O Fantasma atuado em Narrativas de Assassinatos Cruéis: Uma Leitura Psicanalítica

Luanza Pavesi Mai, Gustavo Adolfo Ramos Mello Neto

Resumo


Este artigo apresenta a proposta de pensar psicanaliticamente a experiência de um suposto leitor frente a algumas narrativas de crimes de assassinatos cruéis contidas no livro Serial Killer: Louco ou Cruel? Trata-se de resultado parcial da dissertação de mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Estadual de Maringá, sob o título “A narrativa de crimes de assassinatos cruéis: um estudo psicanalítico”, que se propôs a investigar as possíveis manifestações inconscientes que podem estar presentes durante a leitura de livros que narram crimes de assassinatos cruéis e expõem diversos casos, dos quais, para o presente artigo, foram escolhidos “O casal letal” e “Theodore Robert Bundy”. Inspirando-se, essencialmente, nas ideias de André Green sobre o desligamento e em textos de Freud, lançaram-se duas hipóteses básicas, a saber: (1) a existência de um núcleo comum a esse gênero de narrativas e (2) a presença de um convite à perversão feito pelo escritor ao leitor a partir da escrita dessas narrativas. Concluiu-se que esse núcleo comum de fato existe e que está relacionado não só à “realização” de desejo, o que é quase óbvio, mas também a manifestações inconscientes, tais como a cena originária, a fantasia de espancamento e, finalmente, o complexo da mãe morta.

Palavras-chave


psicanálise; psicanálise e literatura; narrativas de assassinatos hediondos; fantasma atuado; manifestações inconscientes.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5020/23590777.14.3.405-417

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia