Uma Partida em qualquer Porto, Um Navegar por Mares Loucos...

Mário Francis Petry Londero, Simone Mainieri Paulon

Resumo


O artigo reflete sobre a escuta clínica a partir de uma pesquisa-intervenção participativa e avaliativa das práticas de cuidado em saúde mental na rede de atenção básica, realizada na região metropolitana do estado do Rio Grande do Sul. Sustentado no método cartográfico, o estudo foi desenvolvido com grupos de interesse, stakeholders, que reuniram usuários, trabalhadores e gestores da rede de atenção psicossocial de cada um dos seis municípios participantes. As narrativas extraídas de cenas cotidianas de um dos municípios pesquisados são apresentadas com a finalidade de destacar as dificuldades que tanto os trabalhadores como a comunidade têm em acolher os sofrimentos psíquicos expressos na discursividade psicótica. Ao final, aponta-se o quanto a clínica da reforma psiquiátrica teria a aprender com as experimentações desviantes que a loucura e as pesquisas participativas podem ofertar quando operadas sob uma ética da diferença.

Palavras-chave


política pública; reforma psiquiátrica; clínica; pesquisa-intervenção; loucura.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Benjamin, W. (1994). Charles Baudelaire um lírico no auge do capitalismo. In Obras escolhidas (Vol. 3, 3. ed). São Paulo: Brasiliense.

Calligaris, C. (2013). Introdução a uma clínica diferencial das psicoses (2. ed). São Paulo: Zagodoni.

Deleuze, G. (2005). Foucault (C.S. Martins, Trad.). São Paulo: Brasiliense. (Originalmente publicado em 1986)

Deleuze, G., & Guattari, F. (1997). Mil Platôs: Capitalismo e Esquizofrenia. (Vol. 4, S. Rolnik, Trad.). São Paulo: Editora 34. (Originalmente publicado em 1980)

Dunker, C. I. L. (2015). A escuta do delírio: Fragmentos de um caso clínico. In C. I. L Dunker & K. N. Fuad (Orgs.), Psicanálise e saúde mental. Porto Alegre: Criação Humana.

Foucault, M. (2006). O Triunfo Social do Prazer Sexual: Uma conversação com Michel Foucault. In Ditos e escritos V: Ética, sexualidade, política. Organização e seleção dos textos Manoel Barros da Motta. (2. ed.). Rio de Janeiro: Forense Universitária. (Originalmente publicado em 1982)

Foucault, M. (2008). História da loucura: Na idade clássica. (J. T. Coelho Neto, Trad.). São Paulo: Perspectiva. (Originalmente publicado em 1961)

Foucault, M. (2010). Em defesa da sociedade: Curso no Collège de France (1975-1976). (M. E. Galvão, Trad., 2. ed). São Paulo: Editora WMF Martins fontes. (Originalmente publicado em 1975-1976)

Galeano, E. (2007). As palavras andantes. Porto Alegre: L&PM.

Guba, E., & Lincoln, Y. (2011). Avaliação de quarta geração (B. Honorato, Trad.). Campinas: Editora da Unicamp.

Guimarães Rosa, J. (2001). Grande Sertão: Veredas (19. ed.). Rio de Janeiro: Nova Fronteira. (Originalmente publicado em 1956)

Jerusalinsky, A. (2011). Gotinhas e comprimidos para crianças sem história: Uma psicopatologia pós-moderna para a infância. In A. Jerusalinsky, & S. Fendrik (Orgs.), O livro negro da psicopatologia contemporânea. São Paulo: Via Lettera.

Lispector, C. (1973). Água viva. Rio de Janeiro: Círculo do Livro.

Londero, M. F. P., & Paulon, S. M. (2018). Por um devir bicicleta no apoio à rede de saúde. Psicologia & Sociedade, 30(e169755), 1-10.

Melville, H. (2013). Moby Dick. (I. Hirsch & A. B. Souza, Trad., 2. ed.) São Paulo: Cosac Naify. (Originalmente publicado em 1851)

Merhy, E. E. (2002). Saúde: A cartografia do trabalho vivo. São Paulo: Hucitec.

Passos, E., & Barros, R. B. (2009). Pista 1: A cartografia como método de pesquisa-intervenção. In E. Passos, V. Kastrup, & L. Escóssia. (Org.), Pistas do método da cartografia: Pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina.

Pelbart, P. P. (1991). Manicômio Mental: A outra face da clausura. In A. Lancetti (Org.), Saúde e Loucura 2. (4. ed.). São Paulo: Editora HUCITEC.

Pelbart, P. P. (2003). Poder sobre a vida, potências da vida. In P. P. Pelbart (Org.), Vida capital: Ensaios de biopolítica. São Paulo: Editora Iluminuras.

Pelbart, P. P. (2009). Da clausura do fora ao fora da clausura: Loucura e desrazão (2. ed.), São Paulo: Iluminuras.

Pelbart, P. P. (2010). A utopia imanente. In E. Sosha (Org.) Dossiê cult: filosofia francesa contemporânea. São Paulo: Editora Bregantini.

Pelbart, P. P. (2013). O avesso do niilismo: Cartografias do esgotamento. São Paulo: N-1 Edições.

Rolnik, S. (1997). Clínica Nômade. In Equipe de Acompanhantes Terapêuticos do Instituto A Casa (Org.), Crise e Cidade: acompanhamento terapêutico. São Paulo: EDUC.

Rolnik, S. (2000). Esquizoanálise e antropofagia. In E. Alliez & G. Deleuze (Orgs.), Uma Vida Filosófica. São Paulo: Ed. 34.

Sousa, E. L. A. (2008). A burocratização do amanhã: Utopia e ato criativo (Vol. 24, pp. 41-51). Porto Alegre: UFRGS.

Spinoza, B. de. (2007). Ética. (T. Tadeu, Trad.). Belo Horizonte: Autêntica Editora. (Originalmente publicado em 1677)

Tavares, G. M. (2007). Aprender a rezar na Era da Técnica. Lisboa: Editorial Caminho.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/23590777.rs.v18i3.5580

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia