Representações Sociais sobre a Velhice Masculina: Abordagens de Homens Idosos Participantes de Grupo de Convivência

Érika Carolina Porto de Góis, José Victor De Oliveira Santos, Ludgleydson Fernandes de Araújo

Resumo


O presente estudo está situado no processo de envelhecimento populacional, entendido como fenômeno biopsicossocial em que há existência de velhices, evidenciando a sua pluralidade e heterogeneidade, diante de diferenças como as desigualdades de gênero. Quando se trata da velhice masculina, confrontam-se os discursos de masculinidade e as práticas sociais, especialmente nos aspectos trabalho, família, sexualidade e autocuidado. Esta produção trata das representações sociais dos homens idosos sobre a velhice com o objetivo principal de identificar as representações sociais da velhice masculina entre homens idosos participantes de grupos de convivência. Pauta-se a discussão na teoria das representações sociais de Serge Moscovici, que propõe uma ciência mais próxima do cotidiano. É uma pesquisa qualitativa, com dados transversais e por conveniência. Participaram desta pesquisa homens com idade acima de 60 anos, participantes há pelo menos doze meses de grupo de convivência, que declararam ter condições cognitivas preservadas e apresentaram boa comunicação. Nessas condições, encontraram-se cinco homens. Fez-se o uso de questionários sociodemográficos e entrevistas semiestruturadas. Os dados foram analisados através da análise de conteúdo de Bardin, e indicaram que os homens relacionam a velhice masculina com o processo saúde e doença, o tempo de perdas fisiológicas e sociais e o ganho da experiência; ressaltando-se uma atenção com o autocuidado e a aproximação de atividades domésticas nessa fase da vida. Espera-se que esta pesquisa traga contribuições para o conhecimento sobre a velhice masculina.

Palavras-chave


representações sociais; velhices; masculinidades.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Araújo, L. F., & Silva, R. J. S. Resiliência e velhice: um estudo comparativo entre idosos de diferentes classes sociais. Psicologia em Estudo, 22(2), 141-152.http://dx.doi.org/10.4025/psicolestud.v22i2.32437

Bardin, L. (1977).Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Bassit, A. Z. (2011). Envelhecimento e gênero. In: E. V. Freitas. Tratado de geriatria e gerontologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Caregnato, R. C. A., &Mutti, R. (2006). Pesquisa qualitativa: análise de discurso versus análise de conteúdo. Texto contexto enferm, 15(4), 679-84. Recuperado de: http://www.scielo.br/pdf/tce/v15n4/v15n4a17

Coelho, J. S., Giacomin, K. C., & Firmo, J. O. A. (2016). O cuidado em saúde na velhice: a visão do homem. Saúde e Sociedade, 25(2), 408-421. https://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902016142920

Connel, R., & Pearse, R. (2018). Género: Desde una perspectiva global. Universitat de València.

Debert, G. G. (2006). A reinvenção da velhice: socialização e processos de reprivatização do envelhecimento. São Paulo: Edusp.

Gutierrez, D. M. D., & Minayo, M. C. S. (2008). Família, redes sociais e saúde: O imbricamento necessário. In Anais do VIII Fazendo Gênero: Corpo, violência e poder. Florianópolis, SC: Universidade de Santa Catarina

IBGE. (2016). Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira. Rio de Janeiro: IBGE. Recuperado de: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv98965.pdf

Januário, S. B. (2016). Masculinidade em (Re) Construção: Gênero, Corpo e Publicidade. Covilhã: Editora Labcom.

Jodelet, D. (2001). Representações sociais: um domínio em expansão. In: Jodelet D. As representações sociais. Rio de Janeiro: EdUerj.

Moscovici, S. (2017). Representações sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis: Vozes.

Motta, A. B. (2002). Envelhecimento e sentimento do corpo. In: M. C. S. Minayo, C. E. A. Coimbra. Antropologia, saúde e envelhecimento. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ.

Papalia, D. E., & Feldman, R. D. (2016). Desenvolvimento humano. Artmed Editora.

Santos, J. V. O., Araújo, L. F., & Negreiros, F. (2018). Atitudes e estereótipos em relação a velhice LGBT. Interdisciplinar - Revista de Estudos em Língua e Literatura, 29, 57-69. Recuperado de: https://seer.ufs.br/index.php/interdisciplinar/article/view/9624

Santos, J. V. O., Carlos, K. P. T., Araújo, L. F. & Negreiros, F. (2017). Compreendendo a velhice LGBT: uma revisão da literatura. In L. F. Araújo & C. M. R. G. Carvalho. (Org.). Envelhecimento e Práticas Gerontológicas, (pp. 81-96). 1ed. Curitiba-PR/Teresina-PI, Editora: CRV/EDUFPI.

Thiago, C. D. C., Russo, J. A., & Camargo, K. R. D. (2016). Hormônios, sexualidade e envelhecimento masculino: um estudo de imagens em websites. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, 20, 37-50.https://doi.org/10.1590/1807-57622014.0031




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/23590777.rs.v20iEsp.e9140

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia