Não há você sem mim: Histórias de Mulheres Sobreviventes de uma Tentativa de Homicídio

Ana Karina Silva Azevedo, Elza Maria do Socorro Dutra

Resumo


O homicídio seguido de suicídio (H/S) é definido como um crime em que uma pessoa tira a vida de outra e depois se mata em até 24 horas. Objetivamos compreender os sentidos da experiência de um H/S, a partir de mulheres que sobreviveram a este ato. Esta é uma pesquisa fenomenológica-hermenêutica, baseada na ontologia heideggeriana. Foram entrevistadas três sobreviventes de H/S, cujos depoimentos foram interpretados de acordo com o círculo hermenêutico heideggeriano. Percebemos que tais mulheres construíram sentidos em suas existências, representados no alicerce familiar. Tal projeto movia as suas vidas em direção à construção de modos-de-ser. A historicidade construiu sentidos para a existência dessas mulheres, com relatos de uma vivência de relações amorosas caracterizadas por forte ciúme, fantasias de traição e marcadas por um cuidado na relação afetiva que restringia a sua existência a ser-para-o-marido. Portanto, o que fazia essas mulheres continuarem a escolher essa relação era o sentido que elas tinham para a sua existência. Espera-se que este estudo contribua para a construção de um novo olhar acerca da violência contra mulher, tendo como fundamento a fenomenologia hermenêutica heideggeriana.

Palavras-chave


pesquisa fenomenológica, fenomenologia hermenêutica, homicídio seguido de suicídio, violência doméstica

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5020/23590777.15.2.201-213

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia