As Transformações Produtivas na Pós-graduação: O Prazer no Trabalho Docente Está Suspenso?

Fábio Machado Ruza, Eduardo Pinto e Silva

Resumo


O trabalho e a subjetividade do professor da pós-graduação se inscrevem em determinado contexto político-econômico configurado pela mundialização do capital, Reforma do Estado e naturalização de formas de gestão e organização do trabalho orientadas pelos paradigmas objetivista, funcionalista e utilitarista. Neste cenário, se efetuam profundas reformas no papel desenvolvido pela universidade, que tende a se transformar em uma instituição gerencial, produtivista e mercantilizada. O docente vive, então, uma série de conflitos entre as exigências institucionais e sua subjetividade. Frente a isto, questionamos: o prazer no trabalho estaria colocado em suspenso? O sofrimento no trabalho encontraria possibilidades de, pela mediação do reconhecimento, se transmutar em prazer? Com fim de examinarmos esta questão, foram levantados e analisados dados e documentos institucionais de uma universidade pública, a UNESP, e aplicado questionário a professores de dois programas de pós-graduação de elevada performance acadêmica. O aporte teórico pautou-se nas contribuições da Psicodinâmica e da Psicossociologia do Trabalho. Apontamos que o prazer-sofrimento são elementos imbricados e que coexistem mutuamente em todas as dimensões do trabalho do professor, ainda que determinadas atividades e relações gerem potencialmente maior prazer e, outras, maior sofrimento. A intensificação do trabalho, o desgaste frente às exigências de rotinização das tarefas e o significativo número de referências ao estresse e/ou adoecimento foram evidenciados. Mas há aspectos que ora se contrapõem, ora ofuscam estes indicadores de sofrimento. Conclui-se que, neste jogo intrincado do par antitético prazer-sofrimento, ficam abertas várias possibilidades para as subjetividades docentes, que se situam entre o sofrimento patogênico e o sofrimento criativo.

Palavras-chave


educação superior, professor universitário, trabalho e subjetividade, sofrimento e prazer no trabalho, psicodinâmica e psicossociologia do trabalho

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5020/23590777.16.1.91-103

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia