Há dignidade no trabalho com o lixo? Considerações sobre o olhar do trabalhador

Gemmelle Oliveira Santos, Luiz Fernando Ferreira da Silva

Resumo


O artigo traz uma breve discussão sobre as condições de trabalho e vida de alguns garis e catadores de Fortaleza/CE na perspectiva de compreender como esses sujeitos percebem a relação do “lidar com o lixo” com a sociedade. As informações trazidas aqui pertencem a uma categoria que emergiu nos discursos dos trabalhadores entrevistados em uma pesquisa de mestrado e tais informações foram construídas no segundo semestre de 2007 após parecer do Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da Universidade Federal do Ceará (Processo 205/2007). Em termos metodológicos, fizemos uso da metodologia qualitativa e da técnica da entrevista semi-estruturada com um grupo de dez pessoas (amostragem por saturação). Observamos que: i) “trabalhar com o lixo” é para alguns entrevistados um ofício digno; para outros não, ii) os entrevistados percebem o não-reconhecimento do seu trabalho pela sociedade e, iii) ainda há preconceito para alguns entrevistados, mas a sociedade vem aumentando sua consciência. A intenção na escolha deste tema foi de contribuir para que uma maior atenção seja dispensada aos seres humanos que estão na condição de garis e catadores de materiais recicláveis em Fortaleza/CE. Palavras-chave: Dignidade, Trabalho, Lixo, Saúde do Trabalhador, Saúde Ambiental.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia