trabalho em Joinville: Gênese. Todaletra.

Escobar, G. V. (2010). Cubes sociais negros: lugares de memória, resistência negra, patrimônio e potencial [Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Santa Maria]. UFSM: Manancial - Repositório Digital da UFSM. Link

Franzen, D., Eidt, S., & Tessing, D. (2018). A arquitetura enxaimel: Identidade, memória e dimensão patrimonial em Itapiranga/SC. Revista de Arquitetura IMED, 7(1), 5-27. DOI: 10.18256/2318-1109.2018.v7i1.2558

Fundação Instituto de Pequisa e Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville (IPPUJ). (2016). Joinville Cidade em Dados 2016. Prefeitura Municipal de Joinville, Joinville.

Gomes, N. L., & Laborne, A. A. P. (2018). Pedagogia da crueldade: Racismo e extermínio da juventude negra. Educação em Revista, 34. DOI: 10.1590/0102-4698197406

Guedes, S. C. (org.). (2005). Histórias de (i)migrantes: O cotidiano de uma cidade (2ª ed.). Univille.

Guerreiro, W. Q. (2007). Fritz Alt: A vontade do desejo. Letra D’água.

Gunlanda, O. A. C. (2020). Sociedade Kênia Clube: produção de memória e resistência da população negra em Joinville/SC [Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina]. UFSC.

Gusmão, D. S., & Souza, S. J. (2008). A estética da delicadeza nas roças de Minas: sobre a memória e a fotografia como estratégia de pesquisa-intervenção. Psicologia & Sociedade, 20(Esp), 24-31. DOI: 10.1590/S0102-71822008000400005

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2021). Censo brasileiro de 2010: Cidade e Estados - Joinville. Link

Jornal de Joinville. (1989, setembro 05). A história do clube mais antigo da cidade. Jornal de Joinville, Arquivo Histórico.

Martins, E., Pereira, F., Salem, G., Santos, L. G. M., & Barbosa, R. B. (2017). Psicologia e Democracia em um Cenário de Cidade como Campo em Disputa. Psicologia: Ciência e Profissão, 37(spe), 224-238. DOI: 10.1590/1982-3703170002017

Menegassi, R. J., & Cavalcanti, R. S. M. (2013). Conceitos axiológicos bakhtinianos em propaganda impressa. Alfa, 57(2), 433-449. DOI: 10.1590/S1981-57942013000200005

Natal, C. M. (2009). A retórica da tradição: Tempos e espaços da arquitetura neocolonial no Brasil, 1914-1930. In XXV Simpósio Nacional de História – ANPUH. Fortaleza. Link

Nivón, E. (2011). As políticas culturais e os novos desafios. O patrimônio imaterial na estruturação de novas políticas. In L. Calabre (Org.), Políticas Culturais: Teoria e práxis. Itaú Cultural.

Nogueira, L. M. (2009). Subjetividade e materialidade: Cidade, espaço e trabalho. Fractal: Revista de Psicologia, 21(1), 69-86. Link

Osório, M. C. P. (1996). Fragmentos da população de origem africana em Joinville: A fundação do Kênia Clube (1960-1965) [Monografia de Especialização, Universidade da Região de Joinville]. Univille.

Rolnik, R. (2009). O que é a cidade (3ª ed.). Brasiliense.

Rosa, J. C. (2011). Sociabilidades e territorialidade: A construção de sociedades de afrodescendentes no Sul de Santa Catarina (1903-1950). [Dissertação de Mestrado, Universidade do Estado de Santa Catarina]. Udesc: Pós-Graduação em História: Dissertações Defendidas. Link

Santos, M. (2008). O espaço do cidadão (Vol. 8). Edusp.

Sicari, A. A. (2018). A cidade, a rua, as pessoas em situação de rua: (in)visibilidades e a luta por direitos [Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina]. UFSC: Repositório Institucional da UFSC. Link

Silivi Júnior, L. O., Marques, V. B., Diniz, S. F. G., Martins, D., & Silveira, W. N. (2017). Joinville Cidade em Dados 2017. Link

Silveira, L., & Muniz, J. O. (2014). Variações intra e intermetropolitanas da desigualdade de renda racial. Cadernos Metrópole, 16(31), 265-289. DOI: 10.1590/2236-9996.2014-3112

Sinhoretto, J., & Morais, D. S. (2018). Violência e racismo: Novas faces de uma afinidade reiterada. Revista de Estudios Sociales, (64), 15-26. Link

Tauil, C. A., & Nese, F. J. M. (2010). Alvenaria Estrutural. Pini.

Trindade, T. (2017). O que significam as ocupações de imóveis em áreas centrais? Caderno CRH, 30(79), 157-173. DOI: 10.1590/S0103-49792017000100010

Voos, C. H. (2016). Quem manda na cidade? Poder e rent-seeking urbano em Joinville/SC após o Estatuto da Cidade [Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul]. UFRGS: Lume - Repositório Digital. Link

Downloads

Publicado

31.05.2022

Como Citar

Gunlanda, O. A. C., Assis, N. de, & Zanella, A. V. (2022). Clubes Sociais Recreativos em Joinville: Desigualdades Étnico-Raciais. Revista Subjetividades, 22(2), e11423. https://doi.org/10.5020/23590777.rs.v22i2.e11423

Edição

Seção

Relatos de Pesquisa