Sexualidade, Corpo e Psicanálise

Shimênia Vieira de Oliveira Cruz, Aléssia Silva Fontenelle

Resumo


O presente trabalho objetiva promover uma reflexão no campo da sexualidade por meio da abordagem de alguns conceitos fundamentais para a psicanálise. O modo como esta delimita conceitualmente o corpo e o gozo nos auxilia nessa tarefa de articular as noções contemporâneas de sexualidade e gênero. A metodologia utilizada para a elaboração deste artigo se deu a partir do estudo sistemático de produções do Campo Lacaniano, que acontecem uma vez por semana no NuPSaM (Núcleo de Psicanálise e Saúde Mental) da Universidade Federal do Vale do São Francisco. O texto, que ora se apresenta, foi elaborado a partir da I Jornada de Psicanálise da Univasf. Sabemos, com Freud, que a sexualidade está para além do instinto sexual, promovendo uma ruptura em relação aos órgãos genitais em si. Há, nesse sentido, uma função corpórea mais abrangente, ligada às pulsões, que visam a objetos que nada têm a ver com uma finalidade reprodutiva. Tal perspectiva é atravessada pela impossibilidade da relação sexual, pelo que não cessa de não se escrever. Assim, o que está em questão são as posições de gozo e a distinção do gozo fálico do gozo Outro, gozo esse suplementar e relativo ao enigma do feminino. Com isso, qualquer um pode se alojar numa ou outra posição (gozo suplementar ou fálico) frente ao real do sexo. Ao introduzir a pluralização do gozo, a sexualidade passa a ser abordada a partir da lógica, do singular. O gênero se aproxima da questão do ser, refere-se ao que desperta, em cada sujeito, a questão do que deseja e de quem deseja.

Palavras-chave


corpo; sexualidade; gozo; psicanálise; gênero.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Ansermet, F. (2014). Eligir el sexo. Tiresias: Publicación de las 13a Jornadas de la Escuela Lacaniana de Psicoanálisis. Madrid: EOL. Recuperado de: http://jornadaselp.com/2014/11/elegir-el-sexo

Ansermet, F. (2015). Escolher seu sexo: Usos contemporâneos da diferença dos sexos. In Latusa: Um corpo que nasce (pp. 23-35). Rio de Janeiro: EBP Editora.

Assef, J. (2013). De qué sexuación puede uno fiarse? La identidad de género a partir de dos modelos del cine contemporâneo. In M. Torres, G. Schnitzer, A. Antuña & S. Peidro (Comp.), Transformaciones: ley, diversidad, sexuación (p. 373-380). Buenos Aires: Gramma.

Butler, J. (2003). Problemas de gênero: Feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

Ceccarelli, P. R. (2007). Novas configurações familiares: mitos e verdades. Jornal de Psicanálise, 40(72), 89-102. http://pepsic.bvsalud.org/pdf/jp/v40n72/v40n72a07.pdf

Ceccarelli, P. (2010). Psicanálise, sexo e gênero: Algumas reflexões. In C. Rial, J. Pedro & S. Arende (Orgs.), Diversidades: Dimensões de Gênero e sexualidade (pp.269-285). Florianópolis: Ed. Mulheres. Recuperado de: http://periodicos.ufpb.br/index.php/artemis/article/viewFile/26210/14104

Danziato, L. (2013). A posição do falo e a diferença sexual na adolescência contemporânea. Revista Topos, 13(13), 275-282.

Dias, E. A. (2007). Amor des-medido: A sexualidade feminina, entre o desejo e o gozo. Psicologia Hospitalar, 5(1), 60-72. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/pdf/ph/v5n1/v5n1a05.pdf

Freud, S. (1996a). Projeto para uma psicologia científica. In Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (Vol. 1, pp.335-454). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1895)

Freud, S. (1996b). Conferências Introdutórias da Psicanálise. Conferência XXI. O desenvolvimento da libido e as organizações sexuais. In Edição Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (Vol. 13, pp. 324-338). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1916-1917)

Freud, S. (1996c). O Eu e o ID. In Edição Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (Vol.16, pp. 13-92). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1923-1925)

Freud, S. (1996d). Algumas consequências da distinção anatômica entre os sexos. In Edição Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (Vol.19, pp. 271-286). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1925)

Freud, S. (1996e). Moisés e o Monoteísmo. In Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. (Vol. 23, pp. 15-150). Rio de Janeiro: Imago. (Originalmente publicado em 1939-1934-38)

Lacan, J. (1981). Le malentendu [Le Séminaire de 1980]. Ornicar?: Bulletin périodique du Champ Freudien, (22-23), 11-14.

Lacan, J. (1985). O Seminário, livro 20: Mais, ainda. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Originalmente publicado em 1972)

Lacan, J. (1998). Subversão do sujeito e dialética do desejo no inconsciente freudiano. In Escritos (pp. 807-842). Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Originalmente publicado em 1960)

Lacan, J. (2003). Prefácio a O despertar da primavera. In Outros Escritos (pp. 557-559). Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Originalmente publicado em 1974)

Lacan, J. (2005). Introdução aos Nomes-do-Pai. In Nomes-do-Pai (pp. 55-87). Rio de

Janeiro: Jorge Zahar. (Originalmente publicado em 1963)

Lacan, J. (2008). O Seminário, Livro 16: De um Outro ao outro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Originalmente publicado em 1968-1969).

Laurent, É. (1999). Posiciones femininas del ser: Del masoquismo feminino al empuje a la mujer. Buenos Aires: Editorial Tres Haches.

Laurent, É. (2012). A psicanálise e a escolha das mulheres. Belo Horizonte: Scriptum Livros.

Laurent, É. (2010). Siglo XXI: No relación globalizada e igualdad de términos. In El goce sin rosto: psicoanálisis y política de las identidades (pp.178-185). Buenos Aires: Tres Haches.

Laurent, É. (2010). Butler y Gender. In El goce sin rosto: Psicoanálisis y política de las identidades (pp.157-163). Buenos Aires: Tres Haches.

Leite, M. P. (2003). A sexualidade revisitada por Lacan: Novos fundamentos da psicanálise (mimeografado). São Paulo.

Mattos, C. P. (2016). Quais os impasses e soluções do jovem para a sintomatização do sexual, hoje? Curinga: Uma nova juventude, (42), 115-130.

Miller, J. (2012). Uma fantasia. Conferência de abertura do VIII Congresso da Associação Mundial de Psicanálise. Recuperado de: http://2012.congresoamp.com/pt/template.php?file=Textos/Conferencia-de-Jacques-Alain-Miller-en-Comandatuba.html

Miller, J. (2013). Falar com o corpo. Conclusão do PIPOL5. In: Textos do VI ENAPOL: VI Encontro Americano de Psicanálise da Orientação Lacaniana (pp.6-10). Recuperado de: http://www.enapol.com/pt/Textos.pdf

Laia, S. (2013). Identidad, diversidad y diferencia de los sexos. In: M. Torres, G. Schnitzer, A. Antuña & S. Peidro (Comp.), Transformaciones: Ley, diversidad, sexuación (pp. 311-323). Buenos Aires: Gramma.

Lefort, R. (1992). De lalangue a l’Autre ou de la jouissance préalable du Un du S1 au S2 de l’Autre. In: L’Autre du bébé. Séries de la Découverte Freudienne (pp. 05-10.). Toulouse: Presses Universitaire du Mirail.

Leguil, C. (2016). O ser e o gênero: Homem/mulher depois de Lacan. Belo Horizonte: EBP Editora.

Lutterbach, A. L. (2016). Apresentação. In: C. Leguil, O ser e o gênero: homem/mulher depois de Lacan (pp.11-12). Belo Horizonte: EBP Editora.

Macêdo, L. (2016). Notas sobre identidade de gênero e sexuação. Opção Lacaniana Online, 7(19), 1-15. Recuperado de: http://www.opcaolacaniana.com.br/pdf/numero_19/Notas_sobre_identidade_de_genero_e_sexuacao.pdf

Martins, C. M., Ottavi, L., Tanguy, C., & Bernard, D. (2014). A marca do desejo parental. Arquivos Brasileiros de Psicologia, 66 (3), 74-88. Recuperado de: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/arbp/v66n3/07.pdf

Santos, A. (2016). Prefácio. In C. Leguil, O ser e o gênero: Homem/mulher depois de Lacan (pp.13-20). Belo Horizonte: EBP Editora.

Soler, C. (2012). Lacan, o inconsciente reinventado (P. Abreu, Trad.). Rio de Janeiro: Cia. de Freud.

Souza, L. C. M. (2013). Do corpo verbal ao corpo audiovisual: Os percursos do corpo significante na obra de Michel Pêcheux e Édipo linguageiro. Revista Eletrônica de Estudos do Discurso e do Corpo, 2(1), 52-76. Recuperado de: https://periodicos2.uesb.br/index.php/redisco/article/view/2696/2241

Teixeira, M. (2013). Os transexuais e o sexo para chamar de seu. Recuperado de: http://www.isepol.com/asephallus/numero_14/artigo_03.html

Teixeira, M. R. (2013). Amor, desejo e gozo na contemporaneidade. Recuperado de: https://docplayer.com.br/25289255-Amor-desejo-e-gozo-na-contemporaneidade.html

Torres, M. (2013). Presentación. In M. Torres, G. Schnitzer, A. Antuña & S. Peidro (Comp.), Transformaciones: Ley, diversidad, sexuación (pp. 9-10). Buenos Aires: Gramma.

Vivès, Jean-Michel. (2005). Para introduzir a questão da pulsão invocante. Inédito. 11 p.

Zizek, S. (2008). Visão em paralaxe. Rio de Janeiro: Boitempo.




DOI: https://doi.org/10.5020/23590777.rs.v20i3.e8756

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia