Considerações Contemporâneas sobre a Noção Psicanalítica de Diferença Sexual

Marina Sodré, Márcia Arán

Resumo


A partir da interface entre psicanálise e cultura, este trabalho tem por objetivo levantar algumas considerações sobre o debate contemporâneo acerca da noção psicanalítica de diferença sexual introduzido pelos deslocamentos ocorridos no campo da sexualidade e pelos desafios que estes impõem ao campo psicanalítico. A partir do pano de fundo da nova cartografia da sexualidade, tomou-se como fio condutor o diálogo travado entre Judith Butler e Slavoj Žižek acerca do estatuto da noção de diferença sexual para a psicanálise, a fim de se considerar em que medida a psicanálise baseia a constituição da diferença no modelo binário e hierárquico da divisão sexual, contribuindo para a manutenção normativa do sistema sexo-gênero, ou em que medida a teoria psicanalítica proporciona um deslocamento do modelo dimórfico da diferença sexual para outra forma de pensar a diferença, contribuindo para a compreensão da alteridade enquanto indeterminação e contingência. Nesse percurso, explora-se as interpretações de Butler de alguns conceitos fundamentais da psicanálise freudiana e lacaniana, tal como o do complexo de Édipo, e as considerações de Žižek acerca da leitura de Butler. O intuito final deste estudo é o de valorizar o diálogo entre os autores contemporâneos para a realização de novas leituras psicanalíticas, demonstrando a possibilidade de a teoria psicanalítica ser repensada e reapresentada diante das novas questões sóciohistóricas.

Palavras-chave


Psicanálise, cultura, sexualidade, diferença sexual, subjetividade.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia