A Fenomenologia do Corpo no Envelhecimento: Diálogos entre Beauvoir e Merleau-Ponty

Rafaela de Campos Domingues, Joanneliese de Lucas Freitas

Resumo


Este artigo tem o objetivo de construir uma reflexão fenomenológica acerca da corporeidade no envelhecimento por meio do diálogo das perspectivas de Beauvoir e Merleau-Ponty, partindo das obras A velhice (Beauvoir) e Fenomenologia da percepção (Merleau-Ponty). Recorreu-se, também, à novela de Beauvoir, Mal-entendido em Moscou, que ilustra as experiências de envelhecimento dos protagonistas. Beauvoir demonstra que o corpo é coadjuvante no desvelar da velhice, pois se torna objeto para o outro, delator de nosso envelhecimento. Essa perspectiva é permeada pela concepção sartreana de irrealizável, dada a impossibilidade de síntese do para-si e do em-si que constitui a existência. Contudo a filósofa ultrapassa essa perspectiva quando apresenta a experiência ambígua da senescência como um dos limites à liberdade. Beauvoir e Merleau-Ponty têm em comum a compreensão de que o corpo é condição para ser. Em diálogo com a filosofia de Merleau-Ponty, nota-se que, embora Beauvoir concorde com a reflexão sobre o corpo vivido como potência (je peux), sua perspectiva articula a ambiguidade do que um corpo pode e o que não pode. Assim, acedemos à conclusão sobre as restrições vividas, dadas não apenas pelo aspecto material do corpo que envelhece, mas especialmente pelas opressões sociais. Argumenta-se que Beauvoir abre uma dimensão ética ao pensar a velhice, adensando o problema do outro e de si, e da nossa relação com o estranho que há em nós mesmos. Nesse sentido, a obra de Beauvoir nos leva a indagar se estamos preparados para envelhecer e vivenciar nossa velhice, já que sempre a mantemos a distância, como uma estranha que desaba sobre nós.

Palavras-chave


velhice; existencialismo; corporeidade

Texto completo:

PDF/A

Referências


Argimon, I. I. L., Lindern, D., Ecker, D. D., Pizzinato, A., & Torres, S. (2011). Velhice e identidade: Significações de mulheres idosas. Revista Kairós, 14(3), 79-99. Recuperado de https://revistas.pucsp.br//index.php/kairos/article/view/10052/7481

Beauvoir, S. (1970). A velhice. São Paulo: Difusão Europeia do Livro.

Beauvoir, S. (2014). O segundo sexo. Nova Fronteira.

Beauvoir, S. (2016). Mal-entendido em Moscou. Rio de Janeiro: Record.

Blessmann, E. J. (2004). Corporeidade e envelhecimento: O significado do corpo na velhice. Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento, 6, 21-39. Recuperado de http://www.seer.ufrgs.br/RevEnvelhecer/article/viewFile/4737/2661

Caradec, V. (2016). Da terceira idade à idade avançada: A conquista da velhice. In M. Goldenberg, Velho é lindo! (pp. 11-39). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Cataldi, S. L. (2001). The body as a base for being: Simone de Beauvoir and Maurice Merleau-Ponty. In W. O´Brien & L. Embree (Orgs.), The existential phenomenology of Simone de Beauvoir (Contributions to Phenomenology, vol. 43, pp. 85-106). doi: 10.1007/978-94-015-9753-1

Dastur, F. (2011). The question of the other in French phenomenology. Continental Philosophy Review, 4(2), 165-178. doi: 10.1007/s11007-011-9175-8

Debert, G. G. (2011). Velhice e tecnologias do rejuvenescimento. In M. Goldenberg, Corpo, envelhecimento e felicidade (pp. 65-80). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Goldenberg, M. (2013). A bela velhice. Rio de Janeiro: Record.

Heinämaa, S. (2014). Transformations of old age. In S. Stoller (Ed.), Simone de Beauvoir’s philosophy of age (pp. 167-190). Berlin/Boston: Walter de Gruyter GmbH. Edição do Kindle.

Hoffman, P. (2012). O corpo. In H. L. Dreyfus & M. A. Wrathall (Orgs.), Fenomenologia e existencialismo (pp. 236-243). São Paulo: Edições Loyola.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2015). Mudança demográfica no Brasil no início do século XXI: Subsídios para as projeções da população. Recuperado de www.ibge.gov.br

Lei nº 8.842, de 4 de janeiro de 1994. Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências. Brasília: Diário Oficial da União.

Lei n° 10.741, de 1° de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências. Brasília: Diário Oficial da União.

McWeeny, J. (2017). Beauvoir and Merleau-Ponty. In L. Hengehold & N. Bauer (Orgs.), A companion to Simone de Beauvoir (pp. 211-223). Oxford: John Wiley & Sons.

Merleau-Ponty, M. (1999). Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes. (Trabalho original publicado em 1945).

Miller, S. C. (2001). The lived experience of doubling: Simone de Beauvoir´s phenomenology of old age. In W. O´Brien & L. Embree (Orgs.), The existential phenomenology of Simone de Beauvoir (Contributions to Phenomenology, vol. 43, pp. 127-147). doi: 10.1007/978-94-015-9753-1

Neri, A. L. (2013). Conceitos e teorias sobre o envelhecimento. In L. F. Malloy-Diniz, D. Fuentes & R. M. Consenza (Orgs.), Neuropsicologia do envelhecimento: Uma abordagem multidimensional (pp. 17-42). Porto Alegre: Artmed.

Organização Mundial da Saúde (OMS). (2015). Relatório mundial de envelhecimento e saúde. Genebra: OMS. Recuperado de http://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/186468/WHO_FWC_ALC_15.01_por.pdf;jsessionid=F49BDE16FE7086A7DD3FA07E2A7CA37C?sequence=6

Perdigão, P. (1995). Existência & liberdade: Uma introdução à filosofia de Sartre. Porto Alegre: P&PM.

Renaud, V. L. (2013). A facticidade do para-si e as dimensões ontológicas do corpo em o ser e o nada, de Sartre. Pólemos, 2(2), 152-166. Recuperado de http://periodicos.unb.br/index.php/polemos/article/view/9788

Sartre, J. P. (2015). O ser e o nada: Ensaio de ontologia fenomenológica. Petrópolis: Vozes. (Trabalho original publicado em 1943).

Sibilia, P. (2011). A moral da pele lisa e a censura midiática da velhice. In M. Goldenberg (Org.), Corpo, envelhecimento e felicidade (pp. 83-108). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Torres, T. L., Camargo, B. V., Bousfield, A. B., & Silva, A. O. (2015). Representações sociais e crenças normativas sobre envelhecimento. Ciência e Saúde Coletiva, 20(12), 3621-3630. doi: 10.1590/1413-812320152012.01042015




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/23590777.rs.v19i3.e8001

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia