Transferência, Transmissão e Subjetivação: Sobre a Referência a Sócrates e Alcibíades em Lacan e Foucault

Eduardo Leal Cunha, Joel Birman

Resumo


Este artigo pretende discutir a relação transferencial a partir da sua dimensão ética, na qual se articulam a relação com o outro e os processos de subjetivação. Para isso, procura-se estabelecer um contraponto entre as leituras estabelecidas por Lacan e Foucault da relação entre Alcibíades e Sócrates, tomada por ambos os autores como referência de processo formativo. Desse modo, trabalha-se com as formulações de Lacan em torno da transmissão da psicanálise, nas quais ocupa lugar central a discussão sobre o laço transferencial, em especial na “Proposition du 9 octobre 1967”, colocando-a em contraposição à leitura estabelecida por Foucault do cuidado de si e da relação mestre/discípulo no mundo helênico, em particular no curso proferido no Collège de France, que tem como título “L´hermeneutique du sujet”. Considerando como em cada um desses autores as dimensões estrutural e política são apontadas como centrais ao laço formativo, em Lacan e Foucault, respectivamente, sinaliza-se a necessidade de articulação entre as mesmas com vistas a uma compreensão mais ampla da transferência, que dê conta precisamente de seu alcance ético. Para isso, procurase inicialmente contextualizar a personagem socrática em cada um dos dois autores, articulando a referência ao mundo grego a seus respectivos projetos teóricos e destacando pontos de aproximação e de distanciamento.

Palavras-chave


Transferência, transmissão da psicanálise, ética, política, subjetivação.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia