Reflexões acerca da Experiência de Observação de um Bebê Abrigado

Rose Daise Melo do Nascimento, Janari da Silva Pedroso

Resumo


A presente pesquisa apresenta, como proposta principal, pensar a questão do desenvolvimento emocional de um bebê abrigado a partir da experiência de observação direta, com adaptação para o contexto de abrigo, do método de observação da relação mãe-bebê proposto originalmente por Esther Bick. Dessa maneira, tevese acesso ao mundo de Miguel, um bebê que aos cinco dias de vida foi admitido em um abrigo público por motivo de abandono. Foram feitas observações semanais com duração de uma hora durante os quatro primeiros meses de vida do referido bebê e, para subsidiar as discussões propostas no presente estudo, foram selecionadas as observações relativas aos dois primeiros meses de vida de Miguel. Tendo como base o referencial teórico psicanalítico, discute-se o desenvolvimento emocional nos primórdios da vida de um bebê privado do convívio parental, com ênfase nas discussões sobre as relações objetais e pele emocional. Destaca-se o método com o qual se teve acesso a esses conteúdos. Ao final desta jornada, através do recurso metodológico utilizado, revelou-se um bebê cujos cuidados recebidos estiveram permeados pela carência de afeto, cuidados estes, na maioria das vezes, incoerentes com as reais necessidades de Miguel, o qual, ao contrário, estava totalmente disponível ao contato e aos poucos desenvolveu recursos próprios para atingir e ter um mínimo de retorno e de interação com o outro.

Palavras-chave


Abrigo, Observação de bebê, Desenvolvimento emocional, Relações de objeto, Pele emocional.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia