Concepção Atual de Família: Do Declínio da Função Paterna aos Novos Sintomas

Giovana Bessa Borges Heinemann, Daniela Scheinkman Chatelard

Resumo


O presente artigo visa analisar o que a psicanálise de orientação lacaniana postula como declínio da função paterna nas formas de família da cultura contemporânea – em que há uma supremacia do discurso do mestre através do discurso da ciência articulado ao capitalismo – e qual a consequência disso na formação dos chamados novos sintomas. Com o declínio da função paterna, há uma supremacia do mais-de-gozar sobre o Nome-do-Pai, ou seja, o que predomina na cultura atual são os objetos "a". A psicanálise propõe pensar a função paterna em termos significantes: do pai como Nome e da mãe como Desejo. O pai, a mãe e a criança devem ser compreendidos a partir de suas funções significantes. Assim, podemos pensar a fórmula da constituição do sujeito a partir de suas relações na família. O estudo foi realizado por meio de uma revisão bibliográfica crítica acerca do tema, tendo como principal fonte as ideias defendidas por Lacan, Freud e alguns de seus seguidores. O artigo foi dividido em três partes: a primeira faz uma explanação sobre as novas concepções de família, a segunda trata do Nome-do-Pai e seu declínio, e a última versa sobre os novos sintomas. Concluímos, primeiramente, que a conjuntura do mundo globalizado leva a diferentes modos de gozo e de sintomas, e, em seguida, que a atual concepção de família possibilita novas formas de laços sociais e não cria, necessariamente, diferentes tipos clínicos.

Palavras-chave


Função paterna, Nome(s)-do-Pai, Família, Sintoma, Gozo.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia