Escrita, vestígio e ausência em A amiga genial de Elena Ferrante

Tatianne Santos Dantas, Simone Zanon Moschen

Resumo


Neste artigo, pretendemos fazer ressoar, com a psicanálise, efeitos da leitura do livro A amiga genial de Elena Ferrante. Encontramos neste romance, em especial no prólogo Apagar os vestígios, a possibilidade de traçar um percurso que nos permite mobilizar elementos capazes de dar contorno à proposição freudiana de que os traços mnêmicos, de que se constitui o aparelho psíquico, inscrevem-se como fruto de um apagamento. Também interessará à tessitura deste texto os fios que nos chegam do trabalho de Lacan com o romance Robinson Crusoé, de Daniel Defoe – trabalho que mobiliza o movimento de ausência-presença-ausência como condição de um registro simbólico. O desaparecimento da personagem Lila Cerullo, narrado nas páginas iniciais do romance de Ferrante, nos permitirá pensar sobre a relação entre perda e criação literária. O significante vestígio que compõe o título do prólogo de A amiga genial indica a passarela que permite colocar em contato o pensamento da escritora italiana e as formulações freudianas sobre o inconsciente. É no rastro desse significante que espraiamos a relação com a literatura, para entrever o que a ficção contemporânea pode dizer para a psicanálise.


Palavras-chave


Elena Ferrante; escrita; vestígio; psicanálise

Texto completo:

PDF/A

Referências


Azevedo, A. M. V. (2007). As bordas da letra: questões de escrita na psicanálise e na literatura. In A. Costa, & D. Rinaldi (Org.), Escrita e Psicanálise. Rio de Janeiro: Cia de Freud.

Benjamin, W. (1985). As teses sobre o conceito de História. In Obras Escolhidas (Vol. I). São Paulo: Brasiliense, Arquivo Digital.

Blanchot, M. (2011). A parte do fogo. Rio de Janeiro: Rocco.

Brandão, R. S. (1996). Literatura e Psicanálise. Porto Alegre: Editora UFRGS.

Brandão, R. S. (2006). Mulher ao pé da letra: a personagem feminina na literatura. Belo Horizonte: Editora UFMG.

Carvalho, A. C. (1994.) O processo de criação na produção literária: um depoimento. Psicologia: Ciência e Profissão, 14(1-3). Link http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98931994000100002

Carvalho, A. C. (2006). Limites da sublimação na criação literária. Estudos de Psicanálise, (29) 15-24. Link http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-34372006000100004

Chemama, R. (2002). Elementos lacanianos para uma psicanálise no cotidiano. Porto Alegre: CMC Editora.

Defoe, D. (2004). As aventuras de Robinson Crusoé. São Paulo: Iluminuras.

Ferrante, E. (2015). A amiga genial: infância, adolescência. São Paulo: Biblioteca Azul.

Ferrante, E. (2016). História do novo sobrenome. São Paulo: Biblioteca Azul.

Ferrante, E. (2017). História de quem foge e de quem fica. São Paulo: Biblioteca Azul.

Ferrante, E. (2017). História da menina perdida. São Paulo: Biblioteca Azul.

Freud, S. (1896/2016). Carta a Fliess 112 [52] 10. In Neurose, Psicose e Perversão. Belo Horizonte: Autêntica.

Freud, S. (1896/1996). Projeto para uma psicologia científica. In J. Strachey (Ed.), Edições Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1899-1900/1996). A interpretação dos sonhos. In J. Strachey (Ed.), Edições Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1908/1996). Escritores Criativos e Devaneio. In J. Strachey (Ed.), Edições Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1906/2015). O delírio e os sonhos na Gradiva, Análise da fobia de um garoto de cinco anos e outros textos (1906-1909). In Obras Completas (Vol. 8). São Paulo: Companhia das Letras.

Freud, S. (1917/1996). Luto e Melancolia. In J. Strachey (Ed.), Edições Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1919/2010). O inquietante. In Obras Completas (Vol. 14), História de uma neurose infantil (“O homem dos lobos”), Além do princípio do prazer e outros textos (1917-1920). São Paulo: Companhia das Letras.

Freud, S. (1925/2011). Notas sobre o “Bloco Mágico”. In Obras Completas (Vol. 16), O Eu e o Id, Autobiografia e outros textos (1923-1924). São Paulo: Companhia das Letras.

Gagnebin, J. M. (2014). Limiar, aura e rememoração: Ensaios sobre Walter Benjamin. São Paulo: Editora 34.

Lacan, J. (1957-1958/1999). O seminário, livro 5: As formações do inconsciente. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J. (1961-1962/2003). O seminário, livro 9: A identificação. Recife: Centro de Estudos Freudianos.

Lacan, J. (1998). Função e campo da fala e da linguagem. In Lacan, J. Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.

Lacan, J. (2003). Homenagem a Marguerite Duras pelo arrebatamento de Lol V. Stein. In Lacan, J. Outros Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.

Mannoni, M. (1999). Elas não sabem o que dizem: Virginia Woolf, as mulheres e a psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Perec, G. (1995). W ou a memória da infância. São Paulo: Companhia das Letras.

Portugal, A. M. (2006). O vidro da palavra: o estranho, literatura e psicanálise. Belo Horizonte: Autêntica.

Rank, O. (2014). O duplo. Porto Alegre: Editora Dublinense.

Rickes, S. M. (2007). Riscos e Tempos. In A. Costa, & D. Rinaldi (Org.), Escrita e Psicanálise. Rio de Janeiro: Cia de Freud.

Rivera, T. (2013). O avesso do imaginário: arte contemporânea e psicanálise. São Paulo: Cosac Naify.

Salomão, W. (1996). Algaravias. São Paulo: Editora 34.

Saviano, R. (2017). Ferrante Fever. Durzi, G. (Diretor). Documentário, Itália/França, 75m, M14.

Sousa, E. L. A. (2007). Escrita das utopias: litoral, literal, lutoral. In A. Costa, & D. Rinaldi (Org.), Escrita e Psicanálise. Rio de Janeiro: Cia de Freud.

Tuzzi, A., & Cortelazzo, M. A. (2018). What is Elena Ferrante? A comparative analysis of a secretive bestselling Italian writer. Digital Scholarship in the Humanities, 33(3), 685-702.




DOI: http://dx.doi.org/10.5020/23590777.rs.v19i2.e9156

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia