Função paterna e adolescência em suas relações com a violência escolar

Isael de Jesus Sena, Maria de Lourdes Soares Ornellas Farias

Resumo


O artigo, de acordo com a perspectiva da Teoria Psicanalítica, aborda os impasses e as implicações vivenciadas por adolescentes diante do declínio da função paterna na contemporaneidade. Este trabalho, em seu desenvolvimento, discute a concepção de função paterna, colocando os contrapontos que dizem respeito à figura do genitor e às particularidades de seu papel, mesmo em sua ausência, revelando, com isso, os diferentes modos como a lei pode ser representada por outros agentes, entre estes o professor. A adolescência, neste contexto, é tomada como uma crise psiquíca, um tempo de subjetivação do sujeito, em contraposição à psicologia que entende este processo como uma etapa evolutiva, um momento de crise, situada numa faixa étária. Retratando essas questões a partir do cinema, em interface com o filme Elefante, a tragédia da Columbine Hig School, recriada sob a direção de Gus Van Sant, busca refletir as dificuldades enfrentadas por adolescentes diante do mal-estar gerado pelo enfraquecimento da autoridade do pai e do professor. Por fim, sublinha as frustrações enfrentadas pelos mestres de adolescentes frente à banalização da violência no contexto escolar e aponta críticas ao modelo de ensino instituído, que não leva em consideração a subjetividade do aluno.

Palavras-chave


Função paterna. Adolescência. Escola. Violência. Professores.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia