Família, laços e sofrimento psíquico

Maria Consuêlo Passos

Resumo


A constituição dos laços na família tem suscitado muitas interrogações, sobretudo quando levamos em conta os desdobramentos desse grupo no cenário da sociedade atual, cujas características apontam para a fragilidade, descontinuidade e fragmentação das relações. Neste contexto, os laços parentais como fundamentos da estruturação psíquica da criança e de sua subjetivação também se transformam, exigem novas saídas e, muitas vezes, geram dificuldades na constituição psíquica dos filhos. São impasses relacionados a uma precariedade no exercício das funções parentais e nas referências simbólicas da família, recursos indispensáveis ao amadurecimento da criança e à emergência das relações intersubjetivas no grupo. Essas condições têm produzido uma dinâmica familiar na qual sintomas e sofrimentos psíquicos funcionam, muitas vezes, como mecanismos defensivos do grupo e dos sujeitos. Tais inquietações atravessam as reflexões desenvolvidas neste trabalho, que tem como objetivo discutir a constituição dos laços na família, articulando-os com a emergência de sofrimentos psíquicos contemporâneos. Estes sofrimentos se mostram, em muitas situações, associados a um empobrecimento simbólico que se dá, sobretudo, no interior da família. Questões como: constituição do psiquismo; parentalidades; laços e sofrimento psíquico são articuladas visando contribuir não só para a clínica como também para as intervenções realizadas pelos agentes de saúde pública.

Palavras-chave


Família; Relação pais-filhos; Referências simbólicas; Autoridade parental; Sofrimento psíquico.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia