Depressão pós-parto: prevenção e conseqüências

Damiana Guedes-Silva

Resumo


Este trabalho enfoca a depressão pós-parto, em que apresenta distúrbio de humor de grau moderado a severo, de caráter multifatorial, clinicamente identificado como um episódio depressivo, com início dentro de seis semanas após o parto. Os profissionais de saúde, especialmente enfermeiros, médicos e psicólogos, devem estar aptos a cuidar das parturientes a fim de evitar traumas para a mãe, filhos e famílias envolvidos, inclusive, prevenindo episódios de suicídio e infanticídio. A depressão pósparto acomete entre 15 a 20% das parturientes, mas sabe-se que boa parte das mães que sofreram e/ou sofrem deste distúrbio não procura ajuda para esse problema afetivo, ou prefere utilizar a totalidade dos cuidados médicos para o bebês e não para si mesmas. A metodologia usada para desenvolvimento deste trabalho inclui cuidadosa busca bibliográfica em livros e artigos que enfocam o problema.

Palavras-chave


depressão pós-parto, prevenção, gravidez, enfermagem

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia