Mulher, corpo e subjetividade: uma análise desde o patriarcado à contemporaneidade

Georges Daniel Janja Bloc Boris, Mirella de Holanda Cesídio

Resumo


Este texto discute diferentes concepções acerca da subjetividade e do corpo feminino, implantadas desde o período patriarcal, mas que impõem sua influência ainda na contemporaneidade, analisando, em particular, o modo como a mídia influencia a sua constituição, especialmente nos dias de hoje. O objetivo do artigo é discutir as diferentes concepções de corpo em diversos períodos históricos e culturais, analisando, em particular, sua influência e sua interferência na construção do corpo e da subjetividade da mulher. Discute também como a mulher vivenciou o período do patriarcado sob intensa dominação masculina, sendo seu corpo submetido ao prazer e aos desejos do homem. Da mesma forma, os autores deste texto reconhecem que, devido a diversas transformações culturais, econômicas, históricas e políticas, a mulher passou a vivenciar uma nova maneira de compreender seu corpo, podendo expressar seu prazer e consumir tudo aquilo que deseja, mas se adequou ao modelo corporal imposto pelo sistema capitalista e pela ideologia da mídia. Tais transformações e suas conseqüências sobre o corpo e a subjetividade da mulher são objeto de atenção especial neste artigo. Palavras-chave: mulher, subjetividade feminina, corpo, mídia, patriarcado.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia