Do liame entre Imaginário e Violência: Desenlaces no Corpo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5020/23590777.rs.v21i3.e9305

Palavras-chave:

imaginário, violência, corpo, sintoma, contemporaneidade

Resumo

Considerando-se a dissolução dos valores tradicionais modernos e as particularidades das configurações subjetivas engendradas na Contemporaneidade, este artigo propõe uma reflexão teórica a partir da reassunção do percurso psicanalítico lacaniano no que se refere à formulação do registro imaginário, destacando seu liame com a violência e seus desdobramentos no corpo. Para tanto, percorre-se o caráter essencial do estádio do espelho na formação do Eu, a conflituosa e intrínseca relação com o outro, as distinções teóricas entre agressividade e violência, os fundamentos do corpo com o qual a Psicanálise opera e sua compreensão como desenlace sintomático favorecido pelo ato. Por fim, delineiam-se os recursos que a clínica psicanalítica pode oferecer frente a tal conjuntura.

Biografia do Autor

Mariana Salles Kehl, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio)/Humboldt-Universität zu Berlin

Psicanalista. Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Psicologia Clínica da PUC-Rio (CNPq) | Humboldt-Universität zu Berlin (DAAD); Visiting Research Fellow na Brown University.

Maria Isabel Fortes, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio)

Psicanalista. Professora Adjunta II do Programa de Pós-graduação em Psicologia Clínica da PUC-Rio; Membro do Espaço Brasileiro de Estudos Psicanalíticos.

Referências

Barroso, A. F., & Ferrari, I. F. (2014). O último ensino de Lacan: Há algo para além da linguagem. Calidoscópio, 12(2), 249-254.

Bastos, A. (2004). Segregação, gozo e sintoma. Revista Mal-Estar e Subjetividade, 4(2), 251-265.

Caillois, R. (1986). Mimetismo e psicastenia legendária. In Che vuoi? Psicanálise e Cultura (n.p.). Porto Alegre: Cooperativa Cultural Jacques Lacan.

Costa, J. F. (1984). Violência e Psicanálise. Rio de Janeiro: Graal.

Fernandes, M. H. (2003). Corpo. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Filloux, J. C. (1988). O inconsciente. São Paulo: Martins Fontes.

Freud, S. (1996a). Recomendações aos médicos que exercem a psicanálise. In J. Strachey (Ed.), Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (Vol. 12, pp. 121-133). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1912)

Freud, S. (1996b). Totem e Tabu. In J. Strachey (Ed.), Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (Vol. 13, pp. 11-167). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1913)

Freud, S. (1996c). Sobre o Narcisismo: Uma Introdução. In J. Strachey (Ed.), Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (Vol. 14, pp. 75-108). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1914)

Freud, S. (1996d). Os Instintos e suas Vicissitudes. In J. Strachey (Ed.), Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (Vol. 14, pp. 115-144). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1915)

Freud, S. (1996e). O Estranho. In J. Strachey (Ed.), Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (Vol. 17, pp. 231-267). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1919)

Freud, S. (1996f). Além do Princípio do Prazer. In J. Strachey (Ed.), Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (Vol. 18, pp. 11-72) Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1920)

Freud, S. (1996g). O mal-estar na civilização. In J. Strachey (Ed.), Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (Vol. 21, pp. 65-152). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1930)

Freud, S. (1996h). Por que a guerra? In J. Strachey (Ed.), Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (Vol. 22, pp. 201-220). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1933)

Gómez, G. E. (2012). El poder organizador de la imagen. Revista Affectio Societatis, 9(16).

Jorge, M. A. C. (2011). Fundamentos da psicanálise de Freud a Lacan, v.1: As bases conceituais. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Kehl, M. (2018). De uma metapsicologia borderline e sua relação com o manejo clínico na conjugalidade. Cadernos de Psicanálise CPRJ, 40(39), 213-227.

Kehl, M., & Fortes, I. (2019). De uma clínica do refúgio: Violência, trauma e escrita. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, 22(3), 520-539.

Lacan, J. (2001). Os complexos familiares na formação do indivíduo. In J. Lacan, Outros Escritos (pp. 29-90). Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Originalmente publicado em 1938)

Lacan, J. (1998a). O estádio do espelho como formador da função do eu tal como nos é revelada na experiência psicanalítica. In J. Lacan, Escritos (pp. 96-103). Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Originalmente publicado em 1949)

Lacan, J. (1998b). Formulações sobre a causalidade psíquica. In J. Lacan, Escritos (pp. 152-194). Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Originalmente publicado em 1946)

Lacan, J. (1998c). A agressividade em psicanálise. In J. Lacan, Escritos (pp. 104-126). Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Originalmente publicado em 1948)

Lacan, J. (1998d). O Seminário, Livro 11: Os quatro conceitos fundamentais da psicanálise (1964). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J. (1991). O Seminário, Livro 8: A transferência (1960-1961). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J. (1999). O Seminário, Livro 5: As formações do inconsciente (1957-1958). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J. (2008). O Seminário, Livro 20: Mais, ainda (1972-1973). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Laplanche, J., & Pontalis, J.-B. (2001). Vocabulário da Psicanálise (4ª ed.). São Paulo: Martins Fontes.

Lipovetsky, G. (2005). A sociedade pós-moralista: O crepúsculo do dever e a ética indolor dos novos tempos democráticos. São Paulo: Manole.

Marcos, C. M., & Derzi, C. A. M. (2013). As manifestações do ato e sua singularidade em suas relações com o feminino. Ágora: Estudos em Teoria Psicanalítica, 16(1), 71-86.

Marin, I. S. K. (2002). Violências. São Paulo: Escuta/FAPESP.

Miller, J.-A., & Laurent, E. (2005). El Otro que no existe y sus comités de ética. Buenos Aires: Paidós.

Ogilvie, B. (1991). Lacan: A formação do conceito de sujeito. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Ritter, P. (2017). Neuroses Atuais e Patologias da Atualidade. (Coleção Clínica Psicanalítica). Rio de Janeiro: Pearson Clinical.

Roudinesco, E., & Plon, M. (1998). Dicionário de Psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Simanke, R. T. (1997). Composição e estilo da metapsicologia lacaniana: Os anos de formação (1932-1953) (Tese de Doutorado). Universidade de São Paulo, SP.

Wallon, H. (1963). Comment se développe chez l’enfant la notion du corps propre. Enfance, 16, 121-150. (Originalmente publicado em 1931)

Downloads

Publicado

10.01.2022

Como Citar

Kehl, M. S., & Fortes, M. I. (2022). Do liame entre Imaginário e Violência: Desenlaces no Corpo. Revista Subjetividades, 21(3), e9305. https://doi.org/10.5020/23590777.rs.v21i3.e9305

Edição

Seção

Estudos Teóricos