Sentidos Produzidos por Profissionais de Saúde na Atenção a Comunidades Quilombolas do Vale do Guaporé

Eraldo Carlos Batista, kátia Bones Rocha

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar os sentidos produzidos por profissionais de saúde em relação à atenção à saúde em três comunidades quilombolas do Vale do Guaporé, no estado de Rondônia. O recurso metodológico utilizado foi a abordagem qualitativa. A construção do corpus foi realizada a partir de entrevistas semiestruturadas com seis profissionais de saúde e a técnica de análise foi a análise do discurso influenciada pela perspectiva do construcionismo social. Os sentidos produzidos pelos profissionais, apontados por meio de suas falas, permitiram a identificação de quatro repertórios interpretativos: 1) construção social do remanescente quilombola a partir da diferença: cordialidade, atraso e desinteresse; 2) problemas de saúde mental na comunidade; 3) aspectos sociais, culturais e simbólicos da comunidade como práticas de cuidado em saúde mental; e 4) entraves na atenção: distanciamentos teórico-práticos e (i)mobilidades. As reflexões relativas aos discursos ora apresentados apontam para a necessidade de capacitação e de formação continuada dos profissionais em saúde da população negra para que haja uma reflexão crítica da realidade e dos condicionantes sociais inerentes à saúde dessa população.

Palavras-chave


profissional de saúde; comunidade quilombola; saúde pública.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Barroso, S. M., Melo, A. P. S., & Guimarães, M. D. C. (2014). Depressão em comunidades quilombolas no Brasil: triagem e fatores associados. Revista Panamericana de Salud Pública, 35, 256-263. https://www.scielosp.org/pdf/rpsp/2014.v35n4/256-263/pt

Bento, M. A. S. (2014). Branqueamento e branquitude no Brasil. In I. Carone, & M. A. S. Bento (Orgs.). Psicologia social do racismo: estudos sobre branquitude e branqueamento no Brasil. Petrópolis: Vozes.

Brasil (1988). Constituição. República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Senado Federal.

Brasil (1990a). Lei n. 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 20 set.

Brasil (1990b). Lei n. 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. Recuperado de http://www.soleis.adv.br/suscomunidaderecur sos.htm Brasil (2003). Decreto n. 4.887, de 20 de novembro de 2003. Regulamenta o procedimento para identificação, reconhecimento, delimitação, demarcação e titulação das terras ocupadas por remanescentes das comunidades dos quilombos de que trata o art. 68 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias.

Brasil (2004). Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Saúde mental no SUS: os centros de atenção psicossocial. Brasília, DF: Ministério da Saúde.

Brasil (2016). Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Articulação Interfederativa. Temático Saúde da População Negra. Brasília, DF: Ministério da Saúde.

Brasil (2017). Ministério da Saúde. Política Nacional de Saúde Integral da População Negra: uma política para o SUS. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa, Departamento de Apoio à Gestão Participativa e ao Controle Social. Brasília, DF: Ministério da Saúde.

Cadoná, E., & Scarparo, H. (2015). Construcionismo social na atenção básica: uma revisão integrativa. Ciência & Saúde Coletiva, 20, 2721-2730. https://doi.org/10.1590/1413-81232015209.13552014

Cardoso, C. S., de Melo, L. O., & Freitas, D. A. Condições de saúde nas comunidades quilombolas. Journal of Nursing UFPE on line, 12(4), 1037-1045. https://www.scielosp.org/pdf/sausoc/2007.v16n2/111-124/pt

Cardoso, L. G. V., Melo, A. P. S., & Cesar, C. C. (2015). Prevalência do consumo moderado e excessivo de álcool e fatores associados entre residentes de Comunidades Quilombolas de Vitória da Conquista, Bahia, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 20, 809-820. https://doi.org/10.1590/1413-81232015203.12702014

Carvalho, G. (2013). A saúde pública no Brasil. Estudos avançados, 27(78), 7-26. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142013000200002

Chehuen Neto, J. A., Fonseca, G. M., Brum, I. V., Santos, J. L. C. T. D., Rodrigues, T. C. G. F., Paulino, K. R., & Ferreira, R. E. (2015). Política Nacional de Saúde Integral da População Negra: implementação, conhecimento e aspectos socioeconômicos sob a perspectiva desse segmento populacional. Ciência & Saúde Coletiva, 20, 1909-1916. https://doi.org/10.1590/1413-81232015206.17212014

Coelho, I. B. (2010). Democracia sem equidade: um balanço da reforma sanitária e dos dezenove anos de implantação do Sistema Único de Saúde no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 15, 171-183. https://www.scielosp.org/pdf/csc/2010.v15n1/171-183/pt

Farias Junior, E. D. A. (2011). Negros do Guaporé o sistema escravista e as territorialidades específicas. RURIS-Revista do Centro de Estudos Rurais-UNICAMP, 5(2), 85-116. https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/ruris/article/view/1467/984

Freitas, D. A., Caballero, A. D., Marques, A. S., Hernández, C. I. V., & Antunes, S. L. N. O. (2011). Saúde e comunidades quilombolas: uma revisão da literatura. Revista CEFAC, 13(5). https://www.redalyc.org/html/1693/169321136011/

Freitas, D. A., Silveira, J. C. S., Ferreira, L. A., Zucchi, P., & Marques, A. S. (2011). Mulheres quilombolas: profissionais na estratégia de saúde da família. Espaço para a Saúde-Revista de Saúde Pública do Paraná, 12(2), 56-62. DOI: http://dx.doi.org/10.22421/1517-7130.2011v12n2p56

Gergen, K. J. (1997). Relation and relationships: soundings in social construction. Cambridge/London: Harvard University Press.

Gomes, K. D. O., Reis, E. A., Guimarães, M. D. C., & Cherchiglia, M. L. (2013). Utilização de serviços de saúde por população quilombola do Sudoeste da Bahia, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 29, 1829-1842. https://www.scielosp.org/pdf/csp/2013.v29n9/1829-1842/pt

Iñiguez, L. (2004). Manual de análise do discurso em ciências sociais. Petrópolis: Vozes.

Lages, S. R. C., de Oliveira Tavares, N., dos Santos, S. V., Carvalho, M. A. S., & Maciel, L. F. R. (2017). Pesquisas em Psicologia Social no Campo da Saúde da População Negra no Brasil. Revista de Psicologia da UNESP, 13(1), 1-10. http://pepsic.bvsalud.org/pdf/revpsico/v13n1/a01.pdf

Marques, A. S., Freitas, D. A., Leão, C. D. A., Oliveira, S. K. M., Pereira, M. M., & Caldeira, A. P. (2014). Atenção Primária e saúde materno-infantil: a percepção de cuidadores em uma comunidade rural quilombola. Ciência & Saúde Coletiva, 19, 365-371. https://doi.org/10.1590/1413-81232014192.02992013

Melo, M. F. T., & Silva, H. P. (2015). Doenças crônicas e os determinantes sociais da saúde em comunidades quilombolas do Pará, Amazônia, Brasil. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), 7(16), 168-189. http://abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/103

Oliveira, A. S. J., Rodrigues, F. E. N., Corrêia, L. S. S., Tavares, M. E., & Monteiro, T. L. (2011). Quilombolas do Pará: condições de vulnerabilidade nas comunidades remanescentes de Quilombo. Assis: Triunfal Gráfica e Editora.

Oliveira, R. A., Gellacic, A. S., Zerbinatti, A. S., de Souza, F. E., & Aragão, J. A. (2012). Equidade só no papel? Formas de preconceito no Sistema Único de Saúde e o princípio de equidade. Revista Psicología para América Latina, 23, 47-64. http://ulapsi.org/portal/wp-content/uploads/2013/01/23-3.-Equidade-so-no-papel.pdf

Oliveira, S. K. M., Pereira, M. M., Guimarães, A. L. S., & Caldeira, A. P. (2015). Autopercepção de saúde em quilombolas do norte de Minas Gerais, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 20(9), 2879-2890. http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232015209.20342014

Patton, M. Q. (2014). Qualitative evaluation and research methods. Newbury Park: Sage Publications.

Potter, J., & Wetherell, M. (1987). Discourse and social psychology. London: Sage Publications.

Rasera, E. F., & Japur, M. (2007). Grupo como construção social. São Paulo: Vetor.

Santos, A. O. (2018). Saúde mental da população negra: uma perspectiva não institucional. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), 10(24), 241-259. http://www.abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/view/583

Santos, R. C. D., & Silva, M. S. (2014). Condições de vida e itinerários terapêuticos de quilombolas de Goiás. Saúde e Sociedade, 23, 1049-1063. https://doi.org/10.1590/S0104-12902014000300025

Santos, V. C., Nagib Boery, E., Pereira, R., de Oliveira Santa Rosa, D., Alves Vilela, A. B., Ferraz dos Anjos, K., & Silva de Oliveira Boery, R. N. (2016). Condições socioeconômicas e de saúde associadas à qualidade de vida de idosos quilombolas. Texto & Contexto Enfermagem, 25(2), 1-9. https://www.scielosp.org/article/csp/2013.v29n9/1829-1842/pt/

Sawaia, B. (2014). As artimanhas da exclusão: análise psicossocial e ética da desigualdade social. Petrópolis: Vozes.

Silva Filho, J. B. S. & Lisboa, A. (2012). Quilombolas: resistência, história e cultura. São Paulo: IBEP.

Silva, R. A., & Menezes, J. A. (2016). Reflexões sobre o uso de álcool entre jovens quilombolas. Psicologia & Sociedade, 28(1), 84-93. http://dx.doi.org/10.1590/1807-03102015v28n1p084

Silva, T. T. (2014). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes.

Silva, V. H F., Dimenstein, M., & Leite, J. F. (2013). O cuidado em saúde mental em zonas rurais. Mental, 10(19), 267-285. http://pepsic.bvsalud.org/pdf/mental/v10n19/a08v10n19.pdf

Souza, L. O. C. (2012). Quilombos: identidade e história. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Spink, M. J. P., & Medrado, B. (2004). Produção de sentidos no cotidiano: uma abordagem teórico-metodológica para análise das práticas discursivas. In M. J. P Spink. (Org.). Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano: aproximações teóricas e metodológicas. 3. ed. São Paulo: Cortez, 41-61.

Teixeira, M. A. D., & Xavier, D. F. B. (2018). Santo Antônio do Guaporé: direitos humanos, conflitos e resistência socioambiental Revista Direito e Práxis, 9(1), 351-371. DOI: 10.1590/2179-8966/2018/32718

Vieira, A. B. D., & Monteiro, P. S. (2013). Comunidade quilombola: análise do problema persistente do acesso à saúde, sob o enfoque da Bioética de Intervenção. Saúde em Debate, 37, 610-618. https://www.scielosp.org/pdf/sdeb/2013.v37n99/610-618/pt




DOI: https://doi.org/10.5020/23590777.rs.v20iEsp1.e8745

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia