O Trauma e seu Tratamento: Contribuições de Freud e Lacan

Marcelo Chapa Guzmán, Carla de Abreu Machado Derzi

Resumo


Este trabalho apresenta uma análise do conceito de trauma ao longo das obras de Freud e Lacan. O evento traumático factual tem um sustento fundamental no início da obra freudiana, localizando-se como etiologia principal das neuroses, permitindo a invenção do conceito de a posteriori. Freud se afasta da teoria da sedução e o conceito de fantasia ganha um valor primordial no papel do trauma. No período de guerra, Freud descreve e diferencia o trauma nos tempos de paz e de guerra e, anos mais tarde, vincula o conceito à pulsão de morte. Já em Lacan, na sua releitura freudiana, se discute o traumático da constituição do sujeito, a relação do trauma com o desejo do Outro a partir do seminário 6, o trauma como um esbarrão contingencial com o real e sua relação com a repetição, e, finalmente, a entrada na linguagem como verdadeiro trauma do sujeito e sua relação com o gozo. Enfim, se articula uma via possível de tratamento a partir da discussão dos perigos da prevenção, da inevitabilidade do trauma, da responsabilização do sujeito e da importância da fala.

Palavras-chave


trauma; sujeito; neurose.

Texto completo:

PDF/A

Referências


André, S. (1998). O que quer uma mulher? Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Barroso, S. F. (2015). Mãe simbólica e função da Mãe. Revista Curinga, (40), 59-72.

Caldas, H. (2015). Trauma e linguagem: Acorda. Opção Lacaniana online nova série, (16).

Cuchiarelli, R. (2015). Reseñas sobre PIPOL 7 ¡VÍCTIMA! Link

D’Alessandro, C. (2011). Investigações clínico-psicanalíticas sobre o trauma no contexto da urgência hospitalar. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte.

De Campos, S. (2014). Troumatisme: Condição do trauma. Arteira-Revista de Psicanálise, (6), 9-14.

Favero, A. B. (2009). A noção de trauma em psicanálise. Dissertação de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica, Pontifícia Univseridade Católica, Rio de Janeiro.

Ferretti, M. C. G. (2014). O trauma e seus conceitos. Carta de São Paulo, (21), 34-39.

Freud, S. (1900/1972). A Interpretação dos Sonhos. In Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud (Vol.4, pp. 1-229). Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1893/1980a). Sobre o mecanismo psíquico dos fenômenos histéricos: Comunicação Preliminar. In S Freud, Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud (Vol.2, pp. 41-53). Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1894/1980b). As neuropsicoses de defesa. In S Freud, Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud (Vol.1, pp.403-479). Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1916/1980c). Conferências Introdutórias sobre Psicanálise - Parte III – Conferência XVIII-Fixação em traumas- o inconsciente. In S Freud, Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud (Vol.16, pp. 323-336). Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1905/1980d). Os Chistes e sua relação com o inconsciente. In Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud (Vol.8, pp. 1-155). Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1901/1987). Sobre a Psicopatologia da Vida Cotidiana. In Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud (Vol.7, pp. 1-179). Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1895/1950). Projeto para uma psicologia científica. In Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud (Vol.1, pp. 403-479). Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1895/1990). Estudos sobre a Histeria. In S. Freud, Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud (Vol.2, pp.15-297). Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1919/2010). Introdução a psicanálise das neuroses de guerra. In S Freud, História de uma neurose infantil (“O homem dos lobos”), além do princípio do prazer e outros textos (Vol.14, pp. 382-388). São Paulo: Companhia das Letras.

Freud, S. (1920/2011). Além do Princípio de Prazer. In S Freud, Além do Princípio de Prazer, Psicologia de Grupo e outros trabalhos (Vol.18, pp. 13-75). São Paulo: Companhia das Letras.

Freud, S. (1905/2016a). Análise Fragmentária de uma Histeria (“O caso Dora”). In S Freud, Três ensaios sobre a teoria da sexualidade, análise fragmentária de uma histeria (“O caso Dora”) e outros textos (Vol. 6, pp. 173-320). São Paulo: Companhia das Letras.

Freud, S. (1906/2016b). Meus pontos de vista sobre o papel da sexualidade na etiologia das neuroses. In S Freud, Três ensaios sobre a teoria da sexualidade, análise fragmentária de uma histeria (“O caso Dora”) e outros textos (Vol. 6, pp. 348-360). São Paulo: Companhia das Letras.

Garcia, B. (2018) ¿Qué es lo traumático en psicoanálisis? Link

Garmendia, J. (2004). Urgencia psiquiátrica: Una perspectiva psicoanalítica. In G. Belaga (Org.), La urgência generalizada: La práctica en el hospital (pp. 43-72). Buenos Aires: Grama.

Grostein, S. A. (2014). Freud e a atualidade do trauma. Carta de São Paulo, (21), 40-49.

Lacan, J. (1966/1998a). A instância da letra no inconsciente. In J. Lacan, Escritos (pp. 496-533). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J. (1966/1998b). Função e campo da fala e da linguagem em psicanálise. In J. Lacan, Escritos (pp. 238-324). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J. (1964/2008). O Seminário, livro 11: Os quatro conceitos fundamentais da psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Lacan, J. (1958-1959/2016). O Seminário, livro 6: O desejo e sua interpretação. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Miller, J.-A. (2014). Apresentação do Seminário 6: O desejo e sua interpretação, de Jacques Lacan. Opção Lacaniana online, (14).

Naparstek, F. A. (2004). La acción lacaniana o el psicoanálisis en acción. In G. Belaga (Org.), La urgência generalizada: La práctica en el hospital (pp.73-78). Buenos Aires: Grama.

Quinet, A. (2000). A descoberta do inconsciente: Do desejo ao sintoma. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Rouanet, S. P. (2006). Os traumas da modernidade. In A. M. Rudge (Org.), Traumas (pp. 141-155). São Paulo: Escuta.

Roudinesco, E., & Plon, M. (1998). Dicionário de psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Rudge, A. M. (2009). Trauma: Coleção Psicanálise passo-a-passo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Santos Jr., A. (2014). A Psicopatologia do Trauma. Carta de São Paulo (21), 26-33.

Seldes, R. (2004). La urgencia subjetiva, un nuevo tiempo. In G. Belaga (Org.), La urgência generalizada: La práctica en el hospital (pp. 31-42). Buenos Aires: Grama.

Soares, M. S. (2009). E por falar em repetição, onde anda...tiquê e autômaton? Link

Souto, S. (2014). Contemporaneidade do trauma e desmontagem da defesa. Curinga, (38), 13-17.

Teixeira, A. (2010). O sonho da dessuposição de Fliess. Almanaque on-line, (6). Link




DOI: https://doi.org/10.5020/23590777.rs.v21i1.e9254

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Subjetividades, Fortaleza - Ceará- Brasil – E-ISSN: 2359-0777

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia