Biopolítica, Bioeconomia, Subjetividade: Uma Análise das Principais Transformações Laborais no Capitalismo Contemporâneo

Pablo Severiano Benevides, Tainã Alcantara de Carvalho

Resumo


Este trabalho tem por objetivo discutir, a partir do pensamento de Michel Foucault, a emergência da economia política como saber imanente à Biopolítica e, a partir disso, situar a pertinência da noção de Bioeconomia para pensar as atuais formas de regulação e governo das populações no contexto político do neoliberalismo, de modo a evidenciar as principais transformações ocorridas no mundo laboral a partir das atuais configurações do capitalismo contemporâneo. Para este fim, o trabalho foi organizado mediante a seguinte estruturação: a) salientou-se a pertinência da análise e da utilização da categoria da Bioeconomia, partindo da construção da categoria da Biopolítica em Foucault e da emergência da realidade da esfera econômica; b) destacou-se a posição da Bioeconomia na análise do mundo do trabalho contemporâneo; e, mediante a relevância da categoria à análise dos pressupostos do novo mundo do trabalho, c) especificou-se as transformações ocorridas em relação à temporalidade sob o conceito da Bioeconomia. Conforme o resgate da categoria a partir do próprio Foucault e do ensaio de reconstrução com autores contemporâneos, perceber-se-á que o conceito se mostra relevante para um entendimento mais específico das transformações do mundo do trabalho no século XXI, na medida em que estas sinalizam para uma captura das dimensões subjetivas implicadas na atividade laboral.

Palavras-chave


bioeconomia, biopolítica, foucault, trabalho

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5020/23590777.15.3.362-374

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia