Georges Devereux: Um Psicanalista Freudiano?

Wanessa Wonsoski, Eliane Domingues

Resumo


A psicanálise freudiana é um dos principais embasamentos da etnopsicanálise, disciplina fundada por Georges Devereux (1908-1985). Devereux se considerava um “psicanalista autenticamente clássico”, de acordo com as concepções “maiores” de Freud, mas com divergências em relação a certas concepções consideradas por ele como “menores”. Quais seriam essas concepções “menores” de Freud que Devereux discordava? Quais são as contribuições de Devereux à teoria psicanalítica? São essas questões que orientam este artigo. As concepções abordadas, alvos de discordâncias ou de desenvolvimentos de Devereux, que serão apresentadas aqui são: inconsciente; complexo de Édipo e período de latência; supereu e ideal do eu; e pulsão de morte. A partir da leitura dos principais textos de Devereux, identificamos que o autor adota as proposições freudianas da universalidade do psiquismo e do complexo de Édipo, mas discorda da existência da pulsão de morte e da universalidade do período de latência, e parece indicar uma distinção constitutiva entre o que é da ordem da interdição arbitrária (supereu) e o que é da ordem da função de modelo (ideal do eu). Além disso, Devereux amplia as formulações freudianas a respeito do desenvolvimento psicossexual ao refletir sobre as pulsões incestuosas, agressivas e canibalistas dos pais em relação aos filhos.

Palavras-chave


Georges Devereux; Sigmund Freud; etnopsicanálise; psicanálise; teoria.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Araújo, A. R. A. (2016). Trinta e cinco anos no limbo e outros tantos mais: Uma apreciação do legado epistemológico e metodológico de Georges Devereux. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-graduação em Antropologia da Escola de Ciências Sociais e Humanas, Instituto Universitário de Lisboa, Lisboa. Link

Azevedo, M. K., & Mello Neto, G. A. R. (2015). O desenvolvimento do conceito de pulsão de morte na obra de Freud. Revista Subjetividades, 15(1), 67-75. Link

Bastide, R. (1971). Prefácio. In G. Devereux, Ensayos de etnopsiquiatria general (pp. 09-19). Barcelona: Barral Editores.

Bloch, G. (2012). Georges Devereux, sa vie, son ouvre, et ses concepts: La naissence de l’ethopsychanalyse. Paris: Éditons Universitaires Européennes.

Devereux, G. (1953). Why Oedipus Killed Laius: A note on the complementary Oedipus complex in greek drama. The International Journal of Psychoanalysis, 34(2), 132-141.

Devereux, G. (1956). Therapeutic education: Its theoretical bases and practice. New York: Harper & Brothers Publishers.

Devereux, G. (1967). De la ansiedad al método en las ciências del comportamiento. Madrid: Siglo Veintiuno.

Devereux, G. (1971a). Normal y anormal. In G. Devereux. Ensayos de etnopsiquiatria general (pp. 25-102). Barcelona: Barral Editores. (Originalmente publicado em 1956)

Devereux, G. (1971b). La delincuencia sexual de las muchachas en una sociedad “putitana”. In G. Devereux, Ensayos de etnopsiquiatria general (pp. 252-281). Barcelona: Barral Editores. (Originalmente publicado em 1964)

Devereux, G. (1971c). Las pulsiones canibalísticas de los padres. In G. Devereux. Ensayos de etnopsiquiatria general (pp. 159-176). Barcelona: Barral Editores. (Originalmente publicado em 1966)

Devereux, G. (1972a). La influencia de los modelos culturales de pensamento em las teorias psiquiátricas primitivas y modernas. In G. Devereux, Etnopsicanalisis complementarista (pp. 252-281). Buenos Aires: Amorou Editores. (Originalmente publicado em 1958)

Devereux, G. (1972b). Consideraciones etnopsicoanalíticas acerca de la noción de parentesco. In G. Devereux, Etnopsicanalisis complementarista (pp. 171-203). Buenos Aires: Amorou Editores. (Originalmente publicado em 1965)

Devereux, G. (1972c). Lo interior y lo exterior: La naturaleza del stress. In G. Devereux, Etnopsicanalisis complementarista (pp. 53-65). Buenos Aires: Amorou Editores. (Originalmente publicado em 1966)

Devereux, G. (2009). La renonciation à l’identité, défensecontrel’anéantissement. Paris: Payot. (Originalmente publicado em 1967)

Devereux, G. (2012). De l’angoisse à la méthode dans las sciences du comportament. Paris: Champs Essais. (Originalmente publicado em 1967)

Devereux, G. (2013). Psychothérapie d’ un indien des plaines. Paris: Fayard. (Originalmente publicado em 1951)

Domingues, E., Honda, H., & Reis, J. G. (2019). A etnopsicanálise de Devereux no filme Jimmy P: uma introdução à clínica transcultural. Psicologia em Estudo, 24(38337), 1-15. doi: 10.4025/psicolestud.v24i0.38337

Freud, S. (2006). As neuropsicoses de defesa. In S. Freud, Obras completas (pp.51-74). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1894)

Freud, S. (2010a). Recordar, repetir e elaborar. In S. Freud, Observações psicanalíticas sobre um caso de paranoia relatado em autobiografia [“o caso Shreber”], artigos sobre a técnica e outros textos (pp. 193-209). São Paulo: Companhia das Letras. (Originalmente publicado em 1914)

Freud, S. (2010b). A repressão. In S. Freud. Introdução ao narcisismo, ensaios de metapsicologia e outros textos (pp. 82-98). São Paulo: Companhia das Letras. (Originalmente publicado em 1915)

Freud, S. (2010c). O inconsciente. In S. Freud. Introdução ao narcisismo, ensaios de metapsicologia e outros textos (pp. 99-150). São Paulo: Companhia das Letras. (Originalmente publicado em 1915)

Freud, S. (2010d). Os instintos e seus destinos. In S. Freud, Introdução ao narcisismo, ensaios de metapsicologia e outros textos (pp. 51-81). São Paulo: Companhia das Letras. (Originalmente publicado em 1915)

Freud, S. (2010e). Além do princípio do prazer. In S. Freud, História de uma neurose infantil [“O homem dos lobos”], além do princípio do prazer e outros textos (pp. 161-239). São Paulo: Companhia das Letras. (Originalmente publicado em 1920)

Freud, S. (2011). O Eu e o Id. In S. Freud. O Eu e o Id, “autobiografia” e outros textos (1923-1925) (pp. 13-76). São Paulo: Companhia das Letras. (Originalmente publicado em 1923)

Freud, S. (2013). Concepção psicanalítica do transtorno psicogênico da visão. In S. Freud. Observações sobre um caso de neurose obsessiva [“o homem dos ratos”], uma recordação de infância de Leonardo Da Vinci e outros textos (pp. 313-323). São Paulo: Companhia das Letras. (Originalmente publicado em 1910)

Freud, S. (2016). Três ensaios sobre a teoria da sexualidade. In S. Freud, Três ensaios sobre a teoria da sexualidade, análise fragmentária de uma histeria [“O caso Dora”] e outros textos (pp. 13-172). São Paulo: Companhia das Letras. (Originalmente publicado em 1905)

Freud, S. (2018). Análise terminável e interminável. In S. Freud. Moisés e o monoteísmo, compêndio de psicanálise e outros textos (pp. 274-326). São Paulo: Companhia das Letras. (Originalmente publicado em 1937)

Laplanche, J., & Pontalis, J. B. (2016). Dicionário de psicanálise (Pedro Tamen, trad., 4a ed.). São Paulo: Martins Fontes.

Laplantine, F. (2007). Ethnopsychiatrie psychanalytique. Paris: Beauchesne.

Laplantine, F. (2012). Aprender antropologia. São Paulo: Brasiliense.




DOI: https://doi.org/10.5020/23590777.rs.v21i2.e10957

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia