Para Pensar Dispositivos Analíticos na Prática da Psicologia na Saúde e Trabalho Hospitalar

Márcia Ziebell Ramos

Resumo


Este ensaio-crítico, situado no trabalho do psicólogo junto ao trabalhador do hospital, se propõe a pensar a prática da psicologia na saúde. O percurso de construção deste vai lançar mão de uma estratégia de intercessão entre conceitos/ autores e prática. Com o objetivo de provocar movimentos e ampliações, buscando a produção de sentidos e a invenção de possibilidades para o cotidiano do psicólogo junto ao trabalhador hospitalar, este trabalho instiga a tessitura de redes ou a ampliação das possibilidades de percepções, compreensões, entendimentos e interpretações sobre os modos de viver o trabalho . As interrogações e dilemas disparados no cotidiano de trabalho, juntamente com as provocações advindas dos percursos de estudo e discussões teóricas em diferentes espaços acadêmicos e profissionais, são utilizados como disparadores a serem pensados a luz de alguns conceitos desenvolvidos pelos autores aqui referenciados. A proposta da prática como um dispositivo analítico , será aqui apresentada de modo que os conceitos funcionem como intercessores entre a psicanálise e a esquizoanálise e as práticas e modos cotidianos de viver as instituições. Analítico por se propor a através de um fazer genealógico, que se efetivará enquanto trabalhadora da saúde, explorar as práticas e os jogos de verdade, acompanhar os movimentos de fixação e ruptura, as continuidades e descontinuidades na superfície mesma dos acontecimentos.

Palavras-chave


Psicologia na saúde, Saúde do trabalhador, Trabalho hospitalar, Genealogia, Esquizoanálise.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia