Percepção e Enfrentamento da Crise Econômica por Trabalhadores

Marley Rosana Melo de Araújo, Daiane Nunes dos Santos, Letícia Santana Santos, Rose Milena dos Anjos Leal

Resumo


Em tempos de crise, os indivíduos passam por situações estressantes e grande insegurança. Este trabalho teve como objetivo investigar como trabalhadores de uma capital nordestina percebem e lidam com a atual crise econômica. Pretendeu-se identificar as percepções sobre a crise vigente e as estratégias de enfrentamento (coping) utilizadas para lidar com esse fenômeno. Trata-se de uma pesquisa de caráter exploratório, com foco qualitativo de análise, na qual se utilizou como técnica a entrevista semiestruturada, reflexiva e individual. Como resultados apurou-se que: a) a crise econômica é uma situação estressora que produziu consequências em diferentes âmbitos da vida dos entrevistados e; b) as estratégias utilizadas tiveram foco no problema ou foco na emoção, prevalecendo as estratégias adaptativas.

Palavras-chave


crise econômica, enfrentamento, trabalhadores

Texto completo:

PDF/A

Referências


Antoniazzi, A. S., Dell’Aglio, D. D., & Bandeira, D. R. (1998). O conceito de coping: Uma revisão teórica. Estudos de Psicologia (Natal), 3(2), 273-294. DOI: 10.1590/S1413-294X1998000200006

Antoniolli, L., Echevarría-Guanilo, M. E., Rosso, L. H. D., Fuculo, P. R. B., Jr, Dal Pai, D., & Scapin, S. (2018). Estratégias de coping da equipe de enfermagem atuante em centro de tratamento ao queimado. Revista Gaúcha de Enfermagem, 39, e2016-0073. DOI: 10.1590/1983-1447.2018.2016-0073

Antunes, R. (2018). O privilégio da servidão: O novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo.

Barcaui, A., & Limongi-França, A. C. (2014). Estresse, enfrentamento e qualidade de vida: Um estudo sobre gerentes brasileiros. RAC-Revista de Administração Contemporânea, 18(5), 670-694. DOI: 10.1590/1982-7849rac20141865

Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Barlach, L., Limongi-França, A. C., & Malvezzi, S. (2008). O conceito de resiliência aplicado ao trabalho nas organizações. Revista Interamericana de Psicologia, 42(1), 101-112.

Benetti, E. R. R., Stumm, E. M. F., Weiller, T. H., Batista, K. M., Lopes, L. F. D., & Guido, L. A. (2015). Estratégias de coping e características de trabalhadores de enfermagem de hospital privado. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste, 16(1), 3-10. DOI: 10.15253/2175-6783.2015000100002

Carver, C. S., & Scheier, M. F. (1994). Situational coping and coping dispositions in a stressful transaction. Journal of Personality and Social Psychology, 66(1), 184-195. DOI: 10.1037/0022-3514.66.1.184

Chen, L., Li, W., He, J., Wu, L., Yan, Z., & Tang, W. (2012). Mental health, duration of unemployment, and coping strategy: A cross-sectional study of unemployed migrant workers in Eastern China during the economic crisis. BMC Public Health, 12(1), e597. DOI: 10.1186/1471-2458-12-597

Chesnais, F. (2013). As raízes da crise econômica mundial. Revista Em Pauta, 11(31), 1-18. DOI: 10.12957/rep.2013.7556

Chiavenato, I. (2004). Empreendedorismo: Dando asas ao espírito empreendedor. São Paulo: Editora Manole.

Compas, B. E., Banez, G. A., Malcarne, V., & Worsham, N. (1991). Perceived control and coping with stress: A developmental perspective. Journal of Social Issues, 47(4), 23-34. DOI: 10.1111/j.1540-4560.1991.tb01832.x

D’El Rey, G. J. F., & Pacini, C. A. (2006). Terapia cognitivo-comportamental da fobia social: Modelos e técnicas. Psicologia em Estudo, 11(2), 269-275. DOI: 10.1590/S1413-73722006000200005

Dowbor, L. (2017). Entender a crise, retomar as conquistas. Estudos Avançados, 31(89), 89-95. DOI: 10.1590/s0103-40142017.31890010

Folkman, S., & Lazarus, R. S. (1980). An analysis of coping in a middle-aged community sample. Journal of Health and Social Behavior, 21(4), 219-239.

Folkman, S., & Lazarus, R. S. (1985). If it changes it must be a process: A study of emotion and coping during three stages of a college examination. Journal of Personality and Social Psychology, 48(1), 150-170. DOI: 10.1037/0022-3514.48.1.150

Fonseca, J. R. F., Costa, A. L. S., Coutinho, D. S. S., & Gato, R. C. (2015). Estratégias de coping em trabalhadores de enfermagem de um hospital universitário. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste, 16(5), 656-663. DOI: 10.15253/2175-6783.2015000500006

Fontes, A. P., & Azzi, R. G. (2012). Crenças de autoeficácia e resiliência: Apontamentos da literatura sociocognitiva. Estudos de Psicologia (Campinas), 29(1), 105-114. DOI: 10.1590/S0103-166X2012000100012

Garcia, G. (2016). Entenda a crise econômica. Empresa Brasileira de Comunicações (EBC), Agência Brasil, Caderno de Economia. Recuperado de http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2016-05/entenda-crise-economica

Gontijo, C. (2008). Raízes da crise financeira dos derivativos subprime. Belo Horizonte: UFMG-Cedeplar.

Himanen, P. (2013). Crise, identidade e estado de bem-estar social. In M. Castells, G. Cardoso, & J. Caraça (Orgs.), A crise e seus efeitos: As culturas econômicas da mudança (pp. 229-251). São Paulo: Paz e Terra.

Holland, M., & Brito, I. A. (2010). A crise de 2008 e a economia da depressão. Revista de Economia Política, 30(1), 180-182.

Lacerda, A. C. (2017). Dinâmica e evolução da crise: Discutindo alternativas. Estudos Avançados, 31(89), 37-49. DOI: 10.1590/s0103-40142017.31890005

Latack, J. C. (1986). Coping with job stress: Measures and future directions for scale development. Journal of Applied Psychology, 71(3), 377-385. DOI: 10.1037/0021-9010.71.3.377

Lobato, L. V. C. (2016). Políticas sociais e modelos de bem-estar social: Fragilidades do caso brasileiro. Saúde Debate, 40(Spe), 87-97. DOI: 10.1590/0103-11042016s08

Menninger, K. (1954). Regulatory devices of the ego under major stress. International Journal of Psycho-Analysis, 35, 412-420.

Ministério do Trabalho e Emprego [MTE]. (2010). Plano nacional de trabalho decente. Recuperado de www.mte.gov.br/antd/programa_ nacional.asp

Mota, A. E. (2009). Crise contemporânea e as transformações na produção capitalista. In Conselho Federal de Serviço Social, Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social, Serviço social: Direitos sociais e competências profissionais (pp.51-68). Brasília: CFESS/ABEPSS.

Ottone, E. (2013). Uma crise não global? Desafiar a crise na América Latina. In M. Castells, G. Cardoso, & J. Caraça (Orgs.), A crise e seus efeitos: As culturas econômicas da mudança (pp. 383-411). São Paulo: Paz e Terra.

Paula, L. F., & Pires, M. (2017). Crise e perspectivas para a economia brasileira. Estudos Avançados, 31(89), 125-144. DOI: 10.1590/s0103-40142017.31890013

Pinheiro, F. A., Tróccoli, B. T., & Tamayo, M. R. (2003). Mensuração de coping no ambiente ocupacional. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 19(2), 153-158. DOI: 10.1590/S0102-37722003000200007

Pochmann, M. (2009). O trabalho na crise econômica no Brasil: Primeiros sinais. Estudos Avançados, 23(66), 41-52. DOI: 10.1590/S0103-40142009000200004

Roesler, Á. R. (2014). Crise econômica, flexibilização e o valor social do trabalho. São Paulo: LTr.

Rosenfield, C. L. (2011). Trabalho decente e precarização. Tempo Social, 23(1): 247-268. DOI: 10.1590/S0103-20702011000100012

Rosenfield, C. L., & Pauli, J. (2012). Para além da dicotomia entre trabalho decente e trabalho digno: Reconhecimento e direitos humanos. Caderno CRH, 25(65), 319-329. DOI: 10.1590/S0103-49792012000200009

Rudolph, K. D., Denning, M. D., & Weisz, J. R. (1995). Determinants and consequences of children’s coping in the medical setting conceptualization, review, and critique. Psychological Bulletin, 118(3), 328-357.

Russo, G., Pires, C. A., Perelman, J., Gonçalves, L., & Barros, P. P. (2017). Exploring public sector physicians’ resilience, reactions and coping strategies in times of economic crisis; findings from a survey in Portugal’s capital city area. BMC Health Services Research, 17(1), 207. DOI: 10.1186/s12913-017-2151-1

Saad Filho, A., & Morais, L. (2018). Brasil: Neoliberalismo versus democracia. São Paulo: Boitempo.

Sacchetto, D., & Vianello, F. A. (2016). Unemployed migrants coping with the economic crisis. Romanians and Moroccans in Italy. Journal of International Migration and Integration, 17(3), 839-852. DOI: 10.1007/s12134-015-0440-2

Salgado, J., & Bakker, B. (2017). Quando a crise faz o empreendedor: Desemprego e empreendedorismo no jornal O Estado de S. Paulo. Contemporânea: Comunicação e Cultura, 15(2), 590-608. https://pdfs.semanticscholar.org/7b44/9d7561a4477c4a4f3c28c1567b4d77ec7b63.pdf

Santos, A. F. (2013). Um modelo explicativo para o bem-estar subjetivo: Estudo com mestrandos e doutorandos no Brasil. Psicologia: Reflexão e Crítica, 26(4), 654-662. DOI: 10.1590/S0102-79722013000400005

Seligmann-Silva, E. (2011). Trabalho e desgaste mental: O direito de ser dono de si mesmo. São Paulo: Cortez.

Szymanski, H. (2004). Práticas educativas familiares: A família como foco de atenção psicoeducacional. Estudos de Psicologia (Campinas), 21(2), 5-16. DOI: 10.1590/S0103-166X2004000200001

Taboada, N. G., Legal, E. J., & Machado, N. (2006). Resiliência: Em busca de um conceito. Revista Brasileira de Crescimento e Desenvolvimento Humano, 16(3), 104-113.

Thompson, J. B. (2013). A metamorfose de uma crise. In M. Castells, G. Cardoso, & J. Caraça (Orgs.), A crise e seus efeitos: As culturas econômicas da mudança (pp. 101-129). São Paulo: Paz e Terra.

Umann, J., Guido, L. A., & Silva, R. M. (2014). Estresse, coping e presenteísmo em enfermeiros que assistem pacientes críticos e potencialmente críticos. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 48(5), 891-898. DOI: 10.1590/S0080-6234201400005000016

Wilhelm, F. A., & Zanelli, J. C. (2014). Características das estratégias de enfrentamento em gestores universitários no contexto de trabalho. Psicologia Argumento, 32(79), 39-48. https://periodicos.pucpr.br/index.php/psicologiaargumento/article/view/19949




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/23590777.rs.v20i1.e8520

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia