Sobre a escuta de ecos literários e a escrita da clínica na re-invenção da psicanálise

Leônia Cavalcante Teixeira

Resumo


Trataremos de uma reflexão sobre o lugar da literatura na elaboração do saber psicanalítico. O objetivo é delinear sua importância fundamental nesse processo, a partir do reconhecimento de que a escrita literária se impõe como necessidade para Freud, ocupando locus basilar na caminhada contínua de formação para o analista. Consideramos que os ecos dos efeitos que a literatura lhe causou constituem matéria-prima para a produção do saber psicanalítico, caracterizando um estilo de escrita singular e inseparável dos modos de transmissão da psicanálise. Neste artigo, ressaltamos o lugar de Freud como autor e a transferência ao seu estilo como um importante fator de filiaçãono percurso do formar-se analista. Também destacamos a escrita sobre a clínica e a interessante questão do analista-escritor. Palavras-chave: literatura, metapsicologia, clínica, escrita, formação do analista.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia