O Resgate da Narrativa na Cultura Digital: A Conversação Psicanalítica com Adolescentes na Escola

Autores

  • Daniela Teixeira Dutra Viola Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
  • Nádia Laguárdia de Lima Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais
  • Márcio Rimet Nobre Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.5020/23590777.rs.v20i1.e8031

Palavras-chave:

psicanálise, conversação, transmissão, adolescência, escola.

Resumo

Este artigo examina a conversação psicanalítica e seu lugar no Outro contemporâneo a partir da experiência de um projeto de pesquisa e extensão com grupos de adolescentes em escolas. Apresenta-se um extrato de conversação a fim de demonstrar a instalação de um espaço de transmissão de narrativas que produz efeitos subjetivos nos participantes. Investiga-se como esse dispositivo opera num mundo em que as faculdades de narrar e de escutar estão enfraquecidas. Nesse sentido, propõe-se um diálogo da psicanálise de orientação lacaniana com o pensamento filosófico de Walter Benjamin e suas considerações sobre a transmissão da experiência e também com outros autores da filosofia e das ciências sociais que abordam as mutações discursivas desde a modernidade à hipermodernidade.

Biografia do Autor

Daniela Teixeira Dutra Viola, Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Pesquisadora de pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Doutora em Psicologia, na área Estudos Psicanalíticos, pela Universidade Federal de Minas Gerais, com período de estágio doutoral na Université Paris 8.

Nádia Laguárdia de Lima, Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais

Pós-Doutorado em Teoria Psicanalítica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professora Associada do Departamento de Psicologia e do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais.

Márcio Rimet Nobre, Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais

Doutorando em Psicologia pela Universidade Federal de Minas Gerais. Mestre em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Especialista em Teoria Psicanalítica pela Universidade Federal de Minas Gerais.

Referências

Ariès, P. (1981). História social da criança e da família (D. Flaksman, Trad.). Rio de Janeiro: LTC.

Bauman, Z. (1998). O Mal-estar da pós-modernidade (M. Gama & C. Gama, Trads.). Rio de Janeiro: Zahar.

Bauman, Z. (2001). Modernidade Líquida (P. Dentzien, Trad.). Rio de Janeiro: Zahar.

Bauman, Z. (2007). Vida Líquida (C. A. Medeiros, Trad.). Rio de Janeiro: Zahar.

Benjamin, W. (2016). Experiência e pobreza. In W. Benjamin, Magia, técnica, arte e política: Obras escolhidas I (pp. 123-128). São Paulo: Brasiliense. (Originalmente publicado em 1933)

Benjamin, W. (2016). O Narrador. In W. Benjamin, Magia, técnica, arte e política: Obras escolhidas I (pp.213-240). São Paulo: Brasiliense. (Originalmente publicado em 1936)

Deleuze, G. (1992). Post-scriptum sobre as sociedades de controle. In G. Deleuze, Conversações: 1972-1990 (pp. 219-226). Rio de Janeiro: Editora 34.

Diniz, M., Torres, M. A., Itaboray, C., & Machado, T. (2010). A conversação e a intervenção sobre o mal-estar docente e o abuso sexual infantil. In Laboratório de Estudos e Pesquisas Psicanalíticas e Educacionais sobre a infância USP (org.), Anais do encontro, VIII Colóquio Internacional do LEPSI: O declínio dos saberes e o mercado do gozo. São Paulo: USP. http://www.proceedings.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=MSC0000000032010000100040&lng=en&nrm=abn

Dunker, C. I. (2015). Mal-estar, sofrimento e sintoma: Uma psicopatologia do Brasil entre muros. São Paulo: Boitempo.

Foucault, M. (2011). Vigiar e punir: Nascimento da prisão (39a ed., R. Ramalhete, Trad.). Petrópolis, RJ: Vozes. (Originalmente publicado em1975)

Foucault, M. (1988). História da sexualidade 1: A vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal. (Originalmente publicado em 1976)

Freud, S. (1996). Contribuições para uma discussão acerca do suicídio. In S. Freud, Cinco lições de psicanálise, Leonardo da Vinci e outros trabalhos (J. Salomão, Trad., Vol. 11, pp. 243-244). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1910)

Freud, S. (2011). Psicologia das massas e análise do eu. In S. Freud, Psicologia das massas e análise do eu e outros textos (P. C. de Souza, Trad., Vol. 15, pp. 13-113). São Paulo: Companhia das Letras. (Originalmente publicado em 1921)

Freud, S. (2010). O mal-estar na civilização. In S. Freud, O mal-estar na civilização: Novas conferências introdutórias à psicanálise e outros textos (P. C. de Souza, Trad., Vol. 18, pp. 113-123). São Paulo: Companhia das Letras. (Originalmente publicado em 1930)

Gere, C. (2008). Digital culture (2a ed.) Londres: Reaktion Books.

Gorostiza, L. (2012). Pienso, luego se Goza. El Cuerpo y los gozos en los confines de lo simbólico. El Psicoanálisis - Revista de la Escuela Lacaniana de Psicoanálisis, (21).

Gurski, R., & Pereira, M. R. (2016). A experiência e o tempo na passagem da adolescência contemporânea. Psicologia USP, 27(3), 429-440. DOI: 10.1590/0103-656420150005

Kehl, M. R. (2004). A juventude como sintoma da cultura. http://pt.scribd.com/doc/166494178/A-Juventude-Como-Sintoma-Da-Cultura#scribd

Lacadée, P. (2000). Da norma da conversação ao detalhe da conversação. In P. Lacadée & F. Monier (Orgs.), Le pari de la conversation. Paris: Institut du Champs Freudien.

Lacan, J. (2005). O seminário, livro 10: A angústia (V. Ribeiro, Trad.). Rio de Janeiro: Zahar. (Originalmente publicado em 1962-1963)

Lacan, J. (2008). O Seminário, livro 16: De um outro ao outro (V. Ribeiro, Trad.). Rio de Janeiro: Zahar. (Originalmente publicado em1968-1969)

Lacan, J. (1992). O Seminário, livro 17: O avesso da psicanálise (A. Roitman, trad.). Rio de Janeiro: Zahar. (Originalmente publicado em 1969-1970)

Lacan, J. (2003). Radiofonia. In J. Lacan, Outros escritos (V. Ribeiro, Trad., pp. 400-447). Rio de Janeiro: Zahar. (Originalmente publicado em 1970)

Lacan, J. (1975). O Seminário, livro 22: R.S.I. Obra não publicada comercialmente. Foi utilizada a versão para circulação interna da Association Freudienne Internationale. (Originalmente publicado em 1974)

Le Breton, D. (2013). Une brève histoire de l’adolescence. Paris: J.-C Béhar.

Lesourd, S. (2004). A construção adolescente no laço social (L. Magalhães, Trad.). Petrópolis, RJ: Vozes.

Lima, N. L., Barcelos, N. S., Berni, J. T., Casula, K. A., Ferreira, L. P. M., Figueiredo, R. F., ... Otoni, M. S. (2015). Psicanálise, educação e redes sociais virtuais: Escutando os adolescentes na escola. Revista Estilos da Clínica, 20(3), 421-440. http://pepsic.bvsalud.org/pdf/estic/v20n3/a05v20n3.pdf

Lima, N. L., & Coelho dos Santos, T. (2016). O crescimento da exposição ao real traumático na adolescência: Declínio do pudor no imaginário contemporâneo. Trauma e suas vicissitudes. Cadernos de Psicanálise, 31(34), 265-284. https://spcrj.org.br/pdf/2015.pdf

Lima, N. L., Viola, D. T. D., Nobre, M. R., Berni, J. T., Lisita, H. G., Kelles, N. F., & Teixeira, L. H. C. (2016). Adolescência e saber no contexto das tecnologias digitais: Há transmissão possível? Revista aSEPHallus, 11(21), 42-65.

Lipovetsky, G. (2004). Os tempos hipermodernos. In G. Lipovetsky & S. Charles, Os tempos hipermodernos (M. Vilela, Trad., pp.49-126). São Paulo: Barcarolla.

Lo Bianco, A. C., Costa-Moura, F., & Solberg, M. C. (2010). A psicanálise e as narrativas modernas: A transmissão em questão. Psicologia Clínica, 22(2), 17-25.

Marx, K. (1980). O capital (R. Sant’Anna, Trad.). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. (Originalmente publicado em 1890)

Miller, J.-A. 1997). Os casos raros, inclassificáveis da clínica psicanalítica: A Conversação de Arcachon. São Paulo: Biblioteca Freudiana Brasileira, 1998.

Miller, J.-A. (2003). La experiencia de lo real en la cura psicoanalítica. Paidós: Buenos Aires.

Santiago, A. L. (2008). O mal-estar na educação e a conversação como metodologia de pesquisa intervenção na área de psicanálise e educação. In L. R. Castro & V. L. Besset. (orgs.), Pesquisa-intervenção na infância e adolescência (p. 113-131). Rio de Janeiro: NAU Editora /FAPERJ.

Santiago A. L., & Assis, R. M. (2015). O que esse menino tem? Sobre alunos que não aprendem e a intervenção da psicanálise na escola. Belo Horizonte: Sintoma.

Sibilia, P. (2012). A escola no mundo hiperconectado: Redes em vez de muros? Matrizes, 5(2), 195-211.

Stevens, A. (2004). Adolescência, sintoma da puberdade: Clínica do contemporâneo. Curinga, 20, 27-39.

Turkle, S. (2015). Reclaiming conversation: The power of talk in a digital age. New York: Penguin.

Vieira, M. A. (2005). O mal-estar na civilização entre desejo e gozo. Afreudite: Revista lusófona de psicanálise pura e aplicada, 1(1). https://revistas.ulusofona.pt/index.php/afreudite/article/view/820

Viola, D. T. D. (2016). O momento-limite conceitual: Um estudo sobre as implicações sociais e subjetivas do saber na passagem adolescente [Tese]. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais.

Vorcaro, A. M. R. (2004). Seria a toxicomania um sintoma social? Mental, 2(3). http://pepsic.bvsalud.org/pdf/mental/v2n3/v2n3a06.pdf

Downloads

Publicado

12.03.2020

Edição

Seção

Estudos Teóricos