Formação de Grupos, Narcisismo e Alteridade: Uma Investigação Psicanalítica e Antropológica

Manuella Mucury Teixeira, Ondina Pena Pereira

Resumo


O presente artigo investiga, no processo de formação de um grupo, as relações que seus componentes estabelecem com o que a psicanálise freudiana intitula ideal do eu, articulando tal conceito às noções antropológicas de diferença e alteridade tal como trabalhadas por Baudrillard. As discussões são feitas a partir de dados obtidos em trabalho de campo realizado com adolescentes de uma escola pública da periferia do Distrito Federal, os quais participaram, durante um ano, de oficinas práticas de fotografia, texto literário e conversação livre, que foram compreendidas como oficinas de trocas simbólicas, em referência ao trabalho da linguagem que as atravessava. Durante os trabalhos das oficinas, procurou-se observar o processo de transformação do que era, de início, um mero amontoado de adolescentes, em um grupo constituído como tal. Busca-se, aqui, apresentar os resultados a que chegaram os jogos de rivalidade e de solidariedade que se estabeleceram durante as oficinas, dando ênfase aos acontecimentos que trouxeram à tona as tensões entre indivíduos e entre sub-grupos que se formaram em oposição um ao outro e que se relacionam ao narcisismo das pequenas diferenças e à recusa da alteridade. Tais oposições aparecem em várias dimensões das relações intergrupais, principalmente aquelas que dizem respeito à dimensão econômica e à dimensão etária.

Palavras-chave


ideal do eu, grupo, psicanálise, narcisismo, alteridade.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia